Voltar à Coleção Completa | Ir ao Volume Atual

Prelo

Artigos que aguardam publicação

 

Ambiente Virtual de Aprendizagem para a Aplicação de Atividades Didáticas Pautadas na Resolução de Estudos de Caso

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160125

Nilcimar S. Souza
Patrícia F. O. Cabral
Salete L. Queiroz

Educação em Química e Multimídia

Neste trabalho temos como objetivo apresentar as funcionalidades e ferramentas do Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) denominado eduqui.info, no qual atividades pautadas na resolução de estudos de caso são conduzidas no contexto do ensino de química. O conhecimento sobre as potencialidades do AVA, de acesso gratuito, viabiliza o julgamento do professor a seu respeito, possibilitando a disseminação de práticas didáticas que aliem as vantagens advindas da estratégia de ensino (método de estudo de casos) àquelas resultantes do uso das novas tecnologias. O AVA foi avaliado positivamente por graduandos em química, tendo em vista, principalmente, a facilidade de uso de suas ferramentas, a sua importância para a realização das atividades didáticas solicitadas e para a obtenção de informações desejadas.

AVA, estudos de caso, química

02-EQM-29-12.pdf PDF: Educação em Química e Multimídia

 

Da Intencionalidade à Responsabilidade Lúdica: Novos Termos para uma Reflexão Sobre o Uso de Jogos no Ensino de Química

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160124

Cinthia M. Felício
Márlon H. F. B. Soares

Espaço Aberto

Este trabalho procura refletir sobre a temática do lúdico no ensino de química a partir de alguns aspectos da literatura e suas possibilidades em relação à aplicação na sala de aula e possivelmente na própria formação do professor. Refletimos, a partir da literatura e de trabalhos já publicados, sobre questões inerentes ao referencial teórico do lúdico, propondo uma linguagem sistemática e intencional que auxilie os profissionais que fazem ou desejam conhecer essa área de investigação, oferecendo bases que evidenciam aspectos do desenvolvimento cognitivo, psicológico, sociais e formativos, a partir do seu potencial para o desenvolvimento criativo e autônomo dos sujeitos. A ideia básica é propor novos termos que possam auxiliar os pesquisadores em alguns aspectos do jogo em sua aplicação e na possibilidade desses conhecimentos fazerem parte da formação de professores.

lúdico, ensino de química, jogos em ensino de química

02-EQM-29-12.pdf PDF: Espaço Aberto

 

As Muitas Interpretações da Entropia e a Criação de Um Material Didático Para o Ensino da Interpretação Probabilística da Entropia

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160115

Higo L. B. Cavalcanti
Edvan A. Ferreira
Paloma G. Abrantes
Gláucia N. Cavalcanti

Conceitos Científicos em Destaque

A entropia é um conceito de difícil compreensão e, a fim de auxiliar seu entendimento, existem diversas interpretações, sendo a tendência à desordem uma das mais famosas. Neste trabalho é discutida brevemente a origem do termo entropia, bem como diferentes maneiras de interpretá-la, com especial enfoque na interpretação probabilística da entropia. É descrita a construção de um material alternativo denominado Entropiômetro, que tem por finalidade auxiliar na compreensão da entropia em termos de probabilidade de estados, e também sua aplicação em sala de aula.

entropia, microestados, termodinâmica

02-EQM-29-12.pdf PDF: Conceitos Científicos em Destaque

 

Análise dos Artigos Sobre "Natureza da Ciência" Publicados na Seção História da Química da Revista QNEsc entre 1995-2016

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160117

Viviane Arrigo
Natany D. S. Assai
Álvaro Lorencini Jr.
Mariana A. B. S. de Andrade
Fabiele C. D. Broietti

História da Química

A incorporação de aspectos históricos e filosóficos no ensino tem sido conduzida no sentido de compreender a Natureza da Ciência. Nesse cenário, nosso objetivo consistiu em analisar artigos que enfatizam aspectos da construção do conhecimento científico para ensinar Química. Para isso, selecionamos 38 artigos da seção História da Química, da revista Química Nova na Escola, publicados entre 1995 e 2016. A análise textual aplicada ao corpus selecionado permitiu identificar que apenas 9 dos 38 artigos analisados enfatizam a construção do conhecimento científico por meio da História e da Filosofia da Ciência (HFC); os demais não discutem tais aspectos na abordagem priorizada nesta investigação, utilizando-a atrelada a outros objetivos como: a História da Ciência em livros didáticos de Química; feitos científicos com ênfase nos aspectos históricos, filosóficos e científicos de uma época, entre outros. Ressaltamos a importância em reconhecer o caráter didático da utilização da HFC para abordagem dos conteúdos a fim de possibilitar uma (re)significação dos conhecimentos químicos.

natureza da ciência, história da química, conhecimento científico

02-EQM-29-12.pdf PDF: História da Química

 

Modelizações Astronáuticas na Perspectiva da Educação CTS: Proposta de Atividade Integradora ao Ensino de Ciências

