Voltar Coleo Completa | Ir ao Volume Anterior

QNEsc Vol. 41 No2

Qumica Nova na Escola
Vol. 41 No2
Maio de 2019

Editorial

editorial.pdf Editorial PDF   HTML

Os Editores

 

Expediente/Sumário

20-Normas.pdf PDF: Expediente/Sumário

 

Produção de Sabão no Assentamento Rural Monte Alegre: Aspectos Didáticos, Sociais e Ambientais

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160153

Luciana Massi
Carlos S. Leonardo Júnior

Química e Sociedade

Surgido do saber popular e modificado pelo conhecimento científico e tecnológico, o sabão é um produto amplamente utilizado atualmente, obtido por reações de saponificação. Levantamos o saber popular das mulheres do assentamento Monte Alegre acerca da produção de sabão como prática social. Com base na perspectiva da Pedagogia Histórico-Crítica (PHC) sobre a relação entre o saber popular e o conhecimento científico, elaboramos duas Sequências Didáticas (SD) e as aplicamos aos alunos do ensino fundamental da escola local. A intervenção problematizou a produção de sabões com aditivos e permitiu discussões sociais, históricas e ambientais. Paralelamente, foram realizadas entrevistas com as produtoras com registro audiovisual, a fim de produzir um documentário e transpor seus saberes para as aulas. Verificamos que os saberes das produtoras são plurais e revelam aspectos da fetichização e alienação da sociedade capitalista e discutimos as dificuldades e avanços decorrentes da implementação das SD coerentes com a PHC.

produção de sabão, saberes populares, pedagogia histórico-crítica

02-EQM-29-12.pdf PDF: Química e Sociedade

 

Construção de Objetos de Aprendizagem para o Ensino de Química

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160152

Michele A. R. Guizzo
Elen G. Pereira
Priscila C. Nicolete
Neiva L. Kuyven
Patricia A. Behar

Educação em Química e Multimídia

O objetivo deste artigo é apresentar os resultados obtidos com a aplicação do software Rasmol no ensino de Geometria Molecular, por meio de um curso totalmente a distância. O curso em questão foi construído baseado na metodologia de Construção de Materiais Educacionais Digitais (ConstruMED) e disponibilizado aos alunos das turmas do curso Técnico Integrado em Química e Licenciatura em Química, do Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC) Câmpus Criciúma. No total 25 estudantes concluíram o curso e realizaram uma avaliação do mesmo. Os alunos consideraram positiva a experiência do uso de tecnologias no ensino de química e o formato do curso a distância. Contudo, foram propostas alterações para ampliação e aprofundamento do conteúdo. Como resultado da análise desta avaliação, pretende-se promover as modificações sugeridas, aprimorando-o para novas aplicações.

Rasmol, ConstruMED, objetos de aprendizagem, ensino de química

02-EQM-29-12.pdf PDF: Educação em Química e Multimídia

 

O Jornal da Química como Etapa Inicial de Abordagem Problematizadora: Proposta para Ensino e Formação de Professores

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160134

Ricardo S. G. Pinheiro
Márlon H. F. B. Soares

Espaço Aberto

Este trabalho apresenta e discute um projeto denominado Jornal da Química, cujo objetivo foi produzir um veículo de informação em uma linguagem mais acessível aos alunos do ensino médio, e também discutir as contribuições deste projeto para a formação de professores de química. O jornal traz temas com abordagem interdisciplinar e contextualizada, ao mesmo tempo em que traz conceitos de química e áreas afins, estimulando o aluno a investigar os fatos e buscar o conhecimento. O objetivo do jornal é iniciar uma abordagem problematizadora, que será continuada em outro trabalho, através do diálogo com os alunos. Neste projeto, nos concentramos em motivar o aluno, levando-o à apropriação de fatos e conceitos e instigando o desenvolvimento do senso crítico. O projeto foi planejado e executado por estudantes de graduação em Química, durante a segunda etapa da regência, e o jornal foi distribuído no evento científico de uma Escola Pública do Município de Iporá, Goiás. Depois, foi aplicado um questionário aos alunos para identificar o impacto do jornal e se os objetivos pretendidos foram alcançados. A ideia do jornal também foca na formação do aluno de graduação em Química a partir da reflexão de suas práticas pedagógicas, dentro de uma abordagem problematizadora e construtivista.

jornal da química, abordagem problematizadora, formação de professores

02-EQM-29-12.pdf PDF: Espaço Aberto

 

