Voltar Coleo Completa | Ir ao Volume Anterior

QNEsc Vol. 35 No2

QNEsc - Vol. 35 No 2 - Maio - 2013

QNESC_35-2_capa.jpg

Editorial

01-Editorial.pdf Editorial PDF  HTML

Os Editores


Amido: Entre a Ciência e a Cultura

Régis Casimiro Leal
José Machado Moita Neto

Química e Sociedade

O processo artesanal de obtenção da goma (amido) e do uso desta para fabricação de cola artesanal (grude) pode ser iluminado pelos conhecimentos científicos atuais. Também os sistemas apresentados podem exemplificar mecanismo de adesão e a biodegradabilidade de materiais, tornando o ensino contextualizado.

cola, amido, polímeros naturais

temas ambientais, ensino de ciências da natureza, Enem

02-QS-17-12.pdf PDF: Química e Sociedade


Toxicidade de Metais em Soluções Aquosas: Um Bioensaio para Sala de Aula

Soraya Moreno Palácio
Marcia Borin da Cunha
Fernando Rodolfo Espinoza-Quiñones
Daniele Alves Nogueira

Química e Sociedade

Este artigo tem como objetivo propor a utilização de um bioensaio simples e de baixo custo para abordar os efeitos de metais em soluções aquosas em diferentes concentrações. O bioensaio é realizado utilizandose bulbos de cebola (Allium cepa) para monitorar os efeitos do cobre, expondo-os diretamente em água contaminada com íons Cu2+. O procedimento consiste em observar o crescimento das raízes da cebola por um determinado período e analisar a inibição desse crescimento em função da presença de concentrações crescentes de um metal. Os resultados obtidos no laboratório escolar possibilitam verificar o efeito fito-tóxico do aumento da concentração do metal ao organismo-teste e correlacionar com a contaminação ambiental e suas consequências à saúde humana.

metais, toxicidade, bioensaio

temas ambientais, ensino de ciências da natureza, Enem

03-QS-61-11.pdf PDF: Química e Sociedade


Cotidiano e Contextualização no Ensino de Química

Edson José Wartha
Erivanildo Lopes da Silva
Nelson Rui Ribas Bejarano

Coceitos Científicos em Destaque

O presente trabalho pretende fazer uma análise de textos que abordam aspectos relacionados ao uso dos termos cotidiano e contextualização no ensino de química, procurando esclarecimentos acerca dos pressupostos epistemológicos e pedagógicos relacionados ao ensino dessa disciplina. Verifica-se que há apropriações variadas dessas duas perspectivas que, por vezes, reduzem-se apenas à contextualização, abordada de uma maneira geral. Conclui-se que, ao fazer uso da perspectiva de contextualização, os trabalhos devem se referir a quais correntes teóricas se filiam. Em termos da perspectiva de uso do termo cotidiano, percebemos que há veiculação, muitas vezes, de visões ingênuas ou pueris.

cotidiano, contextualização e ensino de química

temas ambientais, ensino de ciências da natureza, Enem

04-CCD-151-12.pdf PDF: Coceitos Científicos em Destaque


A Educação Química e o Problema da Automedicação: Relato de Sala de Aula

Maria Laura Maciel da Silva
Paulo César Pinheiro

Relatos de Sala de Aula

Apresentamos um relato de experiência que partiu do problema da automedicação, com o desenvolvimento de cinco aulas de 50 minutos em duas turmas de 2ª série de nível médio de uma escola pública. As aulas envolveram leitura e produção de textos, perguntas e respostas, interpretação de bulas, pesquisa na comunidade, vídeos, aspectos básicos de química orgânica e construção de modelos moleculares. Destacamos o engajamento dos alunos, suas ações e respostas nas atividades realizadas.

automedicação, medicamentos, educação química

temas ambientais, ensino de ciências da natureza, Enem

05-RSA-93-11.pdf PDF: Relatos de Sala de Aula


Improvisações Teatrais no Ensino de Química: Interface entre Teatro e Ciência na Sala de Aula

Hélio da Silva Messeder Neto
Barbara Carine Soares Pinheiro
Nídia Franca Roque

Relatos de Sala de Aula

Motivar o estudante do ensino médio a estudar química vem sendo um desafio constante enfrentado pelos professores. Muitas alternativas para vencer esse desafio vêm sendo propostas, entre elas, o uso das improvisações teatrais, que é uma alternativa lúdica que pode ser utilizada na sala de aula, não apenas para motivar os estudantes, mas também para levantar concepções prévias e posteriores ao ensino de um conteúdo. Trazer o teatro para sala de aula é uma tentativa de integrar ciência e arte, contribuindo para uma formação mais ampla e consciente no ensino médio. Esse trabalho mostra uma metodologia para improvisações teatrais, aplicadas à avaliação em química, pautada no referencial da psicologia de Vygotsky e na metodologia de Viola Spolin, e apresenta os resultados alcançados com uma turma de 1º ano do ensino médio.

improvisações teatrais, ludicidade, ensino de química

temas ambientais, ensino de ciências da natureza, Enem

06-RSA-37-11.pdf PDF: Relatos de Sala de Aula


Construção de Uma Célula Eletrolítica para o Ensino de Eletrólise a Partir de Materiais de Baixo Custo

