Voltar Coleo Completa | Ir ao Volume Anterior

QNEsc Vol. 46 No 2

Qumica Nova na Escola
Vol. 46 No 2
Maio de 2024

Editorial

editorial.pdf Editorial PDF   HTML

Os Editores

 

Expediente/Sumário

 PDF: Expediente/Sumário

 

Modelos moleculares alternativos: uma proposta econômica e interdisciplinar para o ensino de Química e Matemática

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160366

Rayanne P. W. Lima
Lilyane G. Figueiredo
Suzana G. Machado
Eloi A. S. Filho

Espaço Aberto

O ensino de Química e Matemática pode ser desafiador devido à necessidade de percepção visual e abstração. Uma estratégia para contornar essa problemática é o uso da interdisciplinaridade entre Química e Matemática com associação dos conhecimentos individuais de cada área, aplicados a um modelo físico. Neste trabalho é proposta a construção de um modelo molecular desmontável como uma alternativa prática e de baixo custo para auxiliar no ensino de geometria molecular em associação ao ensino de ângulos, trigonometria e geometria plana na Matemática. Além disso, o artigo propõe uma atividade prática em que os alunos desenham as geometrias moleculares no papel e constroem o modelo físico correspondente. Também é demostrado o cálculo prático da estrutura molecular da amônia (NH3) representado neste modelo físico, onde os comprimentos de ligações e seus ângulos foram utilizados para obtenção da altura e áreas relacionadas ao sólido geométrico proposto.

geometria, moléculas, ensino

 PDF: Espaço Aberto

 

A nucleossíntese estelar e os elementos químicos essenciais para a vida

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160360

Luana R. da Conceição
Roberto Ortiz

Atualidades em Química

A nucleossíntese estelar é o principal mecanismo formador dos elementos químicos no Universo. Diferentes tipos de reações nucleares de fusão ocorrem nas várias fases evolutivas das estrelas de diferentes massas. Neste artigo, descrevemos alguns dos principais mecanismos de síntese nuclear em estrelas e as abundâncias dos elementos formados. Em seguida, fazemos uma breve discussão sobre a formação e evolução terrestre e suas consequências para a abundância de elementos químicos na Terra e nos seres vivos. As moléculas da vida são formadas principalmente por hidrogênio, carbono, oxigênio e nitrogênio que, juntamente com o hélio, constituem-se nos elementos químicos mais abundantes no Sol e no Universo como um todo. Entre os 24 elementos químicos considerados essenciais para os organismos vivos, somente seis deles possuem Z > 28. Além de serem mais abundantes, hidrogênio, carbono, oxigênio e nitrogênio possuem características versáteis que favorecem a formação de diversas moléculas da vida, tais como aminoácidos, açúcares, ácidos graxos, etc. Os demais elementos essenciais para a vida ocorrem em concentrações bem menores, assim como sua disponibilidade no meio ambiente.

astroquímica, abundâncias químicas, astrobiologia

 PDF: Atualidades em Química

 

Construção de uma casa sustentável: explorando desenvolvimento de projetos e abordagem STEM no novo Ensino Médio

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160364

Guilherme Seminatti
Thiago B. Cavassani

Relatos de Sala de Aula

Poucos trabalhos na literatura discutem formas de implementação e resultados eventualmente alcançados no trabalho com projetos de ciências previstos na estrutura do novo Ensino Médio. Assim, este artigo consiste de um relato de experiência em que são discutidos os caminhos de implementação e os resultados obtidos no projeto de construção de uma casa sustentável (CS) do itinerário formativo Meu Papel no Desenvolvimento Sustentável. Fundamentado na abordagem STEM, os resultados salientam as oportunidades abertas ao trabalho interdisciplinar na aprendizagem de conceitos como separação de substâncias, nomenclatura e propriedades químicas. Destacamos o engajamento e a posição ativa dos estudantes durante o processo de aprendizagem, além dos meandros e dificuldades para a plena implementação do projeto. Com isso, espera-se contribuir com novos subsídios aos professores da educação básica que tenham a intenção de implementar a abordagem por projetos no novo Ensino Médio.   

