Voltar Coleo Completa | Ir ao Volume Anterior

QNEsc Vol. 42 No1

Qumica Nova na Escola
Vol. 42 No1
Fevereiro de 2020

Editorial

editorial.pdf Editorial PDF   HTML

Os Editores

 

Expediente/Sumário

20-Normas.pdf PDF: Expediente/Sumário

 

Leite em mama África e a Educação para as Relações Étnico-Raciais (ERER) no Ensino de Químicai

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160183

Juvan P. da Silva
Gustavo A. A. Faustino
Antônio C. B. Alvino
Claudio R. M. Benite
Anna M. C. Benite

Química e Sociedade

Nessa pesquisa apresentamos resultados de uma Intervenção Pedagógica (IP) na qual foi discutido o papel da Química na descoberta de produção leiteira ocorrida no norte da África no século V antes da era cristã, além da ressignificação dessa prática em outras regiões de África e na diáspora africana no Brasil. A IP visa o cumprimento da Resolução CNE/CP 01/2004 e o Parecer CNE/CP 03/2004 no ensino de Química. Os motivos que levam os/as produtores/as a fraudarem o leite foram discutidos. Ensaios qualitativos que permitem a detecção de substâncias estranhas ao leite, como o amido, ácido bórico, ânion salicilato e chumbo (II), foram realizados. Por fim, foi avaliado se existe ou não autoria nos textos produzidos pelos alunos/as após aula prática nas confecções de relatórios e preparação/apresentação de seminários.

ERER, leite, química

02-EQM-29-12.pdf PDF: Química e Sociedade

 

Stop motion no Ensino de Química

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160184

Bruno S. Leite

Educação em Química e Multimídia

O stop motion (SM) é uma técnica de animação quadro a quadro que pode auxiliar no ensino de Química de maneira significativa, estimulando os estudantes a construírem seu conhecimento através das informações visualizadas. O presente trabalho apresenta a apropriação do SM por 134 estudantes em um curso superior de licenciatura em química. As percepções dos estudantes, coletadas por meio do questionário e da apresentação do seminário realizado em grupo, revelam que eles consideraram a atividade positiva, indicando uma postura favorável ao uso do SM como estratégia para o ensino de Química. Ademais, os resultados apontam que a elaboração do SM possibilitou aos estudantes experimentarem diferentes contextos de aprendizagem, principalmente por  considerarmos que a atividade proposta está relacionada ao uso das Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação.

stop motion, ensino de química, TDIC

02-EQM-29-12.pdf PDF: Educação em Química e Multimídia

 

Concepções de Ciência e de Conhecimento Científifico nos Cadernos do Cárcere1

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160185

Lilian Rodrigues Rios
Agustina Rosa Echeverría

Espaço Aberto

O presente estudo tem como objetivo apresentar as concepções de ciência e conhecimento científico expressas por Antonio Gramsci nos Cadernos do Cárcere, em seus aspectos epistemológico, social e político. Para tanto, buscou-se uma discussão do tema apresentado, principalmente, nos Cadernos  speciais 10 e 11 (Cadernos do Cárcere - Volume 1), a partir dos pensamentos, análises e críticas de obras que Gramsci analisa. A partir da filosofia da práxis, Gramsci interpreta a ciência como superestrutura e como ideologia.

ciência, ideologia, filosofia da práxis

02-EQM-29-12.pdf PDF: Espaço Aberto

 

Explorando os conceitos de oxidação e redução a partir de algumas características da história da ciência

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160186

Camila Rosa Dias de Oliva
Amary César Ferreira
Simone de Fátima Barbosa Tófani
Fernando César Silva

Conceitos Científicos em Destaque

Este artigo focaliza a preparação das substâncias potássio e sódio feita, pela primeira vez, pelo químico inglês Humphry Davy (1778-1829). Essas preparações foram possíveis a partir da utilização da pilha voltaica como instrumento de análise química, mas os resultados obtidos e divulgados por Davy em 1807 não estiveram livres de controvérsias. Embora apresentassem algumas propriedades bastante diferentes dos metais até então conhecidos, como sua grande reatividade e densidade inferior à da água, Davy logo admitiu que as duas novas substâncias eram metais. Outros químicos da época, como os franceses J. L. Gay-Lussac (1778-1850) e L. J. Thenard (1777-1857), questionaram as interpretações de Davy, colocando em dúvida o próprio caráter elementar dos metais.