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160120

Paulo Vitor T. Souza
Nicéa Q. Amauro
Marcos Fernandes-Sobrinho

Relatos de Sala de Aula

Neste texto apresentam-se resultados de uma proposta de atividade pedagógica tomando-se aspectos das inter-relações Ciência-Tecnologia-Sociedade (CTS), em que as ações realizadas se apropriam da elaboração e do lançamento de modelos de foguetes desenvolvidos a partir de garrafas de polietileno tereftalato (PET). A pesquisa foi desenvolvida durante 9 (nove) aulas de Química em uma escola pública, do interior da região Centro-Oeste, no estado de Goiás, Brasil. Os resultados apontam que a elaboração de modelos de foguetes pode ser uma alternativa didática viável para alcançar pressupostos da educação CTS, uma vez que insere os estudantes em momentos de avaliação de situações-problema, tomada de decisão crítica e responsável e, ainda, oferece elementos para superar a visão de ensino-aprendizagem compartimentada de conhecimentos científicos e tecnológicos. Sinalizam, ainda, a educação CTS como aliada importante e exequível para o ensino e a aprendizagem de conceitos relacionados à Química, Física, Matemática e Artes, por meio da contextualização do conhecimento e da interdisciplinaridade.

educação CTS, intervenção pedagógica, foguetes

02-EQM-29-12.pdf PDF: Relatos de Sala de Aula

 

Corantes: Uma Abordagem com Enfoque Ciência, Tecnologia e Sociedade (CTS) Usando Processos Oxidativos Avançados

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160118

Wendel M. Ferreira
Letícia B. da Rocha
Lenalda D. dos Santos
Bárbara L. S. R. Santos
Ângelo F. Pitanga

Relatos de Sala de Aula

Este artigo apresenta um relato de experiência da elaboração e aplicação de uma intervenção didática, fundamentada no enfoque CTS, usando corantes como temática. A abordagem de natureza predominantemente qualitativa, aliada à realização de experimentos de Processos Oxidativos Avançados, constituiu o aporte metodológico da pesquisa. Para a coleta dos dados, utilizou-se um questionário inicial e a produção de um texto dissertativo-argumentativo. Inicialmente, observou-se um baixo número de respostas (50 a 100% de abstenções), mesmo para questões que tratavam de conteúdos ligados aos currículos de séries já cursadas. Após a intervenção, percebeu-se uma apropriação de conceitos científicos concernentes aos aspectos investigados, tais como: ampliação da capacidade argumentativa e criticidade em relação ao uso dos corantes, o que favorece uma atuação cidadã. Por isso, acredita-se que a aproximação de temas sociais com atividades experimentais, num enfoque CTS, representa uma proposta promissora para melhoria das aulas de Química.

ciência, tecnologia e sociedade, experimentação, processos oxidativos avançados

02-EQM-29-12.pdf PDF: Relatos de Sala de Aula

 

Aprendizagem Ativo-Colaborativo-Interativa: Inter‑Relações e Experimentação Investigativa no Ensino de Eletroquímica

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160121

Tâmara N. P. Santos
Carlos H. Batista
Ana P. C. de Oliveira
Maria C. P. Cruz

Relatos de Sala de Aula

A Eletroquímica é um conteúdo desafiador para o ensino de Química. No contexto de uma era na qual predomina a Tecnologia da Informação e Comunicação, estudantes devem e podem desenvolver habilidades e competências voltadas a este desafio, de forma ativa. A presente pesquisa objetiva expor uma metodologia experimental investigativa, utilizando materiais de baixo custo e não tóxicos, a exemplo de limões e batatas do tipo inglesa, de tal maneira que os alunos se voltem à experimentação para a construção de pilhas bioquímicas. A experimentação abordada é bem fundamentada na literatura, o diferencial é a metodologia proposta envolver uma abordagem didática desafiadora para alunos nativos digitais. Os alunos do Curso Técnico em Química do Instituto Federal de Sergipe puderam entender o porquê de acender um diodo de 1,5 V num conjunto de pilhas, sob mediação do professor. Os discursos escritos pelos educandos foram analisados utilizando a Análise Textual Discursiva (ATD). As inter-relações entre alunos ativos, colaborativos e interativos potencializam as aprendizagens por desenvolver um efeito sinergético na construção do conhecimento.

eletroquímica, experimentação, pilhas caseiras

02-EQM-29-12.pdf PDF: Relatos de Sala de Aula

 

O Uso de Mapas Conceituais no Ensino da Tabela Periódica: Um Relato de Experiência Vivenciado no PIBID

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160119

Neusa N. Fialho
Ricardo P. Vianna Filho
Magda R. Schmitt

Relatos de Sala de Aula

Os mapas conceituais podem auxiliar o ensino de Química de maneira significativa, estimulando os estudantes a lidar com as informações para transformá-las em conhecimento. O presente trabalho apresenta um relato de experiência sobre o uso de mapas conceituais no estudo da tabela periódica dos elementos. Trazemos também uma atividade alternativa a esta estratégia de ensino, mais especificamente um quebra-cabeça de mapas conceituais, o qual denominamos Jigsaw Puzzle Concept Map – JPCM. As atividades realizadas neste relato fizeram parte de um projeto do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência – PIBID, envolveram uma turma do primeiro ano do Ensino Médio e tiveram a duração de um bimestre. Ao final das atividades foi aplicado um questionário, para avaliar a aprendizagem dos estudantes. Os resultados revelaram a relevância de utilizarmos os mapas conceituais em práticas docentes, com indicativos de avançarmos com essa estratégia de ensino, devido ao interesse dos estudantes na realização das atividades e, principalmente, as trocas de ideias entre eles sobre o tema abordado.

