Voltar Coleo Completa | Ir ao Volume Anterior | Ir ao Prximo Volume

QNEsc Vol. 42 No2

Qumica Nova na Escola
Vol. 42 No2
Maio de 2020

Editorial

editorial.pdf Editorial PDF   HTML

Os Editores

 

Expediente/Sumário

20-Normas.pdf PDF: Expediente/Sumário

 

Abordagem teórico-experimental entre Química e Matemática utilizando práticas laboratoriais

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160195

Roger Borges
Kamila Colombo

Espaço Aberto

Neste estudo foi desenvolvida uma abordagem teórico-experimental entre a Química e a Matemática, formando um conhecimento conjunto. Para isso utilizou-se da experimentação como ferramenta metodológica, em que foram desenvolvidas duas práticas de laboratório sobre reações ácido-base e combustão. Os experimentos possibilitaram o envolvimento de tratamentos matemáticos relacionados ao estudo da equação da reta a partir do uso de determinantes e do cálculo do coeficiente angular. Além disso, os materiais envolvidos nos experimentos estão inseridos ou relacionados ao cotidiano, o que torna o aprendizado mais interessante. Isso propiciou uma interação efetiva entre as duas disciplinas, servindo de base para estudos em sala ou ainda tratando de outros conceitos tanto de Química como de Matemática.

abordagem teórico-experimental, química, matemática

02-EQM-29-12.pdf PDF: Espaço Aberto

 

Alquimia em Hogwarts: A Magia e o Ensino de Química

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160196

Bruno C. A. Costa
Jeane C. G. Rotta
Juliana E. Caixeta

Espaço Aberto

O artigo discute uma situação argumentativa instaurada na segunda fase de uma Sequência de Ensino Investigativa (SEI), cuja estrutura inspira-se na proposta de Pedaste et al. (2015). O objetivo da SEI foi promover a compreensão de conteúdos da Química e da Física, tendo em vista o funcionamento de uma usina termoelétrica, aliando aspectos científicos a socioambientais. As argumentações desenvolvidas em torno de um experimento envolvendo a geração de energia elétrica a partir de energia térmica foram analisadas e discutidas por meio do Modelo de Argumento de Toulmin. Notou-se o investimento do professor na percepção dos alunos acerca dos conhecimentos interdisciplinares teóricos a fim de que elaborassem sentido para os dados experimentais e construíssem seus argumentos. Verificou-se, ainda, a construção de argumentos mais completos com dados, conclusões e garantia de inferência. Estes argumentos discutidos em grupo e individualmente junto ao professor expressaram um avanço conceitual. 

ensino de química, alquimia, texto literário

02-EQM-29-12.pdf PDF: Espaço Aberto

 

Investigação Criminal e Química Forense: espaço não formal de aprendizagem investigativa

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160198

Kiany S. B. Cavalcante
Francisco R. S. de Sousa
João P. D. Monteiro
Jane da P. P. Souza
Alexandre W. V. do Nascimento
Andreia S. S. Aguiar
Adriano S. de Fonseca

Espaço Aberto

Este trabalho analisou as contribuições e inferências de uma exposição de Investigação Criminal desenvolvida por acadêmicos do Curso de Licenciatura em Química de um Instituto Federal de Educação e bolsistas do PIBID (Programa de Iniciação a Docência), como proposta metodológica investigativa para levar estudantes do Ensino Médio a desvendarem um crime fictício, de forma autônoma. A construção de um espaço não formal e interativo, como espaço expositivo, além de promover a divulgação científica, permitiu aos estudantes desenvolverem atitudes investigativas de forma dinâmica, analisando o texto enigmático, o cenário do crime e os laudos periciais, contendo a investigação de Química Forense proposta. A estratégia pedagógica impactou positivamente também no processo de formação inicial de futuros professores de Química, mobilizando seus próprios processos cognitivos, potencializando e concebendo os conceitos de Química Forense, por meio de pesquisa, diálogo e vivência com profissionais da área. 

química forense, metodologia investigativa, formação de professores

02-EQM-29-12.pdf PDF: Espaço Aberto

 