Humphry Davy, potássio, sódio, metal, história da química

02-EQM-29-12.pdf PDF: Conceitos Científicos em Destaque

 

Um Jogo Didático para Revisão de Conceitos Químicos e Normas de Segurança em Laboratórios de Química

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160187

Edemar Benedetti Filho
Alexandre Donizeti Martins Cavagis
Luzia Pires dos Santos Benedetti

Relatos de Sala de Aula

O presente trabalho descreve a concepção e aplicação de um jogo didático, inspirado no tradicional Jogo dos Sete Erros, para revisão de normas de segurança em laboratórios de Química. A atividade foi aplicada para 108 alunos de 2º ano do Ensino Médio, em uma escola pública estadual do interior de São Paulo, propiciando uma aprendizagem diferenciada da perspectiva tradicional. Os resultados evidenciaram uma construção lúdica e coletiva de conhecimentos, por meio de discussões em grupo, mediadas pelo professor da disciplina de Química, que assumiu um papel de mediador da aprendizagem. Realizado no âmbito do estágio supervisionado, o presente trabalho também contribuiu na formação inicial de estudantes de licenciatura em Química, que participaram ativamente do planejamento e aplicação dessa atividade lúdica. Também ficou evidente a carência de atividades práticas experimentais na disciplina de Química, que representa o cenário da maioria das escolas públicas brasileiras.

atividades lúdicas, ensino de química, laboratório de química

02-EQM-29-12.pdf PDF: Relatos de Sala de Aula

 

Escape Room no Ensino de Química

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160188

Maria das Graças Cleophas
Eduardo Luiz Dias Cavalcanti

Relatos de Sala de Aula

A educação química precisa ser discutida com foco na aprendizagem que os sujeitos do século XXI necessitam. Desse modo, incorporar a criatividade, a colaboração, a comunicação e o pensamento crítico em práticas instrucionais modernas torna-se relevante. Este relato empírico objetiva apresentar uma nova forma de implantar a Aprendizagem Baseada em Jogos por meio do uso do escape room (sala de fuga). Para tanto, construímos um desenho a fim de orientar a elaboração de um escape room em um ambiente não formal de ensino e, em seguida, apresentamos algumas opiniões dos participantes do jogo em relação à experiência vivenciada para a aprendizagem da química. Os resultados incluem aspectos sobre a construção de espaços para proporcionar falha (fracasso) como sendo favorável para a aprendizagem química em salas de fuga, além da importância do trabalho colaborativo na resolução de problemas escalonados em diferentes níveis de complexidade.

ensino de química, escape room, aprendizagem baseada em jogos

02-EQM-29-12.pdf PDF: Relatos de Sala de Aula

 

Contribuições do PIBID para a formação inicial de licenciandos em Química: análise de Teses e Dissertações

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160189

Thaiara M. Pereira
Caian C. Receputi
Pedro H. Maraglia
Marcos Vogel
Daisy B. Rezende

Ensino de Química em Foco

Vários estudos mostram que um dos problemas dos programas de formação de professores é a falta de conexão entre a escola e a universidade. Nesse contexto, o PIBID é um programa que visa aproximar esses dois contextos formativos, como um dos possíveis resultados de uma política pública implementada em 2008. O objetivo deste artigo é o de identificar e descrever os principais eixos norteadores das ações de subprojetos PIBID-Química, a partir da análise de Teses e Dissertações cujo contexto de investigação foi o PIBID-Química. Identificou-se que a dinâmica estabelecida nos subprojetos fomenta a inserção do bolsista pautada por uma reflexão mediada que proporciona uma mudança qualitativa em sua compreensão sobre a escola. Esse processo estrutura-se em um trabalho colaborativo onde os atores mobilizam diferentes saberes que orientam as atividades dos bolsistas visando a superação das problemáticas enfrentadas na escola. Esses resultados apontam para a compreensão do PIBID como um espaço que propicia aos licenciandos a significação mediada de suas vivências no contexto escolar. 

