Voltar Coleo Completa | Ir ao Volume Anterior

QNEsc Vol. 33 No 2

QNEsc - Vol. 33 No 2 - Maio - 2011

QNEsc33-2_Capa.jpg

Editorial

00-Editorial_33-2.pdf Editorial PDF  HTML

Os Editores


Cibercultura em Ensino de Química:
Elaboração de um Objeto Virtual de Aprendizagem para o Ensino de Modelos Atômicos

Anna M. Canavarro Benite,
Claudio R. Machado Benite e
Supercil Mendes da Silva Filho

Educação em Química e Multimídia

Este trabalho versa sobre a representação de modelos atômicos, utilizando aplicativos computacionais. Discorremos sobre como essa forma de apresentação se insere na aula de química; apresentamos contribuições da comunidade de pesquisa em ensino de química sobre o uso de aplicativos de visualização; e descrevemos as funcionalidades de um objeto virtual de aprendizagem desenvolvido em nosso laboratório para a sala de aula do ensino médio.

cibercultura, objeto virtual de aprendizagem, modelos atômicos

01-EQM3010.pdf PDF: Educação em Química e Multimídia


Poesia de António Gedeão e a Formação de Professores de Química

Camila Silveira da Silva

Espaço Aberto

São apresentadas, neste artigo, algumas discussões sobre as relações entre Ciência, Cultura e Arte e possíveis contribuições na formação de professores de Química, mais especificamente a partir da poesia de António Gedeão, focando dois de seus poemas: Lágrima de preta e Lição sobre a água.

Poesia e Química; Lágrima de preta; Lição sobre a água

02-10309.pdf PDF: Espaço Aberto


A Bioquímica do Candomblé:
Possibilidades Didáticas de Aplicação da Lei Federal 10639/03

Patrícia F. S. D. Moreira,
Guimes Rodrigues Filho,
Roberta Fusconi,
Daniela F. C. Jacobucci

Espaço Aberto

Desde a promulgação da lei federal 10639/03, que determina a obrigatoriedade do ensino de história e cultura africana e afro-brasileira nas escolas, pouco tem sido feito por parte das esferas responsáveis pela educação básica na aplicação dessa lei nas diversas disciplinas, inclusive na Química. A falta de material didático específico e o desconhecimento da maioria dos professores são fatores que dificultam a implementação da lei. A impossibilidade de relação da cultura negra com os conteúdos previstos na educação básica tem sido limitante na eliminação de ideologias, desigualdades e racismo. Como possibilidade para o cumprimento da lei e a divulgação de conhecimentos científicos atrelados à cultura africana e afro-brasileira, focalizamos a bioquímica e o candomblé por se tratar de uma das religiões afro-brasileiras mais difundidas em todo o país. Dentre as várias espécies de plantas utilizadas nos rituais do candomblé, abordaremos a noz-de-cola e suas aplicações na Química em aulas do ensino médio.

candomblé, lei federal 10639/03, química, bioquímica

03-EA3610.pdf PDF: Espaço Aberto


O Despertar da Radioatividade ao Alvorecer do Século XX

Rodrigo da Silva Lima,
Luiz Cláudio Ferreira Pimentel
Júlio Carlos Afonso

História da Química

Este trabalho apresenta um resumo do impacto da radioatividade na vida cotidiana no início do século XX. O rádio foi considerado uma fantástica fonte de energia e de cura de doenças, tendo papel central no início da história da radioatividade. Muitos produtos com radioatividade adicionada e práticas médicas a envolvendo foram lançados. Decorridos cerca de 30 anos após a descoberta da radioatividade, a visão do ser humano acerca desta já era bastante diferente daquela do início do século XX.

radioatividade, rádio, produtos com radioatividade adicionada

04-HQ10509.pdf PDF: História da Química


Saindo Também se Aprende :
O Protagonismo como um Processo de Ensino-Aprendizagem de Química

Viviani Alves de Lima e
Maria Eunice Ribeiro Marcondes

Relatos de Sala de Aula

A partir da parceria entre a universidade e a escola pública, a Escola Estadual Senador Filinto Müller, Diadema (SP), desenvolveu atividades do projeto Saindo também se aprende na área das Ciências da Natureza. Os alunos participaram de oficinas no laboratório da universidade e, diante do interesse, foram incentivados a oferecê-las na escola. Os alunos se tornaram protagonistas, ora assumindo o papel de líderes frente à preparação das oficinas, ora de monitores frente à aplicação das atividades, numa interação pedagógica com alunos de outras séries. A participação ativa e consciente dos estudantes mostrou aos professores que esse tipo de situação de ensino leva a melhores resultados de aprendizagem, devido ao trabalho pedagógico de natureza coletiva. Esse projeto encontrou, nas atividades desenvolvidas em uma disciplina do Curso de Licenciatura em Química do IQUSP e nas oficinas temáticas oferecidas pelo Laboratório Aberto, espaços para a implementação de seus objetivos.

