Voltar Coleo Completa | Ir ao Volume Anterior

QNEsc Vol. 44 No3

Qumica Nova na Escola
Vol. 44 No3
Agosto de 2022

Editorial

editorial.pdf Editorial PDF   HTML

Os Editores

 

Expediente/Sumário

20-Normas.pdf PDF: Expediente/Sumário

  

As faces do plástico: uma proposta de aula sobre sustentabilidade

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160320

Débora França
Camila G. Chiaregato
Gabriella D. Ulrich
Heitor B. Veloso
Lucas L. Messa
Luciana M. Angelo
Tamires dos S. Pereira
Roselena Faez

Ensino de Química para o Desenvolvimento Sustentável

Decorrente das constantes mudanças na sociedade mundial e as peculiaridades da sociedade brasileira, o presente artigo busca levantar questões sobre o ensino dos conceitos de sustentabilidade através da discussão sobre o consumo de plásticos apontando o pragmático viés das suas vantagens e desvantagens. Sugerimos aqui uma atividade de ensino que poderá ser trabalhada no novo cenário da educação brasileira, principalmente no que diz respeito à estruturação do novo ensino médio: O Júri do Plástico.   

itinerário formativo, polímeros, 5 Rs

02-EQM-29-12.pdf PDF: Ensino de Química para o Desenvolvimento Sustentável

 

A Educação Ambiental no Ensino Médio: desafios e possibilidades a partir da elaboração de uma sequência didática com ênfase nas emissões de CO2 equivalente

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160285

Patrícia A. Falci
Regina S. Carvalho

Química e Sociedade

Este trabalho apresenta a elaboração e aplicação de uma sequência didática (SD) para o ensino de conceitos relacionados à Educação Ambiental, com ênfase nas emissões de CO2 equivalente (CO2e) presentes nas atividades cotidianas dos alunos. A elaboração da SD levou em conta os conhecimentos prévios e os conceitos ainda não construídos pelos alunos da segunda série do Ensino Médio. Várias atividades compuseram a SD (discussões de textos, cálculos das emissões CO2e, exercícios envolvendo o conteúdo e uma blitz ecológica) a fim de possibilitar a melhor compreensão de diversos conceitos como aquecimento global, gases do efeito estufa (GEE), CO2e, atividades mais emissoras e formas de absorção de CO2e, entre outros. Os dados da pesquisa foram coletados através da observação participante da professora pesquisadora, análise das respostas dos alunos em diversas atividades e da participação dos mesmos. Mudanças comportamentais dos alunos, transparecendo uma formação mais consciente, crítica e cidadã, foram observadas através dos estímulos propostos nos materiais instrucionais utilizados.   

educação ambiental, sequência didática, CO2 equivalente, ensino de Química

02-EQM-29-12.pdf PDF: Química e Sociedade

 

A Saga do Repolho Roxo no Ensino De Química

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160281

Marcia B. da Cunha
Fernanda O. Lima

Espaço Aberto

Algumas plantas podem ser utilizadas como indicadores naturais, pois delas se extraem substâncias que têm a propriedade de mudar de cor, dependendo das características da solução em que se encontram. Uma dessas plantas é o repolho roxo, que, ao longo dos anos, faz parte de publicações da área de Ensino de Química, como o Encontro Nacional de Ensino de Química (ENEQ) e a revista Química Nova na Escola (QNEsc), constituindo-se o que aqui chamamos de A Saga do repolho Roxo no Ensino de Química. São vários trabalhos que trazem o repolho roxo como uma possibilidade para atividades experimentais em Química, especialmente como indicador ácido-base e escala de pH. Neste estudo analisamos as publicações dos anais do ENEQ a partir do ano de 1996 até 2018 (último ENEQ) e todas as publicações da revista Química Nova na Escola, cujo ano inicial é 1995. A constituição da amostra foi realizada por meio de busca pela palavra-chave repolho roxo. O presente artigo tem como objetivo principal apresentar um panorama geral das publicações sobre o uso desta planta em atividades no ensino de Química.   

pesquisa bibliográfica, experimentação, indicador ácido-base

02-EQM-29-12.pdf PDF: Espaço Aberto

 

Uma discussão sobre a descoberta do tecnécio à luz de alguns aspectos da natureza da Ciência

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160288

Lucas dos S. Fernandes

História da Química

Este estudo parte do pressuposto que compreender a natureza da Ciência pode contribuir para a construção de conhecimentos sobre a Ciência. O objetivo do presente trabalho consiste em discutir a descoberta do tecnécio à luz de alguns aspectos da natureza do trabalho científico. Esse episódio histórico apresenta-se como um importante marco para o desenvolvimento da Tabela Periódica, uma vez que o tecnécio, previsto por Mendeleev, no final do século XIX, e por Moseley, no início do século XX, foi descoberto apenas em 1937 por Emílio Segrè e Carlo Perrier. A narrativa desse caso histórico apresenta potencial didático, pois evidencia algumas características essenciais da natureza da Ciência e poderá contribuir para que professores e estudantes desenvolvam visões mais adequadas sobre o desenvolvimento científico e tecnológico.  