O Conhecimento Escolar: Um Estudo do Tema Diagrama de Linus Pauling em Livros Didáticos de Química – 1960/1970

logo XIX ENEQ

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160156

André A. G. Bianco
Reginaldo A. Meloni

Conceitos Científicos em Destaque

Nesse trabalho serão apresentados os resultados iniciais da pesquisa que têm como objetivo verificar a relação entre o conhecimento produzido pelos cientistas e os saberes que são planejados para a educação escolar. Usando como referência as teorias de Ivor Goodson e de Yves Chevallard, procurou-se responder à seguinte questão: qual a relação entre os conhecimentos científico e escolar no tema distribuição eletrônica/Diagrama de Linus Pauling? O trabalho está sendo desenvolvido em uma perspectiva histórica por meio da investigação do tema entre 1939 e 1948 e pelo estudo dos livros didáticos de Química publicados na década de 1960. Os resultados indicam que não há sintonia entre o conhecimento produzido fora da escola e o conhecimento escolar, e também que há versões do tema que se distanciaram dos propósitos originais. Com isso, podemos concluir que o processo de transposição didática não foi adequadamente considerado pelos autores dos manuais analisados.

diagrama de Linus Pauling, conhecimento escolar, livros didáticos

02-EQM-29-12.pdf PDF: Conceitos Científicos em Destaque

 

Saberes Docentes Compartilhados Durante o Estágio Supervisionado: Uma Experiência Com Licenciandos em Química

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160151

Renata B. Araújo
Yassuko Iamamoto
Daniela G. A. Favacho

Relatos de Sala de Aula

Geralmente, o licenciando em química realiza o estágio em escolas de ensino médio e, durante a supervisão na universidade, as discussões envolvem a forma como ele planeja atividades didáticas, quais estratégias ele prioriza, os recursos, entre outros. Dessa forma, o olhar na maioria das vezes está voltado para a prática do licenciando. Assim, este trabalho propôs investigar quais conhecimentos oriundos da prática do professor atuante na escola são compartilhados com os licenciandos durante o estágio. A fundamentação teórica foi baseada na tipologia de saberes docentes propostas por Tardif. As fontes de dados foram anotações feitas pela pesquisadora durante as supervisões e gravação dos diálogos estabelecidos, sendo analisados a partir da microgenética. Os saberes docentes no dia a dia da sala de aula vão além de dominar simplesmente o conteúdo químico, e neste artigo se procura elucidar alguns conhecimentos tácitos compartilhados.

saberes docentes, estágio supervisionado, licenciatura em química

02-EQM-29-12.pdf PDF: Relatos de Sala de Aula

 

Ensino de Química e Codocência: Interdependência Docente/Tradutor e Intérprete de Língua de Sinais

logo XIX ENEQ

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160157

Eleandro A. Philippsen
Ricardo Gauche
Patrícia Tuxi
Eduardo F. Felten

Relatos de Sala de Aula

Apesar da existência de Lei e de Decreto, as pessoas Surdas enfrentam obstáculos relacionados às atividades educacionais, especialmente no âmbito formal. Então, como proporcionar aos futuros professores de Química formação adequada à educação inclusiva efetiva e conceitual de estudantes Surdos? Na busca por respostas, foi preciso estabelecer parâmetros e metodologias adequadas ao processo ensino-aprendizagem de estudantes Surdos. No processo investigativo foram realizadas análises sobre a interdependência Docente/Tradutor e Intérprete de Língua de Sinais (TILS) no contexto do ensino de Química, mais especificamente na formação docente em Química para a codocência do TILS, o que nos levou à criação de uma disciplina no âmbito de um curso de licenciatura. Conclui-se que ao acoplar a modalidade de serviço codocência como modelo operacional dos agentes do processo ensino-aprendizagem, atinge-se o objetivo fundamental que é a compreensão conceitual por parte dos estudantes Surdos e não-Surdos.

educação de surdos, inclusão, libras

02-EQM-29-12.pdf PDF: Relatos de Sala de Aula

 

O Método de Estudo de Caso Como Alternativa para o Ensino de Química: Um Olhar para o Ensino Médio Noturno

logo XIX ENEQ

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160158

Aleide R. Tomaz
Sarah M. Novaes
Gilmar S. Machado
Cláudia V. Crispim
Elisa P. Massena

Relatos de Sala de Aula

Este trabalho apresenta uma experiência com o método de estudo de caso (EC), realizada com 32 estudantes do Ensino Médio, noturno, de uma escola pública do interior do Nordeste, ocorrida no âmbito do PIBID. O caso aborda as implicações que o consumo da água fora dos parâmetros de qualidade pode trazer para a saúde humana, uma problemática enfrentada pelos alunos da escola. A atividade foi dividida em quatro momentos, a saber: (i) apresentação do EC e constatação de conhecimentos prévios dos estudantes; (ii) análise dos parâmetros físico-químicos em contas de água e da composição química de águas comercializadas no mercado; (iii) realização de um experimento; e (iv) resolução do caso. O estudo promoveu uma aprendizagem contextualizada e efetiva, uma vez que os estudantes foram levados a refletir sobre uma questão vivenciada por eles e mediada pelos bolsistas do PIBID, sendo as questões científicas trabalhadas pela professora e bolsistas do PIBID com base nos conhecimentos dos alunos.

