Voltar Coleo Completa | Ir ao Volume Anterior | Ir ao Prximo Volume

QNEsc Vol. 35 No3

Qumica Nova na Escola
Vol. 35 No3
Agosto de 2013

Editorial

editorial.pdf Editorial PDF   HTML

Os Editores

 

Softwares de Simulação no Ensino de Atomística: Experiências Computacionais para Evidenciar Micromundos

Saulo França Oliveira
Noel Felix Melo
José Tatiano da Silva
Elder Alpes de Vasconcelos

Educação em Química e Multimídia

Neste trabalho, relatamos o ensino de conceitos de atomística relacionados com os modelos de Thomson e Rutherford-Bohr por meio de um software de simulação e uma estratégia de aprendizagem cooperativa, o chamado método Jigsaw. A pesquisa envolveu 16 alunos do 9° ano de uma escola pública, localizada no município de Lajedo (PE, Brasil). O comportamento dos estudantes nas aulas e suas respostas a questionários de avaliação mostraram uma clara melhoria da compreensão e do interesse no assunto, enriquecendo de maneira significativa o processo de construção do conhecimento.

simulações, atomística, modelos

02-EQM-29-12.pdf PDF: Educação em Química e Multimídia

 

 

Jardins Químicos, Stéphane Leduc e a Origem da Vida

Luciana Aparecida Farias

História da Química

O principal objetivo deste trabalho é resgatar a história dos jardins químicos, que foi esquecida ao longo do tempo. Sites, principalmente em português, não mencionam a história e, se o fazem, é de forma superficial. Stéphane Leduc e o seu trabalho são raramente citados, o que não ajuda o estudante de química compreender a importante contribuição desse estudo para a construção do conhecimento científico a respeito da origem da vida. Atualmente, estudos vêm mostrando que fatos relacionados com a história têm sido sugeridos como alternativas para melhorar o ensino de química.

jardins químicos, interdisciplinaridade, ensino de química

03-HQ-141-12.pdf PDF: História da Química


Elaboração de Hipóteses em Atividades Investigativas em Aulas Teóricas de Química por Estudantes de Ensino Médio

Ana Cláudia Kasseboehmer
Luiz Henrique Ferreira

Relatos de Sala de Aula

Neste artigo, relata-se uma experiência de aplicação de atividades investigativas em aulas teóricas de química, buscando-se contribuir, assim, com o repertório de experiências didáticas voltadas à participação ativa dos estudantes no processo de aprendizagem. Estes deveriam inicialmente sugerir uma explicação para o fato de o cheiro ser sentido a longas distâncias, mesmo na ausência de vento e também apresentar alguma estratégia para verificar a pertinência de sua hipótese. Essa proposta metodológica permite conhecer possíveis concepções alternativas e incentivar a participação dos estudantes em aula por meio da proposição de explicações para fenômenos científicos. Além disso, abre a possibilidade para que o aprendiz processe as informações adquiridas durante as aulas de química, utilize-as em um novo contexto e, assim, transforme as informações recebidas em conhecimento. Finalmente, também ensina sobre a natureza das ciências e o processo de construção de modelos.

ensino de química; Gaston Bachelard; método investigativo

04-RSA-15-12.pdf PDF: Relatos de Sala de Aula


Refrigerante e Bala de Menta: Explorando Possibilidades

Diego Arantes Teixeira Pires
Patrícia Fernandes Lootens Machado

Relatos de Sala de Aula

A exploração pela mídia do fenômeno que ocorre quando se adiciona balas porosas a refrigerantes desperta a curiosidade e o interesse de várias pessoas em função do forte apelo visual. Observa-se que a divulgação ocorre vinculada apenas aos aspectos macroscópicos sem a inserção de conhecimentos científicos. Na busca por tornar esse fenômeno um recurso didático-pedagógico, este artigo apresenta explicações microscópicas sobre ele e descreve uma atividade experimental demonstrativo-investigativa realizada com alunos do 3º ano do ensino médio de uma escola no Distrito Federal.

experimentação, transformações físicas e químicas, solubilidade de gases em líquido

05-RSA-18-12.pdf PDF: Relatos de Sala de Aula


Pôquer dos Elementos dos Blocos s e p

Joyce Cristine S. F. Saturnino
Inácio Luduvico
Leandro José dos Santos

Relatos de Sala de Aula

Este trabalho descreve o desenvolvimento, a aplicação e a avaliação do jogo didático Pôquer dos Elementos dos Blocos s e p como uma alternativa para auxiliar no ensino de tabela periódica e periodicidade para alunos do ensino médio. O jogo foi confeccionado por integrantes do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência da área de Química (PIBID-Química) da Universidade Federal de Viçosa – Campus Florestal (UFV-CAF). Os principais objetivos desse jogo foram: apresentar aos alunos uma nova ferramenta para aprendizagem do conteúdo tabela periódica e periodicidade e avaliar o desenvolvimento deles após aplicação do jogo; e também incentivar os licenciandos integrantes do PIBID-Química a utilizarem métodos menos tradicionais para abordagem de um conteúdo em química. Os resultados mostraram que os alunos se sentiram mais estimulados a estudar e consequentemente conseguiram compreender o conteúdo de uma forma divertida e interativa.

