Voltar Coleo Completa | Ir ao Volume Anterior

QNEsc Vol. 42 No3

Qumica Nova na Escola
Vol. 42 No3
Agosto de 2020

Editorial

editorial.pdf Editorial PDF   HTML

Os Editores

 

Expediente/Sumário

20-Normas.pdf PDF: Expediente/Sumário

 

Propostas de Ensino de Química focadas nas Questões Étnico-Raciais: uma experiência na licenciatura e seus desdobramentos para o nível médio 

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160203

Luciana Massi
Carlos Aparecido Alves Moris
Camila Toledo Piza
Carolina Martins Primo
Elliston Mazela da Cruz
Eloisa Marques de S. Facirolli
Francine Ferreira de Carvalho
João Victor Callera Pedroso
Melany Isabel Garcia Nicholson 
Thiago Lima Ferreira

Química e Sociedade

Este artigo tem como objetivo apresentar um conjunto de temas envolvendo as Questões Étnico-Raciais (QER) e sua abordagem no Ensino de Química (EQ). Temas diversos como a plantação de cacau, os perfumes egípcios, a biografia de cientistas negros e a exploração histórica e atual dos povos e territórios negros foram abordados através de diversos conceitos químicos como fermentação, síntese proteica, propriedades coligativas, ligações químicas, etc. Essas propostas foram produzidas por licenciandos em Química como trabalho final da disciplina Currículo, Linguagem e Avaliação no Ensino de Química, mostrando possibilidades de abordagem das QER no Ensino Médio e Superior.

questões étnico-raciais, licenciatura em química, propostas didáticas

02-EQM-29-12.pdf PDF: Química e Sociedade

 

A Ciência e os Esportes: explorando a aerodinâmica com o auxílio artístico de nanoPutianos por meio de tirinhas

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160204

Rosália Andrighetto
Maria E. R. Cardoso
Thiago de C. Luchese

Espaço Aberto

Este artigo busca contribuir com a comunidade de educadores da Educação Básica por motivar o delineamento de proposições metodológicas e ações que vislumbrem um contexto de ensino-aprendizagem que vá ao encontro do que é proposto pela Base Nacional Comum Curricular. A inserção de uma estudante do Ensino Médio à iniciação científico-acadêmica foi usada como estratégia metodológica para fomentar um percurso formativo didático de ensino e pesquisa diferenciado. Junto a essa estudante, agente das ações e multiplicadora de conhecimentos frente a seus pares, foram desenvolvidas atividades dinâmicas tomando-se como temática central Ciência e Esportes. Explorando o gosto por parte dos estudantes pelas atividades oriundas da Educação Física e a química espetacularmente divertida dos nanoPutianos, apresentamos uma proposta de abordagem a essa temática por meio de atividades e analogias para auxiliar o processo de ensino-aprendizagem nas diferentes áreas do conhecimento escolar.

ciências e esportes, ChemSketch®, nanoPutianos, PIBIC-EM, tirinha

02-EQM-29-12.pdf PDF: Espaço Aberto

 

Jogo Pedagógico para o Ensino de Termoquímica em turmas de educação de jovens e adultos

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160205

Maria Aparecida S. Leite
Márlon H. F. B. Soares

Relatos de Sala de Aula

Apresentamos um jogo pedagógico para discussão inicial de conceitos de termoquímica em duas turmas de alunos da educação de jovens e adultos de uma escola pública do estado de Goiás. Analisamos a aplicação de um jogo pedagógico para o público adulto. Participaram 29 alunos divididos em duas turmas, de 3º e 4º períodos do ensino médio, modalidade EJA. O jogo, chamado de Caminho Termoquímico, tem perguntas cotidianas e científicas de modo que seu acerto faz com que os participantes percorram o tabuleiro. O jogo foi realizado em sala de aula e possibilitou que os alunos saíssem de uma atitude passiva, pois ele é aplicado utilizando todo o espaço da sala. Os resultados mostraram que os adultos têm resistência ao uso de jogos, pois estes são confundidos com lazer e oposição ao trabalho, sem a seriedade ligada à educação. No decorrer do jogo, os estudantes apresentaram evolução e reações semelhantes ao público adolescente em várias características comuns aos jogos pedagógicos em sala de aula.

jogo pedagógico, termoquímica, EJA

02-EQM-29-12.pdf PDF: Relatos de Sala de Aula

 

A Química do Petróleo: a utilização de vídeos para o ensino de Química no Nível Médio