STEM, novo Ensino Médio, aprendizagem baseada em projetos, metodologia ativa

 PDF: Relatos de Sala de Aula

  

A química do vinho no Egito Antigo: a Lei 10.639/03 no ensino remoto

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160362

Fernando R. Costa
Thatianny A. L. Silva
Marysson J. R. Camargo
Anna M. Canavarro Benite

Ensino de Química em Foco

O vinho é uma contribuição científico-tecnológica que possui origem em território africano, no Egito Antigo, isto é, em Kemet. Nesta investigação buscamos discutir e analisar a química do vinho em Kemet e os aspectos das representações midiáticas com a implementação da Lei 10.639/03 no ensino remoto, com estudantes da educação básica, no projeto Afrocientista, que buscou reeducar numa perspectiva antirracista. Com elementos de uma pesquisa afrocêntrica, contou-se com a participação de estudantes oriundos da escola pública e de periferia da Grande Goiânia, Goiás. Os resultados dão indícios que é possível discutir os aspectos históricos, culturais e midiáticos sobre os conhecimentos químicos do vinho kemético, tais como as técnicas de preparo, armazenamento, composição, com destaque ao protagonismo pioneiro africano nas ciências e tecnologias, apesar das limitações do ensino remoto.    

química do vinho, ensino remoto, lei 10.639/03, Kemet

 PDF: Ensino de Química em Foco

 

Perfil Sustentável: um jogo didático para o desenvolvimento da temática biogás

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160363

Ana C. Lazaroto
Eduardo V. Masetto
Claudia A. Fioresi
Fernanda O. Lima
Clovis Caetano
André L. Gallina
Letiére C. Soares

Ensino de Química em Foco

O biogás é um biocombustível produzido a partir da degradação da matéria orgânica na ausência de oxigênio e vem ganhando destaque devido ao aproveitamento da biomassa para produção de energia. Buscando inserir esta temática na escola, elaboramos um jogo didático, intitulado Perfil Sustentável, que visa estimular a construção de senso crítico a partir de aspectos ambientais, sociais e culturais por meio de situações-problema. O jogo foi testado e validado, e, após seu desenvolvimento, algumas melhorias sugeridas foram implementadas, tais como: aumentar o número de grupos, promovendo maior participação; classificar as cartas em categorias para facilitar a interpretação das dicas; retomar os perfis que não foram acertados ao final do jogo para sanar as dúvidas remanescentes. Este jogo é uma ferramenta para auxiliar no ensino e aprendizagem, possibilitando a abordagem de questões relacionadas à realidade coletiva da sociedade, além de estimular as discussões em grupo.

biocombustíveis, ensino de ciências, lúdico

 PDF: Ensino de Química em Foco 

 

Elementos do Ensino por Investigação em atividades elaboradas por licenciandos em Química

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160361

Jean M. S. Menezes
Sidilene A. Farias

Ensino de Química em Foco

Compreendendo a importância do Ensino por Investigação (EI) no processo educativo, o objetivo desta pesquisa foi analisar elementos investigativos em atividades elaboradas por licenciandos em Química de Instituições de Ensino Superior públicas de Manaus, AM. Participaram da oficina 11 graduandos, cujas produções didáticas foram analisadas por meio do instrumento Diagnóstico de Elementos do Ensino de Ciências por Investigação (DEEnCI) e da Análise Textual Discursiva. Percebeu-se que os licenciandos entendem a importância que o EI possui e destacaram que tiveram contato com a estratégia de ensino somente em disciplinas de caráter pedagógico, sendo as disciplinas de conteúdo específico ainda ministradas totalmente de maneira tradicional. Os elementos do EI mais evidentes nos planos elaborados foram a definição da situação-problema, dos procedimentos e a coleta de dados e envolvimento dos alunos durante a atividade.

ensino de Química, formação de professores, ensino por investigação

 PDF: Ensino de Química em Foco

 

Motivation to learn through interactive lectures: a chemistry research popularization

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160351

Kenia Naara Parra
Franciani Cássia Sentanin
Ana Claudia Kasseboehmer

Cadernos de Pesquisa

Science popularization projects have been studied from different points of view and theories. However, little is known about how they can affect the motivation to learn. In the present study, the contribution of interactive lectures to motivation to learn chemistry in public school students was analyzed. Four interactive lectures were developed from the partnership between the authors of the present study as science communicators and different research groups of a public university in Brazil. The lectures were presented in a science museum and in the university to around 150 students of three public schools during one year and were analyzed through the Self-Determination Theory. The Intrinsic Motivation Inventory revealed that the lectures promoted the interest, value of chemistry, effort and perceived choice to the detriment of the sense of pressure to learning chemistry. The interviews also showed that the students became more interested and dedicated in chemistry. The results foment the potential of the interactive lectures for motivation to learn and the responsibility of public universities with science popularization projects.

lectures of chemistry, science popularization, selfdetermination theory

 PDF: Cadernos de Pesquisa

 

Revista Completa 46-2

 PDF: Revista Completa

 

Normas

 PDF: Normas para Submissão

Sociedade Brasileira de Qumica 2024

Voltar Coleo Completa | Ir ao Volume Anterior

on-line ISSN 2175-2699
impreso ISSN 0104-8899
Apoio a Projetos
CNPq
Desenvolvido por EKMF.