Voltar Coleo Completa

QNEsc Vol. 31 No 3

QNEsc - Vol. 31 No 3 - Agosto - 2009

capa-31_3.jpg

 

Editorial

Editores e Editor Associado

Editorial

01-editorial.pdf 01-editorial.pdf

Poliuretano: De Travesseiros a Preservativos, um Polmero Verstil

Jos Marcelo Cangemi, Antonia Marli dos Santos e Salvador Claro Neto

Qumica e Sociedade

poliuretano, polmero, biomaterial

Desde que Otto Bayer, em 1937, produziu industrialmente os primeiros polmeros a partir de reaes com ligaes uretanas, a quantidade de materiais desenvolvidos com esse tipo de polimerizao cresceu enormemente, a ponto de abranger diferentes segmentos de aplicao nos mais variados ramos da indstria, ocupando atualmente a sexta posio entre os plsticos mais vendidos no mundo. A aplicao mais recente, que vem sendo estudada por diversos pesquisadores, a utilizao do poliuretano como biomaterial. Utilizando-o como tema, espera-se contribuir para a formao de alunos e professores no somente do ponto de vista de conceitos qumicos, mas tambm para a formao do cidado, j que assuntos atuais como versatilidade do material, toxicidade das matrias-primas, custo e problemas socioambientais sero abordados no trabalho.

02-QS-3608.pdf 02-QS-3608.pdf

Alfabetizao Cientfica no Ensino de Qumica: Uma Anlise dos Temas da Seo Qumica e Sociedade da Revista Qumica Nova na Escola

Tathiane Milar, Graziela Piccoli Richetti e Jos de Pinho Alves Filho

Qumica e Sociedade

alfabetizao cientfica, ensino de Qumica, temas sociais

A Alfabetizao Cientfica um processo que visa a uma formao cientfica bsica a todos os cidados e tem se tornado um slogan que abrange diversos significados e objetivos. Nesse contexto, apresentamos suas principais finalidades encontradas na literatura a fim de tornar possvel sua compreenso. Buscando viabilizar o desenvolvimento da Alfabetizao Cientfica no Ensino de Qumica, analisamos os temas sociais propostos nos artigos da seo Qumica e Sociedade da revista Qumica Nova na Escola conforme categorias compatveis com as finalidades apresentadas. Os artigos analisados possuem potencialidades para o desenvolvimento dos objetivos da Alfabetizao Cientfica no Ensino de Qumica.

03-QS-0809.pdf 03-QS-0809.pdf

Afinal, o que Nanocincia e Nanotecnologia? Uma Abordagem para o Ensino Mdio

Suzeley Leite Abreu Silva, Marcelo Machado Viana e Nelcy Della Santina Mohallem

Qumica e Sociedade

nanopartculas, nanocincia e nanotecnologia

A partir da histria de Rita, mostramos as dvidas mais frequentes de alunos e discutimos alguns conceitos bsicos sobre nanocincia e nanotecnologia. Ela tem visto e ouvido muita informao sobre nanocincia, nanotecnologia e nanopartculas. Essas palavras esto sendo amplamente divulgadas e, esto se tornando mais frequentes no seu dia a dia. Ela quer descobrir o significado e a origem desses termos, como a Cincia est tratando do mundo nanomtrico e se os nanomateriais so nocivos sade. Enfim, ela quer, diante de suas dvidas, aprender sobre esses conceitos e, assim, se posicionar de uma forma consciente sobre o tema.

04-QS-7808.pdf 04-QS-7808.pdf

Vamos Jogar uma SueQumica?

Ana Paula Bernardo dos Santos e Ricardo Cunha Michel

Espao Aberto

fora de cidos orgnicos e inorgnicos; constante de ionizao; jogo didtico

O uso de jogos didticos no Ensino Mdio pode ser uma ferramenta bastante valiosa para tornar aulas de Cincias, como de Qumica, mais interessantes. O objetivo deste trabalho unir as regras do tradicional jogo de sueca aos conceitos de fora cida de substncias orgnicas e inorgnicas. Trata-se de uma boa oportunidade para abordar o assunto, introduzindo conceitos de constante de ionizao com um pouco de diverso.

05-EA-0108.pdf 05-EA-0108.pdf

Representao de Temas Cientficos em Pintura do Sculo XVIII: Um Estudo Interdisciplinar entre Qumica, Histria e Arte

Ana Paula Gorri e Ourides Santin Filho

Histria da Qumica

histria da qumica; pinturas; qumica pneumtica

Este artigo analisa o trabalho dos chamados qumicos pneumaticistas a partir da pintura Um experimento com um pssaro na bomba de ar, executada em 1768 por Joseph Wright of Derby. A obra mostra um grupo de pessoas assistindo a demonstraes com uma bomba de vcuo. Um pssaro est confinado num globo de vidro do qual o ar foi evacuado e parece estar resfolegando. Outros dispositivos experimentais so retratados no quadro. A partir da cena retratada, so discutidos aspectos histricos, filosficos e cientficos da poca, com nfase nos trabalhos de qumicos do sculo XVIII na busca e caracterizao de novos "ares". Sugerimos que o texto seja utilizado como iniciador de um debate interdisciplinar envolvendo Qumica, Histria e Arte.