tecnécio, natureza da ciência, história da química

02-EQM-29-12.pdf PDF: História da Química

 

Estudo das funções da química orgânica com o uso do kit molecular de aprendizagem Atomlig

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160277

Renato K. Zanqui
Emilly L. Borghi
Marize L. S. Passos
Isaura Alcina M. Nobre

Relatos de Sala de Aula

Desenvolver em sala de aula práticas alternativas à abordagem tradicional vem se tornando uma realidade no ensino de química. O lúdico é um caminho para a elucidação de práticas inovadoras que incentivem o interesse em aprender. Assim, o kit molecular Atomlig 107 pode ser usado em atividades escolares abordando conteúdos da química tais como as funções orgânicas. Este trabalho tem caráter qualitativo e realizou-se com um grupo de estudantes da terceira série do ensino médio de uma escola estadual. Para análise foi usado uma atividade de verificação da aprendizagem, além da própria observação do professor em sala. Essa abordagem evidenciou a possibilidade de combinar instrumentos e que atividades lúdicas, quando elaboradas com intenção pedagógica, contribuem com a aprendizagem. Além disso, as práticas pedagógicas diversificadas também contribuem para aproximar os estudantes dos conceitos químicos de forma interativa e sendo um complemento ao livro didático e às aulas expositivas.   

kit molecular Atomlig, modelagem no ensino, funções orgânicas

02-EQM-29-12.pdf PDF: Relatos de Sala de Aula

 

Plástico no Mar: Polímeros à Deriva!

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160284

Amélia B. de Souza
Anne Caroline C. Santos
Joseane de A. Santana
Maria Clara P. Cruz

Relatos de Sala de Aula

O objetivo deste trabalho foi utilizar o tema Poluição Marinha por Plásticos no ensino de polímeros através da abordagem Ciência, Tecnologia e Sociedade (CTS). A intervenção didática ocorreu numa escola pública em Sergipe com estudantes da 3a. série do Ensino Médio. O intuito foi estudar o tripé polímero-plástico-sociedade e o desenvolvimento de valores como descritos em Santos e Mortimer (2000). A análise dos discursos dos alunos por Análise Textual Discursiva (ATD) evidenciou a relevância do estudo das questões sociocientíficas relativas aos impactos sociais provocados pelos plásticos nos mares e contribuiu para a aprendizagem dos estudantes por meio da apropriação dos conceitos científicos, conseguindo relacionar a ciência ao cotidiano, além de uma posição crítica.   

poluição marinha, polímeros, ciência, tecnologia e sociedade

02-EQM-29-12.pdf PDF: Relatos de Sala de Aula

 

Evasão e permanência em um curso de Licenciatura em Química: o que o PIBID tem a oferecer?

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160283

João Paulo M. Lima
Veleida A. Silva
Wilmo E. Francisco Junior

Ensino de Química em Foco

A presente pesquisa teve como objetivo analisar possíveis interrelações entre a participação no PIBID e o percurso acadêmico durante a graduação. Para tanto, utilizou a análise de dados de evasão, permanência e conclusão do curso de Licenciatura em Química da Universidade Federal de Sergipe (UFS/Campus de São Cristóvão) obtidos por meio do Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas (SIGAA). Também foram realizadas entrevistas com um grupo de bolsistas no intuito de melhor compreender as influências do programa nesta trajetória acadêmica. Os dados revelaram que o PIBID interfere positivamente na evasão, permanência e formação no prazo regular. A entrevista com o grupo de pibidianos indicou que o programa colabora com apoio financeiro, bem como em oportunizar experiências acadêmicas, fortalecendo a identidade com o curso.    

PIBID, formação de professores de química, evasão

02-EQM-29-12.pdf PDF: Ensino de Química em Foco

 

Contos para o Ensino de Química: Uma abordagem Investigativa

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160287

Lorena de Q. Pimentel
Tatiana S. Andrade
Erivanildo L. da Silva

Ensino de Química em Foco

O objetivo deste trabalho é investigar se as características do gênero literário conto contribuem ou não para o desenvolvimento de uma Sequência de Ensino Investigativo (SEI). Para isso, produzimos uma SEI abordando a temática agrotóxico, tendo como elemento centralizador o conto elaborado pelos autores deste artigo. A SEI foi submetida a um processo de validação sistematizada com especialistas por meio do design research, e deste processo emergem os dados do estudo. A análise foi realizada a partir da Análise de Conteúdo, buscando perceber no escrito as características que definem um conto (brevidade, função, unidade de efeito e conflito) e a relação entre elas e as etapas da SEI. Conforme os apontamentos dos especialistas, concluímos que a articulação entre Literatura e Ciências proposta na SEI se apresenta como um material que pode possibilitar um ambiente de reflexão, que abre espaço, em sala, para o debate de um tema socialmente relevante para o contexto dos estudantes.  

conto, atividade investigativa, ensino de química

02-EQM-29-12.pdf PDF: Ensino de Química em Foco

 

