Voltar Coleo Completa | Ir ao Volume Anterior

QNEsc Vol. 43 No3

Qumica Nova na Escola
Vol. 43 No3
Agosto de 2021

Editorial

editorial.pdf Editorial PDF   HTML

Os Editores

 

Expediente/Sumário

20-Normas.pdf PDF: Expediente/Sumário

  

A química do pão de fermentação natural e as transformações na nossa relação com o preparo desse alimento

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160239

Aroldo N. Silva
Fabiana C. Fríscio

Química e Sociedade

Neste artigo apresentamos a química envolvida na feitura do pão de fermentação natural e os impactos do fato da indústria alimentícia ter assumido, sobretudo a partir da Segunda Revolução Industrial do século XIX, a maior parte da sua produção e comercialização. Por meio de uma abordagem contextualizada, propomos algumas possibilidades de inserção dessa temática no ensino médio, de modo a contemplar aspectos da química orgânica.

pão, fermentação, ensino de química

02-EQM-29-12.pdf PDF: Química e Sociedade

 

Cientifi-CIDADE: estimulando a divulgação da Ciência por meio da extensão universitária

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160240

Iohana S. Santarelli
Gabriela Venturi
Catarinie D. Pereira
Karine P. Naidek
Brenno R. M. Oliveira

Espaço Aberto

O presente trabalho discute a importância da extensão universitária como um meio de divulgação científica. Foi realizada uma análise dos resultados de um programa de extensão chamado Cientifi-CIDADE: popularizando a Ciência e a universidade, desenvolvido por professores e acadêmicos da licenciatura em Química de uma universidade na cidade de Joinville-SC, ao longo de dois anos de sua execução. As três ações que formam o programa (Universidade na Rede; Universidade na Escola e Escola na Universidade) mostraram-se eficazes na divulgação científica e na construção de conhecimentos por parte de estudantes do Ensino Médio e trouxeram contribuições para a formação docente dos acadêmicos do programa.

divulgação científica, ensino de química, extensão universitária

02-EQM-29-12.pdf PDF: Espaço Aberto

 

Do caos à ordem: oscilações químicas, padrões e auto‑organização

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160241

Raphael Nagao
Rafael C. Mori

Atualidades em Química

Quando a cinética de sistemas químicos afastados do equilíbrio conjuga várias etapas elementares irreversíveis e a formação de intermediários de reação, podem surgir ciclos de retroalimentação. A interação entre os ciclos com escalas temporais distintas resulta em oscilações de concentração dos intermediários. O mais célebre sistema químico oscilante, a reação de Belousov-Zhabotinsky, desperta o interesse por exibir padrões espaço-temporais auto-organizados, cuja formação parece apresentar analogias com o processo de morfogênese. Assim, reações químicas podem mimetizar padrões formados espontaneamente em sistemas biológicos. Tais desenvolvimentos sugerem que questões como a origem da vida podem ser elucidadas com protagonismo da química. Ressalta-se, assim, o caráter frutífero dos novos paradigmas do século XX (especialmente, a ciência do caos), que reaproximaram o pensamento humano de fenômenos naturais e questões filosóficas até então alijados das explicações científicas.

oscilações químicas, irreversibilidade, auto-organização

02-EQM-29-12.pdf PDF: Atualidades em Química

 

Ciclo Açucareiro: da fabricação de açúcar a produção de etanol

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160243

Paulo Henrique Melo
Alvaro C. C. Bara
Karine G. Fernandes
Fabiana A. C. Vieira
Ivoni Freitas-Reis

Relatos de Sala de Aula

O presente relato, explanado pelos alunos do curso de licenciatura em química da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), consiste na apresentação da atividade proposta e desenvolvida durante a disciplina Introdução à Pesquisa no Ensino de Química. A escolha do tema Ciclo Açucareiro advém de sua presença no Programa de Ingresso Seletivo Misto - PISM, também da UFJF, o qual não é contemplado na escola considerada. Sustentados pela necessidade de um ensino mais dinâmico e contextualizado, optamos por metodologias de ensino diversificadas, tais como, o lúdico na aprendizagem e a experimentação no ensino de química. A partir delas, propusemos uma sequência didática que ambicionava melhorar a compreensão da química por trás dos processos inerentes ao ciclo da cana-de-açúcar, que foi aplicada a 64 alunos do 3º ano do Ensino Médio. Foi possível perceber bom aproveitamento e entusiasmo dos estudantes em relação aos recursos utilizados.