Química Experimental e a Lei 10.639/2003: a inserção da história e cultura africana e afro-brasileira no ensino de Químicai

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160199

Antonio C. B. Alvino
Marilene B. Moreira
Geisa L. M. Lima
Aliny G. Silva
Arcanjo R. Moura
Anna M. C. Benite

Relatos de Sala de Aula

O presente artigo é fruto do planejamento e desenvolvimento de uma disciplina criada para discutir as transformações da matéria e implementar a Lei n. 10.639/2003. O objetivo do trabalho foi conceber, planejar e desenvolver uma estratégia de ensino de química que contemple a heterogeneidade do saber em acordo com a perspectiva da Lei 10.639/2003. O estudo baseia-se em ensinar química a partir das contribuições epistêmicas afro-brasileiras e africanas. Esta é uma pesquisa participante da qual fizeram parte trinta estudantes do Ensino Médio. Os resultados empíricos dizem respeito a síntese do sabão, à química dos sabões e detergentes, aos conceitos de forças intermoleculares e tensão superficial no contexto da religiosidade afro-brasileira. Nossos resultados apontam que os estudantes compreenderam o conhecimento científico em questão: a química.  

Lei 10.639/03. pesquisa participante, química experimental

02-EQM-29-12.pdf PDF: Relatos de Sala de Aula

 

Kahoot! e Socrative como recursos para uma Aprendizagem Tecnológica Ativa gamifificada no ensino de Química

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160201

Bruno S. Leite

Relatos de Sala de Aula

Este trabalho apresenta a utilização de dois recursos didáticos digitais (Kahoot! e Socrative) por 72 estudantes de um curso de licenciatura em Química, de uma universidade pública, considerando os pressupostos da Aprendizagem Tecnológica Ativa (ATA) e da gamificação. A investigação foi dividida em 5 momentos: (i) elaboração dos quizzes; (ii) utilização dos recursos pelos estudantes; (iii) resolução do questionário sobre cada recurso; (iv) realização da entrevista semiestruturada; (v) análise dos dados coletados. O estudo promoveu uma investigação das contribuições da ATA no processo de ensino e aprendizagem, apontando para uma postura favorável dos estudantes quanto ao uso do Kahoot! e do Socrative no ensino de Química como ambientes gamificados. Os estudantes realizaram uma experiência reflexiva que lhes permitiram identificar possibilidades para suas futuras práticas docentes, além de se sentiram engajados, motivados e autônomos durante a atividade, conforme as características da ATA.  

aprendizagem tecnológica ativa, gamificação, ensino de química

02-EQM-29-12.pdf PDF: Relatos de Sala de Aula

 

Análise de interações discursivas e ações verbais entre estudantes do nível superior de Química: um diálogo sobre a argumentação e a aprendizagem

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160193

Lôany Gonçalves da Silva
Welington Francisco

Ensino de Química em Foco

A argumentação no Ensino de Ciências proporciona o debate, a apresentação de ideias e pontos de vista e a possibilidade dos estudantes produzirem enunciados de justificativas e relações causa-efeito. Nessa perspectiva, o objetivo deste trabalho é identificar e ressaltar os tipos de interações e ações verbais específicas nos enunciados dos estudantes que beneficiaram a argumentação e a discutibilidade sobre os conceitos de reações de substituição nucleofílica. Trata-se de uma pesquisa qualitativa em que participaram seis estudantes da disciplina de Reatividade de Compostos Orgânicos da Universidade Federal do Tocantins – Campus de Gurupi. A produção de dados foi realizada por meio da gravação do júri simulado e posteriormente, transcrição na íntegra. Foi elaborado um modelo de análise para correlacionar quais ações verbais e interações discursivas favorecem a discutibilidade sobre a temática. Os resultados apontam diferentes níveis de discutibilidade devido aos diferentes tipos de questionamentos proferidos. Observou-se que perguntas que exigem maior nível de reflexão e organização de conceitos favorecem a argumentação e a construção de enunciados que evidenciam o domínio conceitual dos estudantes sobre o tema. 

