Voltar Coleo Completa | Ir ao Volume Anterior | Ir ao Prximo Volume

QNEsc Vol. 37 No3

Qumica Nova na Escola
Vol. 37 No3
Agosto de 2015

Editorial

editorial.pdf Editorial PDF   HTML

Os Editores

 

Expediente/Sumário

20-Normas.pdf PDF: Expediente/Sumário

A Radioquímica e a Idade da Terra

DOI: http://dx.doi.org/10.5935/0104-8899.20150035

Daniel Ferreira Araújo
Gerson de Souza Mól

Química e Sociedade

A determinação da idade da Terra é um tema que envolve conhecimentos de radioquímica e que, até que se chegasse a um consenso, foi motivo de grandes debates. Neste trabalho, são apresentadas diferentes visões sobre esse tema, começando pelas ideias vinculadas à religião na Idade Média, passando pelas mudanças na concepção do tempo geológico durante a Revolução Científica até chegar ao desenvolvimento da datação radioativa no século XX. Enfatizam-se controvérsias científicas surgidas, no século XIX, a respeito da idade da Terra, notadamente entre Lord Kelvin e Charles Darwin. Em seguida, aborda-se como Rutherford, fazendo uso da radioatividade, conseguiu realizar a primeira datação radiométrica de um mineral, e a brilhante proposta de Clair Patterson para determinação da idade da Terra em 4,5 bilhões de anos, valor aceito até os dias atuais. Por último, apresenta-se uma escala do tempo geológico e um convite à reflexão sobre a magnitude do tempo de nosso planeta. 

radioatividade, datação isotópica, decaimento radioativo

02-EQM-29-12.pdf PDF: Química e Sociedade

 

Jeans: a relação entre aspectos científicos, tecnológicos e sociais para o Ensino de Química

DOI: http://dx.doi.org/10.5935/0104-8899.20150036

Sinara München
Martha Bohrer Adaime
Leinig Antonio Perazolli
Bruno Estevam Amantéa
Maria Aparecida Zaghete

Química e Sociedade

Este artigo apresenta a história do jeans desde sua criação, algumas modificações vinculadas à moda e a cultura ao longo do século XX, assim como aspectos do modo de produção e as relações com a tecnologia, o ambiente e a ciência. São apontados alguns tópicos que podem ser desenvolvidos no ensino de química a partir do tema jeans e, especificamente, uma abordagem deste sob a perspectiva CTS para o conceito de oxidação-redução. 

jeans, corante índigo, processos de tingimento

02-EQM-29-12.pdf PDF: Química e Sociedade

 

Tabela Periódica Interativa

DOI: http://dx.doi.org/10.5935/0104-8899.20150037

Eloi T. César
Rita de C. Reis
Cláudia S. de M. Aliane

Educação em Química e Multimídia

A tabela periódica é um instrumento de trabalho valioso no ensino de química e seu estudo é fundamental no desenvolvimento do pensamento químico. Contudo, observa-se que a abordagem da classificação dos elementos não se relaciona com a evolução histórica dos conceitos químicos, restando ao estudante decorar e decodificar as informações que estão presentes nela. Nesse sentido, o Centro de Ciências/Universidade Federal de Juiz de Fora traz uma proposta de atividade que busca associar recursos audiovisuais, computacionais e experimentais para levar ao visitante conhecimentos e curiosidades sobre as propriedades dos elementos químicos. Neste artigo, apresentamos a exposição Tabela Periódica Interativa do Centro de Ciências/UFJF, explorando suas potencialidades e repercussões no ensino básico e superior, assim como as contribuições da visita para estreitar as relações entre escola e o espaço não formal de ensino. 

tabela periódica, espaço não formal de ensino

02-EQM-29-12.pdf PDF: Educação em Química e Multimídia

 

Perspectiva de Estudantes de Química sobre Uma Proposta de Produção e Aplicação de Unidades Didáticas e o Impacto do PIBID na Formação Docente

DOI: http://dx.doi.org/10.5935/0104-8899.20150038

Luciana Passos Sá
Andoni Garritz

Espaço Aberto

O impacto das ações do PIBID na formação inicial e continuada de professores tem sido alvo de discussões nos últimos anos. Neste estudo, apresentamos e discutimos as impressões de dez bolsistas de iniciação à docência, estudantes do curso de licenciatura em química da UESC, acerca de uma proposta de ensino fundamentada na produção e aplicação de unidades didáticas sobre os temas: natureza da matéria, soluções e ligações químicas. Também especulamos sobre a influência do PIBID para a formação inicial de professores envolvidos nessa proposta de qualificação docente. Os relatos dos bolsistas acerca de aspectos teóricos e práticos relacionados às situações vivenciadas na sala de aula sinalizam que o PIBID tem contribuído para a formação de um profissional reflexivo, cumprindo, dessa maneira, alguns dos objetivos do programa preconizados pela CAPES. 