cana-de-açúcar, sequência didática, jogo didático

02-EQM-29-12.pdf PDF: Relatos de Sala de Aula

 

Software Cidade do Átomo como instrumento didático no Ensino De Química

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160256

Mariane G. Nabiça
Jorge Raimundo da T. Souza

Relatos de Sala de Aula

Este trabalho apresenta um relato sobre a metodologia abordada e ponto de vista de estudantes sobre o uso do software Cidade do Átomo, que utiliza estratégia de soluções de problemas voltado a produção de energia termonuclear. As atividades foram divididas em 3 etapas, com a participação de 16 alunos do ensino médio de uma escola pública. A etapa 1 consistiu na análise investigativa, onde foi coletado por meio do questionário 1, os relatos dos estudantes sobre a disciplina Química e o uso do computador. Na etapa 2, ocorreu o processo formativo com a apresentação do Tema Radioatividade e a aplicação da atividade com o software. Na etapa 3, ocorreu o processo avaliativo, onde os alunos responderam ao questionário 2 com perguntas referentes ao software. Os questionários foram examinados de acordo com análise de conteúdo de Bardin (2011). Os resultados evidenciaram a relação positiva entre os estudantes e a atividade desenvolvida, no qual permitiu o uso do computador como mediador da contextualização, por meio de uma problematização disponível no software.

ensino de Química, instrumento didático, software Cidade do Átomo

02-EQM-29-12.pdf PDF: Relatos de Sala de Aula

 

Jogo Digital e o conceito de aleatoriedade: aplicação e potencialidades para o ensino e a aprendizagem

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160247

Marcia C. Figueiredo
Aguinaldo R. de Souza

Relatos de Sala de Aula

O trabalho objetiva apresentar a aplicação de um jogo digital para investigar as percepções de licenciandos em Química sobre o conceito de aleatoriedade presente na teoria cinética dos gases e o seu potencial para o ensino e a aprendizagem. A pesquisa foi qualitativa do tipo descritiva e, na coleta de dados foram aplicados o jogo digital e as entrevistas semiestruturadas para oito licenciandos de uma universidade pública do Estado do Paraná. Os dados foram estruturados segundo a análise de conteúdo, e os resultados indicam que as percepções de senso comum ou não elucidativas apresentadas pelos licenciandos podem ser reproduzidas por meio da mediação do professor quando se fazem presentes na plataforma do jogo digital. Assim, esta ferramenta tem potencial para auxiliar o professor na proposição de atividades de pensamento e de reflexão, além de proporcionar aos alunos a reelaboração de concepções prévias, no momento em que se deparar com situações presentes no jogo.

recurso didático, ensino, aprendizado

02-EQM-29-12.pdf PDF: Relatos de Sala de Aula

 

Estado da arte: Gênero e Sexualidade no contexto do Ensino de Química

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160250

Keysy S. C. Nogueira
Renata Orlandi
Bruno R. S. Cerqueira

Ensino de Química em Foco

Neste trabalho investigou-se pesquisas sobre gênero e sexualidade no Ensino de Química. Adotou-se o estado da arte como metodologia. Foram realizados levantamentos no Portal de Periódicos da Capes, na Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações (BDTD) e nos seguintes eventos científicos brasileiros: Encontro Nacional de Ensino de Química (ENEQ) e Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências (ENPEC), pelo período de 2006 a 2019. Os resultados evidenciaram que as pesquisas destacavam a temática da invisibilidade/ausência das mulheres na ciência. Menos da metade dos trabalhos apresentaram uma conceituação para gênero ou sexualidade no corpo do texto. Além disso, apenas cinco pesquisas investigaram o conceito de gênero, e uma delas investigou tanto o conceito de gênero quanto o de sexualidade. Entre os resultados destaca-se a prevalência de definições equivocadas sobre esses conceitos manifestadas por professores e futuros professores.