Elen R. Sartori
Vagner B. dos Santos
Aline B. Trench
Orlando Fatibello-Filho

Experimento no Ensino de Química

Nesse artigo, é descrita a construção de uma célula eletrolítica a partir de materiais de baixo custo para um experimento de eletrólise com uma solução de KI 0,1 mol L-1. Íons iodeto foram oxidados a iodo no ânodo, visualizado pela cor castanho-amarelada formada, e a água foi reduzida no cátodo, produzindo íons hidroxilas que causaram a mudança de cor de uma solução de extrato de repolho roxo. Ademais, determinouse o valor da constante de Avogadro a partir da carga envolvida na eletrólise.

célula eletrolítica, reações de oxidação-redução, eletrólise

temas ambientais, ensino de ciências da natureza, Enem

07-EEQ-02-12.pdf PDF: Experimento no Ensino de Química


Dificuldades de Ensino e Aprendizagem dos Modelos Atômicos em Química

Marlene Rios Melo
Edmilson Gomes de Lima Neto

Pesquisa no Ensino de Química

Estudos comprovam a importância da concepção adequada do que seja modelo científico. Na química, trabalhamos com diversos modelos e os educandos elaboram modelos mentais que podem ou não se aproximar dos modelos científicos. Neste trabalho, apresentaremos a aplicação de texto e experimento por licenciandos de química da Universidade Federal de Sergipe para uma turma de ensino médio que já tinha sido exposta ao desenvolvimento histórico de modelos atômicos. Nossa análise se concentrou tanto na capacidade dos alunos em utilizar a teoria apreendida em sala de aula no levantamento de hipóteses para explicar fenômenos cotidianos, quanto nas limitações da mediação didática das estratégias de ensino aplicadas pelos licenciandos proponentes da pesquisa, limitações essas analisadas por meio do tipo de Discurso do Professor (Villani e Barolli, 2006) predominante na aplicação da pesquisa.

modelos atômicos; formação de professores; Discursos do Professor

temas ambientais, ensino de ciências da natureza, Enem

08-PE-81-10.pdf PDF: Pesquisa no Ensino de Química


A Análise do Conhecimento Pedagógico do Conteúdo no Planejamento de Atividades com a Utilização de Modelos no Ensino de Química

Analice Almeida Lima
Isauro Beltrán Núñez

Pesquisa no Ensino de Química

Este trabalho teve como objetivo analisar os elementos relativos ao conhecimento pedagógico do conteúdo (CPC) que foram mobilizados quando licenciandos de química elaboravam atividades de ensino voltadas à educação básica que envolviam a utilização de modelos. Participaram da pesquisa 13 licenciandos de química da UFRN que cursavam a disciplina Prática de Ensino da Química. Os instrumentos de pesquisa utilizados foram um plano de atividades para abordagem de um conteúdo de química, elaborado por cada licenciando, e uma entrevista semiestruturada. A análise dos dados revelou que diferentes elementos relacionados ao CPC foram mobilizados pelos sujeitos da amostra e que discussões e reflexões pertinentes aos planos de atividades elaborados inicialmente subsidiaram a reelaboração de planos mais adequados ao trabalho com modelos na educação básica de Química.

modelos, formação inicial, saberes docentes

temas ambientais, ensino de ciências da natureza, Enem

09-PE-75-11.pdf PDF: Pesquisa no Ensino de Química


Conexões entre Química e Nutrição no Ensino Médio: Reflexões pelo Enfoque das Representações Sociais dos Estudantes

Carlos Ventura Fonseca
Rochele de Quadros Loguercio

O Aluno em Foco

Muitos são os trabalhos que relacionam a temática da nutrição ao ensino de química, bem como ressaltam a importância da contextualização dos seus conceitos. No presente estudo, investigamos as representações sociais da nutrição de uma turma do ensino médio por meio de uma metodologia que considerou a técnica da evocação livre de palavras e a produção escrita dos educandos. Verificamos que eles entendem que a nutrição é um processo relacionado à saúde, e que, devido à diversidade de entendimentos sobre os efeitos dos alimentos no corpo, estes se constituem como elementos centrais na estrutura das representações dos sujeitos e podem ser usados para contextualizar o conhecimento químico. Além disso, considerando que as representações são atreladas às raízes da história e da cultura, fica evidenciado que a referida metodologia pode ser utilizada por professores, do mesmo modo, em outras turmas e escolas, possibilitando a obtenção de resultados diversificados.

química, nutrição, representações sociais

temas ambientais, ensino de ciências da natureza, Enem

10-AF-31-12.pdf PDF: O Aluno em Foco


TUNGSTÊNIO

Jéssica Frontino Paulino
Júlio Carlos Afonso

Elemento Químico

11-EQ-15-11.pdf PDF: Elemento Químico


Sociedade Brasileira de Qumica © 2012

on-line ISSN 2175-2699
impreso ISSN 0104-8899
Apoio a Projetos
CNPq
Desenvolvido por EKMF.