A elaboração do conceito de transformação química em uma perspectiva bilíngue bimodal

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160282

Lidiane L. S. Pereira
Thalita C. Curado
Anna M. C. Benite

O Aluno em Foco

A presente pesquisa participante teve como objetivo discutir aspectos da elaboração do conceito de transformação química por alunos surdos, trazendo elementos que podem auxiliar os professores de Química a repensarem suas práticas docentes em um ambiente bilíngue bimodal. Os dados foram coletados a partir da gravação em áudio e vídeo de um curso de extensão para surdos, e as interações discursivas foram traduzidas, transcritas e submetidas a Análise Dialógica do Discurso. Nossos dados nos mostraram que a elaboração do conceito de transformação química pelos alunos surdos não difere substancialmente dos alunos ouvintes, entretanto, professor e TILS, por meio da utilização de diferentes modos semióticos, podem contribuir para o acesso e desenvolvimento do pensamento químico por alunos surdos.   

surdos, bilíngue bimodal, transformação química

02-EQM-29-12.pdf PDF: O Aluno em Foco

 

O estudo da teoria ácido-base de Lewis a partir de reações com substâncias fenólicas de plantas medicinais

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160278

Wladimyr M. Albano
Marcelo G. Santos
Wagner G. Bastos

Experimento no Ensino de Química

Este estudo é uma proposta de experimento com execução simples, que utiliza materiais de fácil aquisição e baixo custo, com o tema plantas medicinais, possibilitando o ensino de conceitos da Química, Física e Biologia. Por infusão, foi realizada uma extração de substâncias fenólicas em seis plantas medicinais. As substâncias reagiram com uma solução aquosa de cloreto férrico a 1% (p/v) formando sais de diferentes cores, de acordo com o número de hidroxilas presentes em suas estruturas. O experimento possibilita um estudo da Química envolvida, através da abordagem de funções orgânicas e do estudo da teoria ácido-base de Lewis, e ainda correlacionando cor, energia e luz.   

práticas didáticas, teoria ácido-base, estudo das cores

02-EQM-29-12.pdf PDF: Experimento no Ensino de Química

 

Sequência de ensino investigativa para o ensino do conceito de quantidade de substância (mol)

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160286

Jadis Henrique P. da Silva
Solange W. Locatelli
Maria Eunice R. Marcondes

Experimentação no Ensino de Química

O conceito de quantidade de substância ainda é considerado um centro de dificuldades para alunos e professores. Muitas vezes, as abordagens desse tema se resumem a uma apresentação matemática em conjunto com sua definição teórica, o que parece não ser suficiente para que os estudantes compreendam o seu significado. Tendo em vista esse quadro, apresenta-se e discute-se aqui uma estratégia metacognitiva para o ensino de quantidade de substância, com a proposição de uma atividade experimental apoiada nas teorias do autoquestionamento e da aprendizagem autorregulada, aplicada a alunos de um curso popular mantido pela Universidade Federal do ABC, utilizando-se materiais de baixo custo e fácil acesso. Os resultados mostraram que a estratégia do autoquestionamento auxiliou os estudantes na resolução da tarefa, indicando a ocorrência da revisão de conceitos químicos relacionados.  

quantidade de substância, mol, estratégia metacognitiva

02-EQM-29-12.pdf PDF: Experimentação no Ensino de Química

 

É, na aula de Química eu não vejo alguma possibilidade: as vozes de docentes e discentes sobre a Educação Sexual no ensino de Química

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160290

Joice Hinkel
Carolina dos S. Fernandes

Cadernos de Pesquisa

A presente pesquisa tem como objetivo central apresentar as concepções de discentes e docentes acerca da Educação Sexual no Ensino de Química. Foram utilizados dois instrumentos para a coleta de dados: entrevista coletiva e questionário. Na entrevista participaram 6 docentes de escolas públicas da região Sul do país e no questionário 15 estudantes em preparação para ingresso no Ensino Superior. Após análise dos dados em que se utilizou a metodologia de Análise Textual Discursiva (ATD), emergiram três categorias: Educação Sexual (in)visível nas vozes de docentes e discentes; obstáculos na abordagem da Educação Sexual no Ensino de Química da Educação Básica; e Educação Sexual à luz de diferentes olhares e perspectivas para o Ensino de Química. Destaca-se a presença de questões ligadas às relações de gênero e violências no espaço escolar, sendo esses temas potenciais para o trabalho no Ensino de Química. Essa pesquisa poderá contribuir para ampliar as discussões sobre a temática Educação Sexual e seus diálogos com o Ensino de Química.    

sexualidade, ensino de química, educação sexual

02-EQM-29-12.pdf PDF: Cadernos de Pesquisa

 

Revista Completa 44-3

20-Normas.pdf PDF: Revista Completa

 

Normas

20-Normas.pdf PDF: Normas para Submissão

 

Sociedade Brasileira de Qumica 2022

Voltar Coleo Completa | Ir ao Volume Anterior

on-line ISSN 2175-2699
impreso ISSN 0104-8899
Apoio a Projetos
CNPq
Desenvolvido por EKMF.