06-HQ-0808.pdf 06-HQ-0808.pdf

Maresia: Uma Proposta para o Ensino de Eletroqumica

Maria Eugnia Cavalcante Sanjuan, Cludia Viana dos Santos, Juliana de Oliveira Maia, Aparecida Ftima Andrade da Silva e Edson Jos Wartha

Relatos de Sala de Aula

maresia, eletroqumica, conhecimento qumico

Este artigo busca discutir o processo de construo e implementao de uma unidade didtica sobre ele troqumica, usando, como tema central, o fenmeno da maresia. A unidade foi desenvolvida em duas escolas de Ensino Mdio onde verificamos que os resultados foram muito positivos tanto para os alunos como para ns, professores.

07-RSA-2008.pdf 07-RSA-2008.pdf

Experimentao no Ensino de Qumica: Caminhos e Descaminhos Rumo Aprendizagem Significativa

Cleidson Carneiro Guimares

Relatos de Sala de Aula

experimentao, ensino de qumica, problematizao

Este artigo trata de uma experincia com alunos da 1 srie do Ensino Mdio, utilizando o laboratrio como espao de investigao. A abordagem envolveu os educandos na tentativa de identificar a composio de um material a partir das propriedades. A metodologia permitiu perceber a interferncia do ensino formal quando se pretende mediar aprendizagens por descoberta e em que medida a experimentao pode tornar a apren- dizagem significativa.

08-RSA-4107.pdf 08-RSA-4107.pdf

Reaes de Combusto e Impacto Ambiental por meio de Resoluo de Problemas e Atividades Experimentais

Mara Elisngela Jappe Goi e Flvia Maria Teixeira dos Santos

Relatos de Sala de Aula

atividades experimentais, resoluo de problemas, ensino e aprendizagem de qumica

O laboratrio tem um papel central no ensino de qumica e as pesquisas tm revelado a sua importncia no engajamento do estudante no processo de investigao. Neste trabalho, apresentamos uma pesquisa qualitativa de acompanhamento e anlise de uma experincia de utilizao de atividades experimentais em laboratrio de qumica a partir da metodologia da resoluo de problemas. Esse estudo, desenvolvido na 2a srie do Ensino Mdio, envolveu 37 alunos em uma escola de Porto Alegre (RS) e centrou-se no tema reaes de combusto e impacto ambiental. Os resultados indicam que a articulao do trabalho experimental resoluo de problemas semiabertos pode ser muito eficaz para a aprendizagem de conceitos, procedimentos e atitudes pelos estudantes.

09-RSA-5008.pdf 09-RSA-5008.pdf

A Qumica do Refrigerante

Ana Carla da Silva Lima e Jlio Carlos Afonso

Pesquisa no ensino de qumica

refrigerante, gases, anlise sensorial

Este trabalho aborda a produo de refrigerantes, descrevendo a funo de cada um de seus componentes. Sua fabricao exige um rigoroso controle a fim de assegurar a qualidade de um produto destinado ao consumo humano. O refrigerante tambm se presta para diversas experincias em sala de aula, envolvendo a anlise sensorial, a solubilidade de gases em lquidos e as reaes em meio cido.

10-PEQ-0608.pdf 10-PEQ-0608.pdf

Uma Anlise das Relaes do Saber Profissional do Professor do Ensino Mdio com a Atividade Experimental no Ensino de Qumica

Wanda Naves Cocco Salvadego e Carlos Eduardo Labur

Pesquisa no ensino de qumica

ensino de qumica, experimento, relaes

Admitindo ser as atividades experimentais em Qumica importantes para o ensino dessa disciplina do ponto de vista dos autores pesquisados, professores entrevistados e pesquisadora, busca-se compreender, essen- cialmente, as razes para o uso ou no de atividade experimental. Considerada importante, essa prtica de ensino pouco usada, constatvel pela ausncia praticamente generalizada de atividades empricas no ensino de Qumica nos colgios. Propomo-nos a refletir acerca do discurso do professor de Qumica do Ensino Mdio com referncia s atividades experimentais e com respeito ao uso ou no destas como mecanismo instrucional. Para isso, tomamos como referencial a teoria da relao com o saber de Charlot, que nos permite desviar o enfoque de uma leitura negativa da falta ou da carncia para uma leitura positiva da relao do professor com o seu saber profissional, ou seja, a relao com o Eu, com o Outro e com o Mundo.

11-PEQ-4108.pdf 11-PEQ-4108.pdf

Resenhas

Jogos para o Ensino de Química: teoria, métodos e aplicações

Professores de ciências - Um encontro de águas

Educació Química (EduQ): Uma nova revista no âmbito do ensino de química

12-resenhas.pdf 12-resenhas.pdf

Normas para Publicao

14-Normas.pdf 14-Normas.pdf


Voltar Coleo Completa
 
on-line ISSN 2175-2699
impreso ISSN 0104-8899
Apoio a Projetos
CNPq
Desenvolvido por EKMF.