gênero; sexualidade; ensino de química

02-EQM-29-12.pdf PDF: Ensino de Química em Foco

 

Galvanização: uma proposta para o ensino de eletroquímica

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160254

Letícia V. Andrade
Cinthia G. Zimmer

Experimentação no Ensino de Química

A galvanização é um processo industrial que envolve o revestimento de ligas ferrosas com zinco, como forma de aumentar a resistência à corrosão de dispositivos metálicos. Este artigo propõe aplicar, no ensino de química, esta técnica por meio de eletrólise, a qual permite ensinar conceitos fundamentais sobre eletroquímica. Assim, o aluno consegue estabelecer relações mais próximas entre o conhecimento científico e o mundo material, além de despertar o interesse pela ciência e tecnologia.

eletroquímica, eletrólise, galvanização

02-EQM-29-12.pdf PDF: Experimentação no Ensino de Química

 

Uma visão multi e interdisciplinar a partir da prática de saponificação

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160255

Roger Borges
Kamila Colombo
Tiago Favero
João H. Borges

Experimentação no Ensino de Química

O presente trabalho propõe uma análise multi e interdisciplinar entre Química, Biologia, Estatística e Matemática, por meio de questionamentos norteadores da prática de saponificação. Neste artigo, ressalta-se o papel fundamental da experimentação embasada em conhecimentos teóricos, e orientada para seu maior aproveitamento e abrangência dos potenciais temas de estudos das diversas áreas de ensino, direta e indiretamente ligados ao fenômeno observado. Além disso, os materiais e procedimentos experimentais podem ser adequados às diversas realidades de instituições de ensino no país, e vinculados ao cotidiano dos estudantes, levando em consideração seus conhecimentos prévios, para que então o indivíduo utilize o conhecimento científico para se integrar à sociedade por meio do desenvolvimento prático e investigação norteada pelo professor sempre associada ao desenvolvimento teórico.

questionamentos norteadores, multi e interdisciplinaridade, experimentação

02-EQM-29-12.pdf PDF: Experimentação no Ensino de Química

 

Abordagem Multimodal: um olhar para os Livros Didáticos de Química

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160261

Júlia C. Freitas
Ana Luiza de Quadros

Cadernos de Pesquisa

O entendimento de um conteúdo ou de conceitos depende diretamente da comunicação entre quem ensina e os aprendizes. Para melhorar essa comunicação e também a construção de significados tem sido enfatizada uma maior atenção para a multimodalidade, ou seja, para o uso e a integração de diferentes modos semióticos. Neste trabalho analisamos os modos semióticos presentes em livros didáticos de Química e como eles estão relacionados entre si. Para isso selecionamos uma parte do conteúdo relativo à Termoquímica presente em três coleções didáticas do Programa Nacional do Livro Didático. Nas obras analisadas observamos uma diversidade de modos semióticos, mas a relação entre eles necessita de uma atenção maior por parte dos autores. As imagens se destacaram entre esses modos, seguindo uma tendência favorecida pelas tecnologias disponíveis. Esses resultados trazem implicações para professores e autores, pois à medida que se entende a importância de se relacionar esses modos, essas relações podem ser fomentadas nas aulas e nos materiais didáticos.

multimodalidade, livro didático, química, construção de significados

02-EQM-29-12.pdf PDF: Cadernos de Pesquisa

  

Revista Completa 43-3

20-Normas.pdf PDF: Revista Completa

 

Normas

20-Normas.pdf PDF: Normas para Submissão

Sociedade Brasileira de Qumica 2021

Voltar Coleo Completa | Ir ao Volume Anterior

on-line ISSN 2175-2699
impreso ISSN 0104-8899
Apoio a Projetos
CNPq
Desenvolvido por EKMF.