PIBID, formação de professores, ensino de química

02-EQM-29-12.pdf PDF: Espaço Aberto

 

Modelos Didáticos e Cinética Química: Considerações sobre o que se Observou nos Livros Didáticos de Química Indicados pelo PNLEM

DOI: http://dx.doi.org/10.5935/0104-8899.20150039

Camila L. Miranda
Camila S. Pereira
José R. Matiello
Daisy B. Rezende

Espaço Aberto

Na Ciência e em seu ensino, o emprego de modelos para a construção do conhecimento e de uma visão adequada de Ciência exerce um papel importante pois, apesar de diversos fenômenos serem observáveis macroscopicamente, os conceitos envolvidos em algumas explicações pertencem ao nível microscópico, necessitando de modelos de mesma característica para sua compreensão. Considerando a importância dos modelos e do papel do livro didático no ensino de Ciências Naturais, o presente artigo apresenta a identificação de diversos modelos associados à cinética química presentes nos livros didáticos de Química selecionados pelo PNLEM/2012-14. 

livro didático, modelos, cinética química

02-EQM-29-12.pdf PDF: Espaço Aberto

 

A Construção de Significados em Química: A Interpretação de Experimentos por Meio do Uso de Discurso Dialógico

DOI: http://dx.doi.org/10.5935/0104-8899.20150040

Ana Luiza de Quadros
Anderson César Lobato
Daniela Martins Buccini
Isabela Simone Silva Lélis
Mariana Luiza de Freitas
Naira Helena Simões do Carmo

Relatos de Sala de Aula

Desenvolvemos esse trabalho com o objetivo de analisar os padrões discursivos de um professor em formação de química, orientado a desenvolver aulas interativas e dialógicas. Nossa atenção se dirigiu para um conjunto de aulas envolvendo o tema energia, discutindo os conceitos de calor e temperatura. Foram realizados experimentos que visavam produzir um fato ou fenômeno sobre o qual as ideias apresentadas pelos alunos eram discutidas e relacionadas ao ponto de vista da ciência. As aulas, desenvolvidas com alunos do ensino médio de escolas públicas, foram gravadas em vídeo e dois experimentos foram selecionados e analisados, considerando a interação discursiva. Para construir significados, o professor, além de discutir amplamente o fato criado, trazia outras situações para ampliar a discussão, que auxiliaram os estudantes no entendimento do fato. Estes expunham suas ideias e a aprendizagem ocorreu pela interação no plano social e pela apropriação de novas ideias no plano individual.

química, aprendizagem, construção de significados

02-EQM-29-12.pdf PDF: Relatos de Sala de Aula

 

Espaços de Formação Continuada de Professores em Escolas Pequenas e Isoladas: Uma Lacuna a Ser Preenchida

DOI: http://dx.doi.org/10.5935/0104-8899.20150041

Simone Gobi Marcolan
Otavio Aloisio Maldaner

Ensino de Química em Foco

Nos processos formativos de professores, um curso de graduação ou uma licenciatura é considerado suficiente para iniciar o exercício profissional. Por outro lado, os processos formativos também acontecem principalmente nas interações sociais, no caso, nas interações entre pares. Há, no interior do Rio Grande do Sul e no Brasil, muitos municípios pequenos com uma única escola de ensino médio e que contam com apenas um professor de química e de outras matérias escolares. Nesses casos, como acontecem os processos de formação continuada desses professores? O presente trabalho decorre de uma investigação mais ampla sobre o tema, objeto de dissertação de mestrado, cujo principal objetivo foi o de verificar e entender o processo de desenvolvimento e ação desses professores em situação especial. Foram investigadas três escolas em três municípios, cada uma com um único professor de química. Os dados utilizados para análise referem-se às respostas dos professores à entrevista, ao estudo documental das escolas e à teoria pertinente. De acordo com os resultados construídos, conclui-se que a formação continuada desses professores é prejudicada e que os programas de ensino propostos aos seus alunos não atendem às suas necessidades de entendimento da realidade em que vivem. 