ensino de química, jogos didáticos, tabela periódica

06-RSA-69-12.pdf PDF: Relatos de Sala de Aula


A Química dos Sentidos – Uma Proposta Metodológica

Ruth Maria Bonfim Vidal
Rute Claudino Melo

Relatos de Sala de Aula

A química dos sentidos olfato, paladar e visão, como tema estruturador, atende às propostas dos Parâmetros Curriculares Nacionais para o ensino Médio (PCNEM) em relação à contextualização e interdisciplinaridade, pois é assunto presente na vida do aluno. A exploração do tema é realizada com métodos de contextualização e interdisciplinaridade, por meio de seminários e dinâmicas, na tentativa de promover um interesse pela disciplina de química e facilitar o processo de aprendizagem. O trabalho se desenvolve com a participação de 30 alunos do ensino médio da Escola Estadual de Ensino Médio e Fundamental General Eudoro Corrêa. Um questionário foi o instrumento de avaliação utilizado e foi aplicado antes e após a realização do trabalho no intuito de aprimorar a avaliação dos resultados. Os alunos demonstraram grande aceitação em todos os aspectos avaliados quando se refere ao tipo de aula ministrada, resultando em um nível maior de interesse pela disciplina de química.

química, contextualização, ensino

07-RSA-163-12.pdf PDF: Relatos de Sala de Aula


A Percepção dos Licencia(n)dos em Química sobre o Impacto do PIBID em sua Formação para a Docência

Karen C. Weber
Maria G. Fonseca
Alexsandro F. Silva
Johnny P. Silva
Teresa C.B. Saldanha

Pesquisa no Ensino de Química

As questões relacionadas às necessidades formativas de professores de química, especialmente na perspectiva da articulação entre teoria e prática, têm sido objeto de discussão. Nesse sentido, o presente trabalho aborda o contexto do PIBID/UFPB/Química como espaço para essa formação, sob o olhar de atuais e ex-bolsistas. Foram aplicadas entrevistas visando analisar as contribuições do programa, ressaltando a aprendizagem de novas metodologias e instrumentos pedagógicos e as concepções dos bolsistas sobre a profissão docente em química. Foi observado, segundo a análise dos discursos dos respondentes, que de fato o PIBID integra o conhecimento específico e o pedagógico, constituindo assim um elo efetivo entre teoria e prática e contribuindo para a construção da identidade docente.

prática docente, profissionalização, ensino de química

08-PE-65-12.pdf PDF: Pesquisa no Ensino de Química


Visualizações no Ensino de Química: Concepções de Professores em Formação Inicial

Celeste Rodrigues Ferreira
Agnaldo Arroio

Pesquisa no Ensino de Química

Tendo em vista a importância teórica e prática que o uso de modelos e visualizações tem ganhado em especial na química ao longo da última década, devido ao desenvolvimento acelerado das tecnologias de informação, acompanhado de vários estudos empíricos e teóricos na área da teoria cognitiva em visualização, é fundamental que conheçamos como os futuros professores concebem essa linguagem e as ferramentas associadas e como percebem seu papel na elaboração conceitual em sala de aula. Foi realizado um estudo com alunos de curso de licenciatura em química de uma universidade pública. De acordo com os resultados, esses professores em formação inicial apresentam um conhecimento teórico escasso acerca desse tema, suas concepções são superfíciais e baseadas principalmente na sua experiência como alunos. Por conseguinte, existe um risco elevado de utilização de visualizações de uma forma inadequada, o que pode levar a sérios danos na aprendizagem dos alunos.

concepções dos professores, ensino de química, visualizações

09-PE-32-12.pdf PDF: Pesquisa no Ensino de Química


Conhecimento Prévio, Caráter Histórico e Conceitos Científicos: O Ensino de Química a Partir de Uma Abordagem Colaborativa da Aprendizagem

Vitor de Almeida Silva
Márlon Herbert Flora Barbosa Soares

Pesquisa no Ensino de Química

A pesquisa teve como objetivo analisar a interação social vivenciada no processo ensino/aprendizagem, tendo a aprendizagem colaborativa como proposta para o desenvolvimento cognitivo. Para a concretização do trabalho, foram utilizados textos da revista Química Nova na Escola para que os alunos, a partir da leitura, interpretação e concepção dos conceitos relacionados nos textos, pudessem interagir com os pares e utilizar a colaboração como um meio para a elaboração de um conhecimento que apresentasse significado. Utilizamos como objeto de análise a interação entre aluno-aluno e professor-aluno e a elaboração de conceitos químicos a partir de preceitos colaborativos. Categorias de análise emergiram a partir da interpretação dos dados que definiram um padrão comportamental que nos direcionou a relações existentes entre aprendizagem colaborativa e a interação social em sala de aula como ferramentas de auxílio para uma concretização do processo de ensino/aprendizagem de conceitos químicos.

interação social, aprendizagem colaborativa, ensino de química

10-PE-04-12.pdf PDF: Pesquisa no Ensino de Química


COBALTO

Miguel de Araújo Medeiros

Elemento Químico

11-EQ-100-10.pdf PDF: Elemento Químico


Sociedade Brasileira de Qumica 2021

Voltar Coleo Completa | Ir ao Volume Anterior | Ir ao Prximo Volume

on-line ISSN 2175-2699
impreso ISSN 0104-8899
Apoio a Projetos
CNPq
Desenvolvido por EKMF.