Voltar à Coleção Completa
Ir ao Volume 18 ¦  Ir ao Volume 20

QNEsc #19

QNEsc #19 - Maio - 2004

QNESC_19.jpg

 

Uma busca na Internet por ferramentas para educao qumica no Ensino Mdio

Rosngela Michel, Flvia Maria Teixeira dos Santos e Ileana Maria Rosa Greca

Educao em Qumica e Multimdia

ensino de Qumica, stios educacionais, softwares educacionais

Neste trabalho, apresentamos uma reviso de softwares e stios educacionais que o professor de Qumica pode utilizar para o desenvolvimento de contedos do Ensino Mdio, de acordo com sua abordagem de trabalho. Realizamos uma anlise crtica dos stios e ferramentas disponveis.

a02Umabusca19.pdf a02Umabusca19.pdf

De Massas e Massas Atmicas

Reinaldo Calixto de Campos e Reinaldo Carvalho Silva

Conceitos Cientficos em Destaque

modelo atmico de Dalton, leis ponderais, trnsito interdisciplinar

Sugere-se uma atividade experimental para duas sesses de laboratrio de Qumica, com o propsito de favorecer aos alunos do Ensino Mdio o exerccio do trnsito interdisciplinar entre os domnios da teoria atmica e das leis ponderais das reaes qumicas. Na primeira sesso, estudando as relaes de massa na queima do ferro, os alunos obtm evidncias diretas da lei de Proust. Na segunda sesso, usando clipes de papel como modelos de partculas materiais, os alunos estudam as relaes conceituais entre massas e massas atmicas.

a03.pdf a03.pdf

Corroso: Um Exemplo Usual de Fenmeno Qumico

Fbio Meron, Pedro Ivo Canesso Guimares e Fernando Benedito Mainier

Conceitos Cientficos em Destaque

corroso, eletroqumica, cotidiano

Corroso um conceito qumico conhecido e usualmente empregado no cotidiano. Apesar de ser comumente associado aos metais, este um fenmeno muito mais amplo e tambm ocorre com materiais no metlicos. Devido aos seus diversos tipos, esse processo est presente em diferentes situaes, sempre associado reduo da vida til de um determinado bem. No presente trabalho, pretende-se abordar os principais aspectos da corroso e alguns mtodos de preveno.

a04.pdf a04.pdf

Perfumes e Essncias: A Utilizao de um Vdeo na Abordagem das Funes Orgnicas

Cristiano de Almeida Cardoso Marcelino-Jr., Rejane Martins Novais Barbosa, ngela Fernandes Campos, Marcelo Brito Carneiro Leo, Hlder de Souza Cunha e Antnio Carlos Pavo

Relatos de Sala de Aula

vdeo, funes orgnicas, perfumes

Este artigo retrata uma pesquisa realizada em uma turma do Ensino Mdio, na qual verificou-se a interferncia positiva de um vdeo de produo prpria na abordagem inicial das funes orgnicas oxigenadas. A interveno didtica envolveu momentos distintos, abrangendo atividades audiovisuais, leitura e escrita de textos, utilizando Perfumes e Essncias como tema motivador para abordagem dos conceitos. O vdeo atuou como elemento articulador da aprendizagem e auxiliou no desenvolvimetno de atitudes perceptivas, na ampliao do dilogo, em motivao e troca de experincias entre os participantes.

a05.pdf a05.pdf

A Bioqumica como Ferramenta Interdisciplinar: Vencendo o Desafio da Integrao de Contedos no Ensino Mdio

Paulo R. M. Correia, Melissa Dazzani, Maria Eunice R. Marcondes e Bayardo B. Torres

Relatos de Sala de Aula

interdisciplinaridade, Bioqumica, protenas, Biologia

A abordagem interdisciplinar dos temas das Cincias Naturais favorece a integrao de contedos, evita a viso fragmentada do conhecimento e expe os alunos complexidade do processo de gerao do conhecimento. Nesse contexto, a Bioqumica foi explorada como ferramenta interdisciplinar utilizando as protenas e sua ao enzimtica como tema central. As atividades foram divididas em trs momentos distintos: 1) realizao de experimentos para gerar resultados a serem interpretados; 2) introduo de subsdios tericos a partir de textos e questionrios; e 3) teatralizao da sntese de protenas com a participao de todos os alunos. A interveno interdisciplinar proposta permitiu a discusso de conceitos bioqumicos, favorecendo a integrao de contedos da Biologia e da Qumica.

a06.pdf a06.pdf

Um Debate Seiscentista: A Transmutao de Ferro em Cobre

Paulo Alves Porto

Histria da Qumica

transmutao, Alquimia, Qumica no sculo XVII

Este artigo apresenta uma questo que era objeto de controvrsia no sculo XVII: ocorre transmutao de ferro em cobre quando se coloca ferro metlico em contato com uma soluo de vitrolo de cobre, isto , com uma soluo contendo um sal de cobre? Vrios pensadores manifestaram sua opinio a respeito, e aqui citamos J. B. Van Helmont, A. Kircher, L. Ercker, M. Sendivogius, J. R. Glauber e J. Webster. A discusso era relevante, pois podia ser relacionada possibilidade de se transformar metais comuns em ouro. Observa-se que o panorama conceitual em que se inserem esses autores bastante distinto do da Qumica moderna, o que fez a questo permanecer sem resposta nos termos em que foi colocada na poca.