estudo de caso, ensino médio noturno, ensino e aprendizagem

02-EQM-29-12.pdf PDF: Relatos de Sala de Aula

 

Aprendizagem dos Conceitos de Ácidos e Bases em um Estudo Sobre a Linguagem

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160136

Geruza S. Nascimento
Bruno F. dos Santos

Ensino de Química em Foco

Este trabalho apresenta uma pesquisa de intervenção realizada junto a estudantes do segundo ano do Ensino Médio. A intervenção envolveu a realização de uma titulação ácido-base e a aplicação de um questionário sobre conceitos de ácidos, bases e neutralização, por meio do qual analisamos o uso da linguagem científica nas respostas dos estudantes. Foi observado um aumento nas respostas dos alunos com definições conceituais mais apropriadas à linguagem científica após a realização do experimento, e um abandono da linguagem mais coloquial, e próxima do nível fenomenológico dos conceitos questionados. Considerando-se as dificuldades e problemas no ensino e na aprendizagem do conteúdo de ácidos e bases na Química, sugerimos que o exercício da escrita como comunicação do conhecimento pode auxiliar e contribuir para a aquisição destes conceitos pelos estudantes.

escrita, ácidos e bases, linguagem

02-EQM-29-12.pdf PDF: Ensino de Química em Foco

 

Compreensões sobre a Cegueira e as Atividades Experimentais no Ensino de Química: Quais as Relações Possíveis?

logo XIX ENEQ

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160155

Renata A. da Silveira
Fábio P. Gonçalves

Ensino de Química em Foco

Ao reconhecer a importância dos experimentos no ensino e na aprendizagem de Química, esta pesquisa analisa as compreensões acerca da cegueira e das atividades experimentais e suas possíveis relações em trabalhos que contemplam a temática atividades experimentais para cego(s) publicados na revista Química Nova na Escola (QNEsc) e em edições do Encontro Nacional de Ensino de Química (ENEQ). A partir da análise textual discursiva, identificaram-se duas compreensões de cegueira: (a) aquela para qual há compensação pela audição e outros sentidos em função dela; e (b) aquela que, ao contrariar a anterior, chama a atenção para o papel das interações entre cegos e videntes e a dimensão social das barreiras impostas aos primeiros. Em parte dos trabalhos que abordam uma ou outra compreensão destacaram-se aquelas inovadoras e problemáticas sobre as atividades experimentais. Neste sentido, não foi possível estabelecer uma relação direta entre os entendimentos acerca da cegueira e dos experimentos no ensino.

cegos, experimentação, ensino de química

02-EQM-29-12.pdf PDF: Ensino de Química em Foco

 

Interfaces Disciplinares no Ensino de Ciências: Uma Perspectiva Docente

logo XIX ENEQ

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160154

Tania D. M. Salgado
Maria Cecília C. Moço
Maria Teresinha X. Silva

O Aluno em Foco

Este artigo analisa, sob o ponto de vista docente, o processo de criação e desenvolvimento da disciplina Buscando Interfaces Disciplinares no Ensino de Ciências, oferecida para as Licenciaturas em Ciências Biológicas, Física e Química. Por seu caráter interdisciplinar, as aulas foram ministradas simultaneamente por professoras de cada um desses cursos. Além de atividades de fundamentação teórica sobre interdisciplinaridade, os estudantes elaboraram, em grupos formados por componentes das diferentes áreas, oficinas temáticas interdisciplinares e as aplicaram em sala de aula, no Ensino Médio público. Os estudantes demonstraram criatividade, comprometimento e preocupação em apresentar vínculos entre ciência e cidadania. As docentes consideram que a atividade de ensino contribuiu significativamente para a formação dos futuros docentes no que se refere à interdisciplinaridade, tanto do ponto de vista teórico quanto da prática.

interdisciplinaridade, ciências da natureza, licenciatura

02-EQM-29-12.pdf PDF: O Aluno em Foco

 

Revista Completa 41-2

20-Normas.pdf PDF: Revista Completa

 

Normas

20-Normas.pdf PDF: Normas para Submissão

Sociedade Brasileira de Qumica 2019

Voltar Coleo Completa | Ir ao Volume Anterior

on-line ISSN 2175-2699
impreso ISSN 0104-8899
Apoio a Projetos
CNPq
Desenvolvido por EKMF.