tabela periódica, mapas conceituais, JPCM

02-EQM-29-12.pdf PDF: Relatos de Sala de Aula

 

Estudo da Motivação do Aluno no Processo de Ensino e Aprendizagem Promovida pelo Uso de Modelos Moleculares, Validado por Meio de Áudio e Vídeo

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160123

Paulo H. Fabri
Rosana A. Giacomini

Ensino de Química em Foco

Este trabalho buscou construir uma metodologia para validar o estudo da relação da motivação do aluno com o processo de ensino e aprendizagem, frente à realização de estratégias didáticas lúdicas como instrumento de motivação. Para investigar a influência das estratégias na aprendizagem, utilizaram-se os instrumentos: avaliações diagnóstica e continuada, questionário autoavaliativo (escala Likert), registro no caderno de observação e videogravações. A pesquisa foi realizada com alunos do curso de Engenharia de Pesca nas disciplinas de Química Geral e Química Orgânica. Por meio das avaliações diagnóstica e continuada, observou-se que os alunos de ambas as turmas tiveram uma grande evolução conceitual. Pela análise dos questionários autoavaliativos, notou-se que todos os alunos se declararam mais motivados em estudar. Ao final, esses dados foram validados com o auxílio de gravações de áudio e vídeo e com os registros presentes no caderno de observações do professor pesquisador.

motivação do aluno, modelos moleculares concretos, vídeogravações

02-EQM-29-12.pdf PDF: Ensino de Química em Foco

 

Uma Sequência Investigativa Relacionada à Discussão do Conceito de Ácido e Base

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160116

Cleuzane R. Souza
Fernando C. Silva

Ensino de Química em Foco

O ensino pautado na simples transmissão de informações, sem uma atenção para como essa informação vai ser significada pelo estudante, pode explicar a dificuldade na aprendizagem dos conceitos ácido e base. Muitas críticas têm sido feitas a essa forma de abordagem das definições de ácido e base nos livros didáticos. Assim, nosso objetivo foi compreender como os estudantes de duas turmas de Ensino Médio de uma escola pública lidam com os conceitos de ácido e base, após utilização de uma sequência didática com uma abordagem investigativa. Os instrumentos de produção de dados utilizados foram registros escritos dos estudantes, e a Análise Textual Discursiva foi empregada para compreensão desses registros. Embora os estudantes tenham apresentado muitas dificuldades para expor suas ideias, eles fornecerem soluções para o problema levantado e propuseram experimentos. Percebemos uma evolução das ideias relacionadas ao conceito de ácido e base ao longo da sequência didática. No que se refere aos conceitos discutidos, os estudantes reconheceram que a mudança de cor de um indicador está relacionada a sua forma no meio em questão, e que um ácido de Brønsted-Lowry doa o próton (H+) apenas se houver uma base para aceitá-lo. A abordagem investigativa propiciou aos estudantes aplicarem os conceitos ácido e base no contexto da organização de materiais, mas também nos sérios problemas ambientais ocasionados pelo descarte inadequado desses materiais.

educação em química, ensino de ciências por investigação, experimentação no ensino médio

02-EQM-29-12.pdf PDF: Ensino de Química em Foco

 

Medindo a Pressão Osmótica de Soluções em Osmômetro Construído com Membrana de Ovos de Aves

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160122

Marcelo G. Santos
Wagner G. Bastos

Experimentação no Ensino de Química

Osmômetros caseiros são utensílios usados para demostrar o efeito osmótico. Eles são de fácil construção e populares nos livros didáticos. Alguns professores, inspirados nas figuras de osmômetros dos livros, tentam reproduzir tal procedimento e são levados à frustração pelo resultado negativo. O fracasso da experiência, na maioria dos casos, é creditado ao papel celofane utilizado. Atualmente, a maioria do papel celofane comercializado é na verdade um plástico colorido que não imita as características de uma membrana semipermeável, importantíssima no fenômeno da osmose. A alternativa proposta é a de usar a membrana interna (coquilífera) do ovo (óvulo) de galinha ou de codorna como fonte de membrana semipermeável para a montagem do osmômetro tradicional, em substituição ao papel celofane.

pressão osmótica, osmômetro, membrana coquilífera

02-EQM-29-12.pdf PDF: Experimentação no Ensino de Química

 

Voltar à Coleção Completa

Sociedade Brasileira de Química © 2018

on-line ISSN 2175-2699
impreso ISSN 0104-8899
Apoio a Projetos
CNPq
Desenvolvido por EKMF.