Ética e más condutas em publicações da QNEsc

 
 

Química Nova na Escola é uma publicação da Sociedade Brasileira de Química (SBQ) e tem como missão publicar resultados de pesquisa com o propósito de fornecer significativas contribuições para a formação inicial e contínua e para a prática docente do professor da educação básica, constituindo-se em um espaço aberto para o debate e reflexão sobre o ensino e a aprendizagem em Química.

A revista, portanto, ao veicular resultados de pesquisa e reflexões teóricas acadêmicas de investigações empíricas ou teóricas originais, segue um código de ética que orienta a comunidade envolvida com Química Nova na Escola, e que trata dos direitos e das obrigações dos membros entre si e com o público. Tal código busca maximizar os benefícios produzidos por Química Nova na Escola para a melhoria da sociedade e para a profissão do professor de Química, bem como para todos os profissionais da área, limitando as ações que podem servir os próprios interesses estreitos de alguns indivíduos.

As orientações a seguir visam esclarecer sobre um conjunto de diretrizes éticas para editores, autores e revisores de manuscritos de Química Nova na Escola. Acreditamos que a maioria das orientações aqui oferecidas é de conhecimento de uma comunidade madura cientificamente, e ao mesmo torna-se uma ajuda substancial para os mais jovens.

Este material foi compilado a partir das Diretrizes Éticas para Publicação da American Chemical Society, do Código de Boas Práticas Científicas da Fapesp e do Código de Ética para Publicações do Journal of the Brazilian Chemical Society.

 

Normas de conduta sobre plágios e falsificação de dados

 

1. Em caso de identificação de plágio, fabricação, falsificação, republicação indevida e submissão simultânea, os autores autorizam a SBQ tornar público o evento, informando a ocorrência aos editores das revistas envolvidas e aos eventuais autores plagiados

2. A fabricação de dados, ou a afirmação de que foram obtidos ou conduzidos dados, procedimentos ou resultados que realmente não o foram e a falsificação, ou Apresentação de dados, procedimentos ou resultados de pesquisa de maneira relevantemente modificada, imprecisa ou incompleta, a ponto de poder interferir na avaliação do peso científico que realmente conferem às conclusões que deles se extraem (FAPESP – Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo. Código de Boas Práticas Científicas. São Paulo: FAPESP, 2012), por parte dos autores, são práticas inaceitáveis nas publicações da Química Nova na Escola e suscetíveis a processos judiciais.

 

Orientações Éticas

 

1. Dos Editores de Revistas Científicas

 

1.1. O editor é o responsável pela aceitação ou rejeição de um manuscrito, apoiado por pareceres circunstanciados de um conselho de revisores experientes quanto à qualidade e confiabilidade do manuscrito para publicação. Caso o manuscrito seja considerado inadequado para publicação em Química Nova na Escola, por não atender ao escopo da revista, pela falta de novidade ou profundidade adequada ao tema, ele poderá ser rejeitado pelo editor sem revisão externa. O editor deve encorajar seus revisores a promover avaliações claras, objetivas e eticamente corretas, que contribuam para o enriquecimento do manuscrito.

1.2. Informações presentes num manuscrito em processo de submissão não podem ser repassadas a membros da comunidade sem a devida autorização dos autores, e tampouco usadas em benefício da pesquisa dos editores. Entretanto, informações acerca do manuscrito podem ser compartilhadas entre os periódicos sob responsabilidade da SBQ.

1.3. No caso de conflito de interesse entre a pesquisa do editor e dos autores do manuscrito submetido, a responsabilidade editorial deve ser delegada a outra pessoa qualificada do corpo editorial de Química Nova na Escola.

1.4. O editor deve respeitar a independência intelectual dos autores. Deve ser ainda imparcial quanto à raça, religião, nacionalidade, idade, afiliação institucional ou ao sexo dos autores do manuscrito submetido.

1.5. Caso haja evidências convincentes sobre dados ou conclusões errôneas num artigo já publicado, cabe ao editor facilitar a publicação de um adendo corretivo pelos autores ou por outro autor.