formação continuada, interação entre pares, educação química, realidade social, formação em química

02-EQM-29-12.pdf PDF: Ensino de Química em Foco

 

Repensando o Pibid-Química da UFJF por Meio da Compreensão do Perfil dos Alunos das Escolas Parceiras

DOI: http://dx.doi.org/10.5935/0104-8899.20150042

Ivoni Freitas-Reis
Andreia F. Afonso
Fernanda L. Faria
Sandra Franco-Patrocínio
Jomara M. Fernandes
Victor G. L. Ferraz
Mônica B. Cruz
Uilka O. Melo
Lílian G. Melo
Adriana G. Sousa
Flávia R. Brito
Jéssica C. Penha
Marco Antônio U. Montanha
Priscilla L. Cerqueira
Rosângela C. A. Silva
Silas J. Faria

O Aluno em Foco

O presente trabalho teve como objetivo investigar os interesses e as expectativas dos estudantes do ensino médio de três escolas participantes do Pibid de química da UFJF em relação ao processo de ensino e aprendizagem. Buscando alcançar o nosso objetivo, foi aplicado um questionário com 19 questões. Destas, 11 foram significativas para o subprojeto química do Pibid. Os dados foram quantificados e analisados a partir da construção de gráficos. Após análise e interpretação, foi possível compreender um pouco mais sobre os interesses do aluno dentro e fora do espaço escolar, os hábitos culturais, o contexto em que vivem e assim repensar a forma de trabalhar nas escolas.

ensino de química no ensino médio, perfil do aluno, formação inicial

02-EQM-29-12.pdf PDF: O Aluno em Foco

 

Uma Atividade Experimental para o Entendimento do Conceito de Viscosidade

DOI: http://dx.doi.org/10.5935/0104-8899.20150043

Matheus M. Sampaio
Ednilson L. S. Vaz
Marco A. A. Monteiro
Heloisa A. Acciari
Eduardo N. Codaro

Experimentação no Ensino de Química

A simples definição de viscosidade, normalmente apresentada como a resistência de um fluido ao escoamento, não permite ao estudante compreendê-la como uma propriedade intrínseca da matéria. Neste trabalho, é proposta uma atividade experimental com o objetivo de problematizar a origem dessa propriedade a partir do modelo atômico-molecular. Para tanto, foi medido o tempo de escoamento de soluções de sacarose de diferentes concentrações e, a partir da construção de uma curva de calibração, foi determinada a concentração de sacarose no caldo de cana. A análise detalhada dos resultados deixa clara a estreita relação que existe entre as forças intermoleculares e a resistência ao escoamento, possibilitando, dessa forma, uma associação entre o aumento das forças atrativas entre as moléculas e o aumento da viscosidade.

viscosidade, sacarose, caldo de cana-de-açúcar

02-EQM-29-

12.pdf PDF: Experimentação no Ensino de Química

 

Desenvolvendo Habilidades e Conceitos de Nanotecnologia no Ensino Médio por Meio de Experimento Didático Envolvendo Preparação e Aplicação de Nanopartículas Superparamagnéticas

DOI: http://dx.doi.org/10.5935/0104-8899.20150044

Rodolfo A. Tasca
José R. L. de Almeida
Delmarcio G. da Silva
Fernando M. de Melo
Henrique E. Toma

Experimentação no Ensino de Química

Visando agregar ao ensino de química conceitos e habilidades em nanotecnologia, alunos do ensino médio prepararam nanopartículas superparamagnéticas em um projeto de ensino supervisionado no laboratório do Instituto de Química da USP. Foi empregado um método experimental didático, que utiliza reagentes e vidrarias que podem ser encontrados na maioria das escolas públicas e privadas. As aplicações das nanopartículas foram exploradas didaticamente, simulando a concentração e remoção de manchas de óleo na água.

nanopartículas magnéticas, preparação de nanopartículas, experimento didático, remediação ambiental

02-EQM-29-12.pdf PDF: Experimentação no Ensino de Química

 

Normas

20-Normas.pdf PDF: Normas para Submisão

Sociedade Brasileira de Qumica 2017

Voltar Coleo Completa | Ir ao Volume Anterior | Ir ao Prximo Volume

on-line ISSN 2175-2699
impreso ISSN 0104-8899
Apoio a Projetos
CNPq
Desenvolvido por EKMF.