PIBID, formação de professores, pesquisa em ensino de química

02-EQM-29-12.pdf PDF: Ensino de Química em Foco

 

Práticas docentes que podem contribuir para a inclusão de alunos com síndrome de Asperger: uma abordagem alternativa para o ensino de química

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160190

Marcelo Godoi
Patrícia Ignácio
Jéssica Soares

O Aluno em Foco

Com a universalização do ensino e a crescente presença de sujeitos com deficiência em turmas de ensino regular, faz-se necessário o (re)pensar de práticas docentes, que contribuam para a inclusão desses alunos, bem como promovam a construção do conhecimento de todos os cidadãos que fazem parte do espaço escolar. Nessa perspectiva, esta pesquisa qualitativa tem por objetivo apresentar práticas de ensino que possam viabilizar processos de ensino e aprendizagem em química, em turmas de ensino regular com alunos com síndrome de Asperger. Dessa forma, foram desenvolvidas oficinas em uma escola da região metropolitana de Porto Alegre, as quais consideraram as diversidades apresentadas pela turma. Após a aplicação das oficinas e a análise dos resultados, percebeu-se que a adaptação de recursos e a adoção de estratégias alternativas contribuíram para o Ensino de Química da turma. 

Síndrome de Asperger, ensino de química, educação inclusiva

02-EQM-29-12.pdf PDF: O Aluno em Foco

 

Experimentação no ensino de células galvânicas para o Ensino Médio

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160191

Bruno P. Diniz
Alice S. Alves
Leandro C. Lemes
Luís Antônio da Silva
Valéria A. Alves

Experimentação no Ensino de Química

A eletroquímica é um assunto considerado de difícil compreensão para a maioria dos alunos e professores do Ensino Médio. Este artigo apresenta dois kits experimentais contendo pilhas comerciais e células galvânicas alternativas, que podem ser facilmente reproduzidos por professores da Educação Básica, juntamente com seus alunos. O material utilizado para montagem dos kits é acessível e de baixo custo. Esta proposta foi desenvolvida tendo como foco uma questão de eletroquímica do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) realizado em 2017. A referida questão envolveu a utilização de duas células galvânicas em série (bateria) para acender uma lâmpada led (diodo emissor de luz) azul. A partir da análise dos microdados do ENEM, disponíveis no portal do Instituto Nacional Anísio Teixeira (INEP), foi possível obter as respostas de todos os participantes na prova de Ciências da Natureza do ENEM 2017. Apenas 18,96% acertaram a alternativa correta.

ENEM, eletroquímica, experimentação

02-EQM-29-12.pdf PDF: Experimentação no Ensino de Química

 

Categorias analíticas para a caracterização de ideias prévias de professores sobre o planejamento de ensino: contribuições para a formação de professores de Química críticos e autônomos

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160192

Amadeu Moura Bego
Francisco Otávio Cintra Ferrarini

Cadernos de Pesquisa

Neste artigo são propostas e validadas categorias analíticas para caracterização das ideias prévias de professores sobre o planejamento de ensino. Discute-se também ações formativas direcionadas à superação da influência do Paradigma da Racionalidade Técnica no âmbito da formação de professores. Realizou-se uma pesquisa qualitativa do tipo Estudo de Caso para a etapa de validação das categorias a priori: lexibilidade; funcionalidade; simplicidade; objetividade e realismo; e utilidade. Foram coletadas as respostas dissertativas sobre planejamento de um grupo de professores de Química em formação inicial por meio de um questionário-padrão e os dados foram analisados através do método da Análise de Conteúdo. Identificou-se que as categorias propostas têm a potencialidade de explicitar e caracterizar as ideiais dos professores sobre o planejamento na medida em que revelam metaconhecimentos sobre a autonomia do trabalho docente e seus elementos condicionantes institucionais e prescritivos. Por fim, defende-se que a compreensão das ideiais prévias de professores, em formação inicial ou em exercício, acerca do planejamento, em função de seu papel precípuo na ação educativa formal, pode se constituir em um importante aspecto para direcionar ações formativas inovadoras e alternativas às perspectivas tradicionais e tecnicistas. 

Ideias prévias; Planejamento de ensino; Formação de professores; Ensino de Química.

02-EQM-29-12.pdf PDF: Cadernos de Pesquisa

 

Lista de Assessores 2019

Gostaríamos de agradecer os assessores que colaboraram, ao longo de 2019, emitindo pareceres sobre os artigos submetidospara publicação em Química Nova na Escola:

 

02-EQM-29-12.pdf PDF: Lista de Assessores 2019

 

Revista Completa 42-1

20-Normas.pdf PDF: Revista Completa 

Sociedade Brasileira de Qumica 2020

Voltar Coleo Completa | Ir ao Volume Anterior

on-line ISSN 2175-2699
impreso ISSN 0104-8899
Apoio a Projetos
CNPq
Desenvolvido por EKMF.