Ensino de química, protagonismo, atividades experimentais

05-RSA9909.pdf PDF: Relatos de Sala de Aula


Aprendizagem Mediada por Gêneros do Discurso Escolar-Científico:
Projeto, Desenvolvimento e Utilização de Material Instrucional em Sala de Aula de Química

Dirceu Donizetti Dias de Souza
Agnaldo Arroio

Pesquisa no Ensino de Qumica

Este relato discute o uso de um material instrucional para produção escrita de gêneros do discurso escolar-científico como mediador na aprendizagem, no ensino básico, em sala de aula de química. Nossa meta é apresentar os fundamentos que nortearam o projeto do material instrucional, bem como da construção das ferramentas de avaliação dos discursos escritos produzidos pelos estudantes. Além disso, propomo-nos a relatar a metodologia de implantação em sala de aula e, finalmente, apresentar um exemplo que nos ajudará a acompanhar a estratégia proposta. São abordados os princípios da teoria do enunciado segundo Bakhtin no projeto dos modelos instrucionais, os quais foram denominados protocolo de experimento, pré-relatório de experimentos e relatório de experimento. Como consequência, esses mesmos princípios são referências para a construção das ferramentas de avaliação dos discursos escritos. A implantação em sala de aula do material instrucional tem como suporte a realização de experimentos simples, inclusive demonstrativos, após os quais os estudantes são encorajados a construir os discursos mediados, utilizando a ferramenta cultural escrita. O resultado mostra que essa estratégia é passível de ser introduzida em salas de aula de química no ensino médio, que auxilia a prática da escrita e facilita o foco dos estudantes nos conceitos escolar-científicos, tradicionalmente trabalhados nesse nível de ensino. Além disso, aponta para incrementos positivos no uso da linguagem escolar-científica, implicando a princípio em maior domínio de um determinado conteúdo temático ao final do processo de construção do conhecimento.

Escrita, Gêneros do discurso, Material instrucional, Química

06-PE1510.pdf PDF: Pesquisa no Ensino de Química


O Livro Didático de Química nas Concepções de Professores do Ensino Médio da Região Sul da Bahia

Juliana de Oliveira Maia
Luciana Passos Sá
Elisa Prestes Massena
Edson José Wartha

Pesquisa em Ensino

Questões relacionadas ao Livro Didático (LD) no Ensino de Ciências têm sido amiúde discutidas em trabalhos reportados na literatura. Na presente pesquisa, tivemos como objetivo especular a respeito dos critérios de seleção e formas de utilização dos LDs adotados no ensino médio por professores de Química de escolas estaduais das cidades de Ilhéus e Itabuna, situadas na região sul da Bahia. Os resultados deste estudo apontam para a necessidade da formação continuada que privilegie, dentre outros aspectos, a reflexão sobre questões importantes relacionadas à escolha e utilização do LD por professores atuantes na educação básica.

Formação de professores, Livro Didático, Ensino de Química

07-PE7110.pdf PDF: Pesquisa em Ensino


Identificação de Ácido Salicílico em Produtos Dermatológicos Utilizando-se Materiais Convencionais

Carlos Alberto Fernandes de Oliveira,
João Batista Moura de Resende Filho,
Liliane Rodrigues de Andrade

Experimentação no Ensino de Química

A Química Analítica é um ramo da Química em que se estudam os métodos para identificar a composição de amostras naturais ou artificiais. Ela está amplamente presente nas atividades humanas. Graças a essa característica, a Química Analítica permite ser grandemente explorada durante as aulas do ensino médio por meio da contextualização. Nesse sentido, o respectivo projeto buscou averiguar o fator motivacional de uma proposta metodológica baseada na adaptação de um experimento de identificação de ácido salicílico em produtos dermatológicos, utilizando-se materiais convencionais. A aplicação denotou bons resultados no que tange à compreensão dos alunos acerca do conteúdo e à questão motivacional.

ácido salicílico, análise qualitativa, materiais alternativos.

08-EEQ2310.pdf PDF: Experimentação no Ensino de Química


Polônio.

Júlio Carlos Afonso

Elemento Químico

09-EQ0910.pdf PDF: Elemento Químico


Sociedade Brasileira de Qumica © 2011

on-line ISSN 2175-2699
impreso ISSN 0104-8899
Apoio a Projetos
CNPq
Desenvolvido por EKMF.