Voltar à Coleção Completa | Ir ao Volume Anterior

QNEsc Vol. 33 No 3

QNEsc - Vol. 33 No 3 - Agosto - 2011

QNEsc33-3capa.jpg

Editorial

134-Editorial_33-3.pdf Editorial PDF  HTML

Os Editores


Saberes Populares Fazendo-se Saberes Escolares:
Um Estudo Envolvendo a Produção Artesanal do Pão

Luciana Dornelles Venquiaruto
Rogério Marcos Dallago
Jenifer Vanzeto
José Claudio Del Pino

Química e Sociedade

Neste artigo, apresentaremos os resultados de uma pesquisa que investigou os saberes populares relacionados ao preparo artesanal do pão. O presente trabalho foi desenvolvido na tentativa de transformar os saberes populares de um determinado grupo social em saberes que façam parte do currículo escolar. A parte empírica desenvolveu-se a partir de entrevistas semiestruturadas com um grupo de pequenas agricultoras do norte do estado do Rio Grande do Sul, que detém conhecimentos sobre o processo de fabricação do pão. A interlocução com essas informantes possibilitou reflexões a cerca desta investigação e estas, por sua vez, propiciaram a construção de atividades experimentais a serem desenvolvidas no mbito escolar, no caso específico, experimentos envolvendo cinética química e densidade.

Saberes populares, pão, cinética química, densidade

135-QS0511.pdf PDF: Química e Sociedade


Por que Foi Mesmo que a Gente Foi L?
Uma Investigao sobre os Objetivos dos Professores ao Visitar o Parque da Ciência Newton Freire-Maia

Alan Eduardo Wolinski
Joanez Aires
Christiane Gioppo
Orliney Guimarães

Espaço Aberto

Este estudo investigou a utilização do Parque da Cincia Newton Freire-Maia, um espaço de divulgação científica na região de Curitiba (PR), por professores e estudantes do ensino médio oriundos de colégios de autarquia estadual e privada. Dois questionários foram aplicados, um para professores e outro para estudantes, apõs a visita a esse parque com o objetivo de identificar se o professor estabeleceu e explicitou os objetivos para a visita. Os estudantes mostraram dificuldades para entender os objetivos da atividade fora da sala de aula, e isso nos permitiu perceber que há necessidade de mencionar claramente tais objetivos no planejamento por parte dos professores, além de planejar atividades preliminares e posteriores à atividade de forma que haja continuidade do trabalho aps a visita no retorno ao ambiente escolar.

centros de ciência; educação não formal; alfabetização científica

142-EA06509.pdf PDF: Espaço Aberto 1



A Matriz de Referência do ENEM 2009 e o Desafio de Recriar o Currículo de Química na Educação Básica

Nicole Glock Maceno
Jaqueline Ritter-Pereira
Otavio Aloisio Maldaner
Orliney Maciel Guimares

Espaço Aberto

A proposição de matrizes vem sendo recorrentes no Brasil a partir da Lei de Diretrizes e Bases da Educao Nacional (Brasil, 1996) a fim de induzir a reorganização curricular na educação bsica, preconizando os princípios de interdisciplinaridade e de contextualização para o desenvolvimento cognitivo dos alunos. Nesse contexto, o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) emerge como possibilidade de contemplar tais princípios e vem ganhando legitimidade no contexto escolar e na formação de professores. No presente texto, analisou-se o que é preconizado para o ensino na Matriz de Referência do ENEM 2009 (Brasil, 2009a), especificamente na área de Ciências da Natureza e suas Tecnologias e nos objetos de conhecimento, no qual foram identificadas contradições entre o que defende tal Matriz em relação ao seu anexo, podendo induzir às interpretações equivocadas, resgatar um tipo de ensino já em fase de superação e inviabilizar a inovação educacional na educação básica.