a07.pdf a07.pdf

A Radioatividade e a Histria do Tempo Presente

Fbio Meron e Samantha Viz Quadrat

Histria da Qumica

radioatividade, energia nuclear, sculo XX

Com o final da Segunda Guerra Mundial, alguns historiadores se debruaram sobre a tentativa de explicar o que havia ocorrido com a humanidade nos anos do conflito. Com isto surgiu o que chamamos de Histria do Tempo Presente, uma nova corrente historiogrfica que se ocupa em analisar os fatos recentes. Nesse sentido, este texto que traz o ponto de vista dos autores se insere nessa corrente ao abordar uma questo polmica: a utilizao da energia das reaes nucleares a partir da segunda metade do sculo XX, quando temas como o uso de armas atmicas ou a construo de usinas nucleares foram amplamente debatidos pela opinio pblica. Foi uma poca na qual os avanos tecnolgicos passaram a se refletir em outros campos, como o poltico, o social, o ecolgico e o econmico.

a08.pdf a08.pdf

Experimentao em Sala de Aula e Meio Ambiente: Determinao Simples de Oxignio Dissolvido em gua

Luiz Henrique Ferreira, Daniela Gonalves de Abreu, Yassuko Iamamoto e Jos Fernando de Andrade

Experimentao no Ensino de Qumica

Qumica Ambiental, Qumica no Ensino Mdio, reaes redox

A concentrao de oxignio dissolvido (COD) na gua um parmetro chave na determinao das caractersticas qumicas e biolgicas da gua e tambm de sua corrosividade. Existem diversos mtodos e tambm tcnicas qumicas refinadas para a determinao de COD. Entretanto, devido a fatores econmicos, os mtodos conhecidos no so praticveis nos programas oficiais de educao ambiental de escolas brasileiras de Ensino Mdio. Neste artigo, um novo mtodo experimental apresentado para a determinao de COD nesses programas, usando materiais baratos e simples. A metodologia proposta eficiente para a determinao semi-quantitativa de COD (erro relativo = 8,4%).

a10.pdf a10.pdf

Confirmando a Esterificao de Fischer por Meio dos Aromas

Thiago Santangelo Costa, Danielle Lanchares Ornelas, Pedro Ivo Guimares e Fbio Meron

Experimentao no Ensino de Qumica

esterificao, aromas, cotidiano

Industrialmente, a reao de esterificao de Fischer um dos principais mtodos para a sntese dos steres. Por estarem presentes na composio dos flavorizantes, os steres so compostos de destaque na indstria alimentcia. No presente trabalho, buscou-se o desenvolvimento de um experimento simples para a obteno de steres de baixa massa molar, os quais podem ser facilmente caracterizados por possurem aromas de frutas. Esta atividade possibilita a correlao entre os contedos programticos da Qumica no Ensino Mdio e o cotidiano dos alunos.

a11.pdf a11.pdf

Fluorescncia e Estrutura Atmica: Experimentos Simples para Abordar o Tema

Ana Luiza Petillo Nery e Carmem Fernandez

Experimentao no Ensino de Qumica

fluorescncia, estrutura atmica, modelo de Bohr

O fenmeno da luminescncia visualmente atraente e desperta a curiosidade das pessoas de todas as idades. Trata-se da emisso de luz resultante de um processo de excitao eletrnica, que pode ocorrer na forma de fluorescncia (onde a emisso de luz cessa quando a fonte de energia desligada) ou como fosforescncia (que pode durar horas mesmo depois de desligada a fonte de luz). Neste artigo propomos a utilizao do fenmeno de fluorescncia como estratgia de ensino para desenvolvimento do tema estrutura atmica; mais especificamente, do modelo atmico de Bohr. O fenmeno da fluorescncia pode ser facilmente demonstrado atravs da utilizao de materiais acessveis como gua tnica, espinafre ou hortel, vitamina B2, sabes em p e casca de ovo marrom.

19-a12.pdf 19-a12.pdf

Utilizando uma Luminria do Tipo Lava-Luz para o Ensino de Densidade, Dilatao trmica e Transformaes de Energia

Robson Fernandes de Farias

Experimentao no Ensino de Qumica

densidade, dilatao trmica, transformaes de energia

Prope-se o uso de uma luminria do tipo lava-luz como recurso motivador no ensino da variao de densidade com a temperatura, envolvendo uma discusso sobre os processos de transferncia / transformao de energia.

a13.pdf a13.pdf

Potssio

Eduardo Motta Alves Peixoto

Elemento Qumico

a14.pdf a14.pdf

Editorial

Corpo Editorial

Editorial

a01editorial19.pdf Editorial


Voltar Coleo Completa
 
on-line ISSN 2175-2699
impreso ISSN 0104-8899
Apoio a Projetos
CNPq
Desenvolvido por EKMF.