argumentação, ações verbais, estratégias enunciativas

02-EQM-29-12.pdf PDF: Ensino de Química em Foco

 

O Diagrama Heurístico em atividades experimentais baseadas em problemas no Ensino Superior de Química

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160194

Cleane C. Paz
Janildo L. Magalhães
Luciana N. A. Ferreira

Ensino de Química em Foco

Atividades experimentais são um importante recurso no tratamento de conceitos e no desenvolvimento de habilidades relevantes aos alunos, especialmente quando planejadas de acordo com a Problem Based Learning (PBL). Adicionalmente, para maior êxito na resolução de problemas, o diagrama heurístico é indicado, pois pode auxiliar na organização e compreensão das atividades, favorecendo a interação entre aspectos conceituais e metodológicos. Assim, neste trabalho avaliamos o potencial do diagrama heurístico como instrumento metodológico e avaliativo em atividades experimentais baseadas na PBL em aulas de química. Os resultados evidenciaram contribuições do diagrama, pois permitiram verificar o processo de construção do conhecimento pelos alunos na resolução dos problemas. 

atividades experimentais, PBL, diagrama heurístico

02-EQM-29-12.pdf PDF: Ensino de Química em Foco

 

Problematização: possibilidades para o Ensino de Química

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160197

Lorraine Mori
Marcia Borin da Cunha

Ensino de Química em Foco

Problematizar temas, conceitos e assuntos pode ser uma ótima ferramenta para as aulas de Ciências e de Química no ensino escolar regular. Denomina-se problematização a essa prática de utilizar problemas no ensino. Não se trata, porém, de uma ferramenta singular, pois a bibliografia da área de Educação/Ensino informa várias possibilidades para conduzir a aplicação didática da problematização. Neste estudo serão elencadas algumas dessas possibilidades a título de um resgate teórico descritivo. Trata-se de sintetizar propostas metodológicas que indiquem maneiras diferentes de problematizar temas, conceitos e assuntos. Todas as propostas aqui apresentadas podem ser consideradas como possibilidade para atividades didáticas nas aulas de Química. 

metodologias de ensino, problemas, construção do conhecimento

02-EQM-29-12.pdf PDF: Ensino de Química em Foco

  

Desenvolvimento da argumentação em uma sequência de ensino investigativa sobre termoelétrica

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160200

Filipe Silva de Oliveira
Maria Clara Pinto Cruz
Adjane da Costa Tourinho e Silva

Cadernos de Pesquisa

O artigo discute uma situação argumentativa instaurada na segunda fase de uma Sequência de Ensino Investigativa (SEI), cuja estrutura inspira-se na proposta de Pedaste et al. (2015). O objetivo da SEI foi promover a compreensão de conteúdos da Química e da Física, tendo em vista o funcionamento de uma usina termoelétrica, aliando aspectos científicos a socioambientais. As argumentações desenvolvidas em torno de um experimento envolvendo a geração de energia elétrica a partir de energia térmica foram analisadas e discutidas por meio do Modelo de Argumento de Toulmin. Notou-se o investimento do professor na percepção dos alunos acerca dos conhecimentos interdisciplinares teóricos a fim de que elaborassem sentido para os dados experimentais e construíssem seus argumentos. Verificou-se, ainda, a construção de argumentos mais completos com dados, conclusões e garantia de inferência. Estes argumentos discutidos em grupo e individualmente junto ao professor expressaram um avanço conceitual.

sequência de ensino investigativa, argumentação, química, física

02-EQM-29-12.pdf PDF: Cadernos de Pesquisa

  

Revista Completa 42-2

20-Normas.pdf PDF: Revista Completa

 

Normas

20-Normas.pdf PDF: Normas para Submissão

Sociedade Brasileira de Qumica 2020

Voltar Coleo Completa | Ir ao Volume Anterior | Ir ao Prximo Volume

on-line ISSN 2175-2699
impreso ISSN 0104-8899
Apoio a Projetos
CNPq
Desenvolvido por EKMF.