ENEM, Currículo, Matriz de Referência

153-EA09210.pdf PDF: Espaço Aberto 2



Utilização do Cinema na Sala de Aula: Aplicação da Química dos Perfumes no Ensino de Funções Orgnicas Oxigenadas e Bioquímica

Paloma N. Santos
Kátia A. S. Aquino

Relatos de Sala de Aula

O presente artigo descreve uma intervenção didática desenvolvida com estudantes de duas turmas da 3 ano do ensino médio, nas quais se utilizou um filme comercial para abordagem dos conteúdos de funções orgnicas e bioquímica. As atividades incluíram resgate de conceitos prévios dos alunos após a exibição do filme, discussão e socialização de conhecimentos e produção de textos baseados na temática química dos perfumes.

cinema, perfumes, química orgânica

160-RSA02910.pdf PDF: Relatos de Sala de Aula 1


Desafio Militar: Missão Dada é Missão Cumprida
Contextualização e Interdisciplinaridade na Educação Química

Sérgio Henrique Frasson Scafi
Jefferson Biajone

Relatos de Sala de Aula

Relata-se neste trabalho a contextualização e a interdisciplinaridade no ensino de química aplicado a uma atividade de vivência militar. No curso da Escola Preparatória de Cadetes do Exército, os alunos participam de proposta de atividade interdisciplinar nomeada Desafio Militar, que consiste no cumprimento de missões de cunho militar como a simulação de detonação de uma ponte e a destruição de peças de artilharia inimigas. Vivenciando a aplicabilidade da Química em missões desse tipo, os alunos, utilizando conhecimentos adquiridos em todas as disciplinas, resolvem situações problemáticas e tarefas que os levam não só a cumprir a missão que receberam, mas a desenvolver, no processo, o raciocínio lógico e os atributos da área afetiva que são fundamentais para o militar. Como resultado, essa atividade evidenciou o fato de que quando ela se relaciona com o futuro exercício profissional do aluno, este demonstra vivenciar uma aprendizagem muito mais significativa e maiores níveis de motivação pela carreira das armas.

Ensino Militar, Ensino de Química, Práticas Interdisciplinares

168-RSA09610P.pdf PDF: Relatos de Sala de Aula 2


Bulas de Medicamentos, Vídeo Educativo e Biopirataria:
Uma Experincia Didática na Amaznia

Leidiane C. Lauthartte
Wilmo E. Francisco Junior

O presente artigo relata uma sequncia de ensino desenvolvida com o intuito de abordar conceitos químicos e promover a discussão de temas significativos aos estudantes. As atividades foram realizadas basicamente em quatro etapas: (i) leitura de bulas de medicamentos e exposição oral e escrita de suas principais características; (ii) apresentação e breve discussão de um vídeo sobre a síntese de fármacos seguido de registro escrito; (iii) leituras sobre biopirataria e realização de um debate por meio de um júri químico; (vi) avaliação geral da sequncia a partir de cartas. As atividades desenvolvidas promoveram a participação dos estudantes e a exposição de seus pontos de vista, tanto mediante a escrita quanto oralmente.

atividades lúdicas, leitura, biopirataria

178-RSA06210.pdf PDF: Relatos de Sala de Aula 3


SOS Mogi-Guaçu:
Contribuições de um Estudo de Caso para a Educação Química no Nível Médio

Osmair Benedito da Silva
Jane Raquel Silva de Oliveira
Salete Linhares Queiroz

Relatos de Sala de Aula

Este artigo descreve a aplicação do estudo de caso intitulado SOS Mogi-Guaçu em uma turma de química do ensino médio. As atividades didáticas favoreceram a busca e a análise de informações relacionadas à poluição de ambientes aquáticos, à reflexão sobre as prováveis causas de problemas reais, à tomada de decisão e à sugestão de possíveis soluç,ões para o caso por parte dos alunos. Na percepção destes, a proposta também desenvolveu a capacidade de investigar e solucionar problemas, de realizar trabalhos em grupo e de comunicação oral. Portanto, tais atividades, pautadas na metodologia de estudo de casos, mostraram-se potencialmente capazes de atender às novas demandas formativas para a educação básica.

método estudo de casos, educação química, abordagem sociocientífica

185-RSA09110.pdf PDF: Relatos de Sala de Aula 4


Bismuto

Fabrício Eugnio Alves
Wendell Guerra
Keila Cristina Cunha e Silva

Elemento Químico

193-EQ0810.pdf PDF: Elemento Químico



Sociedade Brasileira de Química © 2011

on-line ISSN 2175-2699
impreso ISSN 0104-8899
Apoio a Projetos
CNPq
Desenvolvido por EKMF.