1.6. Um autor pode pedir para que certos revisores não sejam indicados para avaliação de seu manuscrito, caso haja conflito de interesses. Cabe ao editor decidir a questão, se considerar que as opiniões do eventual revisor sejam importantes na avaliação justa do manuscrito.

1.7. Manuscritos submetidos devem ser avaliados num período breve sem comprometimento da qualidade da avaliação. O editor deve informar claramente aos autores sobre os prazos de andamento da avaliação do manuscrito.

 

2. Dos Autores

 

Os autores devem seguir as seguintes diretrizes éticas, sob pena de sanções pelos editores, incluindo suspensão ou revogação de privilégios de publicação.

2.1. O manuscrito deve conter um relato objetivo e completo da pesquisa alvo da publicação, com detalhes e referências bibliográficas suficientes, considerando que um periódico científico é um material custoso e que, por este motivo, não deve ser desperdiçado com informações irrelevantes ou redundantes.

2.2. Referências bibliográficas intimamente relacionadas com o trabalho desenvolvido e submetido à publicação devem ser obrigatoriamente incluídas no manuscrito. Conversas, correspondências ou discussão com terceiros não devem ser usadas ou relatadas no manuscrito sem permissão explícita de quem as forneceu. Informações confidenciais, tais como manuscritos de arbitragem, ou pedidos de subvenção, devem ser tratados da mesma forma.

2.3. A fragmentação de trabalhos toma muito espaço das revistas acadêmicas e torna a pesquisa bibliográfica mais difícil e demorada. Um cientista que faz um trabalho extenso em um sistema ou grupo de sistemas semelhantes deve organizar sua publicação de modo a apresentar um estudo solidamente baseado, tão completo quanto possível, mesmo que cubra apenas um aspecto de tal sistema.

2.4. O autor que está submetendo o artigo é responsável por incluir, na lista de autores, o nome de todos os pesquisadores que são efetivamente responsáveis pelo trabalho. É seu dever informar aos coautores o conteúdo do manuscrito e obter a permissão dos mesmos para a submissão e publicação.

2.5. Outras contribuições além daquelas dos coautores devem ser indicadas em um uma seção de Agradecimentos ou como nota de rodapé. Pessoas falecidas na categoria de coautores devem ser incluídas com a data da morte em nota.

2.6. Quaisquer perigos inerentes aos produtos químicos, equipamentos ou procedimentos relatados no manuscrito devem ser claramente identificados. Os autores devem informar ao editor caso haja produtos ou tecnologias que ameacem a saúde pública, a segurança e o ambiente, se indevidamente utilizados. Da mesma forma, este cuidado deve constar do corpo de texto do manuscrito.

2.7. Manuscritos que envolvem o mesmo tema de pesquisa não devem ser submetidos concomitantemente a periódicos de publicação primária, a menos que seja uma reapresentação de um manuscrito rejeitado ou retirado da publicação. Em geral, é permitida a submissão de um manuscrito de um trabalho completo resultante da expansão de um relato publicado anteriormente como preliminar, mas o editor deve ser informado da comunicação anterior. A expectativa da revista pode ser frustrada se um manuscrito aceito for retirado, o que representa um desvio ético e não é aceito nas publicações da SBQ.

2.8. Um manuscrito pode conter críticas ao trabalho de outros pesquisadores, desde que de cunho científico e não pessoal.

2.9. O autor correspondente deve informar ao editor, no momento da submissão, que não há conflito de interesses a declarar, ou deve divulgar os potenciais conflitos de interesse que serão reconhecidos no artigo publicado.

2.10. Plágio, definido como "a apropriação de ideias, processos, resultados ou palavras de outra pessoa, sem o devido crédito (Roig, 2006)", não é aceito em revistas científicas da SBQ. Consideramos plágio a cópia de textos ou frases, palavra por palavra (ou muito similar), de qualquer outro autor. O autoplágio, isto é, a replicação de textos ou dados a partir de trabalhos anteriores dos próprios autores, com ou sem a devida citação, é igualmente inaceitável. A repetição razoável de algumas ideias e reordenação de uma ou duas frases pelos próprios autores é aceitável. A replicação palavra por palavra de dados ou frases deve vir entre aspas e com o devido crédito. É igualmente inaceitável a sugestão de uma novidade quando a metodologia ou os resultados já foram publicados pelo autor ou por qualquer outro autor (Roig, M. Avoiding plagiarism, self­plagiarism, and other questionable writing practices: A guide to ethical writing. 2006. Disponível em: http://ori.hhs.gov/sites/default/files/plagiarism.pdf).

2.11. É relativamente comum, em comentários e notas, a reprodução de figuras, esquemas e fotos já publicados em outras obras. No entanto, tal reprodução requer a permissão do autor dada pelo editor responsável da obra original, mesmo que esses materiais tenham sido publicados pelos mesmos autores. É de responsabilidade dos autores obter a permissão de outros editores para a reprodução de qualquer figura, desenho ou artes afins, a partir de outras revistas a serem utilizadas em comentários, notas ou qualquer outro tipo de publicação. Tais permissões de direitos autorais específicos devem ser enviadas para o Assistente Editorial da QNEsc pelo e-mail: qnesc@qnesc.sbq.org.br. Agradecimentos da reprodução devem constar de acordo com as recomendações dos editores originais.

2.12. Ao submeter um manuscrito a Química Nova na Escola, o autor e os coautores transferem os direitos autorais do trabalho apresentado, com o devido consentimento. No caso de o manuscrito não ser aceito ou ser retirado durante o processo de revisão, o efeito dessa transferência cessa.

2.13. Publicações sobre divulgação científica devem seguir as mesmas orientações quanto ao relato criterioso e interpretação de resultados, a exemplo de artigos de cunho científico. Na medida em que os leigos podem não entender a terminologia científica, palavras comuns de menor precisão podem ser usadas para aumentar a compreensão pública. Tendo em vista a importância da comunicação dos cientistas com o público em geral, alguma perda de precisão pode ser justificada, consistente com uma comunicação eficaz.

2.14. Os autores devem estar cientes de que a divulgação dos resultados da investigação na imprensa pública, ou em um banco de dados ou boletim eletrônico, pode ser considerada como equivalente a uma comunicação preliminar num periódico científico.

 

3. Dos Revisores

 

3.1. O revisor de um manuscrito deve considerar o mesmo confidencial e julgá-lo objetivamente quanto à qualidade, com base nos dados experimentais e teóricos, na interpretação e exposição dos mesmos, considerando o bom padrão científico de Química Nova na Escola.

3.2. Caso haja conflito de interesses, o revisor deve retornar o manuscrito imediatamente sem revisão, com justificativa ao editor. Cabe ao editor aceitar comentários pertinentes do mesmo e que, a critério do editor, podem ser transmitidos aos autores.

3.3. O revisor escolhido para a avaliação de um manuscrito que se sentir sem qualificação para a avaliação deve devolvê-lo imediatamente ao editor, acompanhado de justificativa.

3.4. O revisor não deve avaliar um manuscrito de autoria ou coautoria de colaboradores ou pessoas com que tenha relação pessoal, especialmente se a relação puder provocar algum viés no julgamento do manuscrito.

3.5. O revisor deve emitir seu parecer acompanhado de justificativa de modo a que editores e autores possam compreender a avaliação. Avaliações não fundamentadas são de pouco valor e devem ser evitadas.

3.6. O revisor deve chamar a atenção do editor sobre qualquer semelhança substancial entre o manuscrito em questão e artigos publicados ou simultaneamente submetidos a outro periódico.

3.7. O revisor deve notificar o editor caso ocorra atraso na avaliação, bem como propor uma nova data de entrega do material revisto.

3.8. Informações presentes num manuscrito em processo de submissão não podem ser repassadas, pelo revisor, a membros da comunidade sem a devida autorização dos autores, e tampouco ser usadas em benefício da pesquisa do revisor.

on-line ISSN 2175-2699
impreso ISSN 0104-8899
Apoio a Projetos
CNPq
Desenvolvido por EKMF.