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160206

Allana Batista
Fernanda L. Faria
Patrícia B. Brondani

Relatos de Sala de Aula

O trabalho avaliou a aplicabilidade da temática petróleo no ensino de Química tendo os vídeos como recurso didático. Para isso, foram ministradas duas aulas para uma turma de terceiro ano do ensino médio integrado ao curso técnico em administração. Foram utilizados três vídeos: um sobre o tema Petróleo, disponível no site da Petrobrás, e outros dois construídos pela pesquisadora, abordando a composição Química do petróleo e dos seus derivados, os processos pelos quais ele passa e sua importância econômica. Ademais, discutiu-se sobre biocombustíveis. Foram respondidos dois questionários a fim de identificar a aprendizagem de conteúdos e a aplicação dos vídeos em aula. Os vídeos foram avaliados positivamente pelos alunos quanto ao entendimento da temática e sua boa execução. Os resultados das questões relacionadas ao conteúdo dos vídeos, principalmente no que diz respeito à composição do petróleo e sua importância econômica, mostraram respostas satisfatórias quanto à aprendizagem.

ensino de química, petróleo, vídeos

02-EQM-29-12.pdf PDF: Relatos de Sala de Aula

 

Abordagem do tema biocombustíveis no Ensino Médio: textos de divulgação científifica em foco

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160207

Guilherme B. da Silva
Luciana N. A. Ferreira
Osmair B. da Silva
Salete L. Queiroz

Relatos de Sala de Aula

Face às necessidades atuais para a formação de cidadãos que tenham conhecimentos sobre a prática científica e como ela está vinculada ao seu dia a dia, pesquisadores sugerem a inserção de textos de divulgação científica (TDC) em aulas de ciências. Nessa perspectiva, o presente trabalho relata a aplicação de uma atividade didática baseada no uso de TDC a respeito do tema biocombustíveis em aulas de química no ensino médio. Os resultados demonstram que o TDC se configurou como um instrumento de mediação possível para a ocorrência de discursos dissonantes ao discurso pedagógico autoritário comum em sala de aula, e o seu uso propiciou experiência pautada no fomento à autoria dos alunos. As condições de leitura estabelecidas favoreceram a discussão dos conteúdos de química em um contexto social amplo e a atividade foi bem aceita pelos educandos, os quais expressaram diferentes benefícios dela advindos.

ensino de química, texto de divulgação científica, biocombustíveis

02-EQM-29-12.pdf PDF: Relatos de Sala de Aula

 

O teatro de temática científifica em foco: impactos de uma intervenção didático-pedagógica nas visões distorcidas de alunos do ensino médio sobre a natureza da ciência

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160208

Amadeu Moura Bego
Daniele Pereira Moraes
Vagner Antonio Moralles
Luciene Ruiz Baccini

Ensino de Química em Foco

O reconhecimento de que visões distorcidas sobre a natureza da ciência se configuram como um obstáculo significativo para a melhoria no processo de ensino e aprendizagem de ciências fomentou o surgimento de pesquisas com o intuito tanto de mapeá-las como de trabalhá-las. Este artigo discute os impactos de uma intervenção, centrada na peça Oxigênio, sobre as visões distorcidas de estudantes do ensino médio de uma escola pública do Estado de São Paulo. A coleta de dados foi realizada a partir de questionários e grupos focais, e os dados gerados foram analisados por meio dos índices e níveis de tipicidade da Escala Likert e da Análise de Conteúdo. Os resultados evidenciaram mudanças expressivas nas visões socialmente neutra e individualista e elitista, porém as visões exclusivamente analíticas e empírico-indutivista e ateórica se apresentaram com caráter mais resistente. Por fim, as potencialidades e limitações didático-pedagógicas do teatro de temática científica foram ressaltadas.

natureza da ciência, teatro de temática científica, visões distorcidas

02-EQM-29-12.pdf PDF: Ensino de Química em Foco

 

Quente e frio: sobre a Educação Escolar Quilombola e o Ensino de Química

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160209

Marciano A. Santos
Marysson J. R. Camargo
Anna M. C. Benite

Ensino de Química em Foco

Este trabalho objetivou discutir caminhos e possibilidades para o Ensino de Química voltado para a Educação Escolar Quilombola, apresentando o planejamento e desenvolvimento de uma intervenção pedagógica pensada para estabelecer um elo entre saberes tradicionais e o conhecimento científico escolar na disciplina de Ciências/Química. Este trabalho foi desenvolvido em escolas públicas das comunidades quilombolas Morro de São João no estado do Tocantins e Vão de Almas no território Kalunga em Goiás e possui características de uma pesquisa participante. Foram realizadas entrevistas semiestruturadas com griôs das comunidades quilombolas e a partir destas elaboradas as intervenções pedagógicas para o ensino de Química. Nossos resultados mostram que é possível estabelecer essa relação entre o ensino de Química e os saberes tradicionais de forma que os alunos se apropriem do primeiro e que possam valorizar estes últimos.

química, quilombo, saberes tradicionais

02-EQM-29-12.pdf PDF: Ensino de Química em Foco

 

A comida como prática social: sobre africanidades no ensino de Química

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160210

Vander L. Lopes dos Santos
Anna M. Canavarro Benite

O Aluno em Foco

Neste trabalho trazemos para discussão os elementos de transformação cientifica e social presentes na culinária brasileira. Desenvolvemos uma disciplina eletiva de cunho experimental intitulada Química na cozinha: alimentação como forma de manutenção da cultura afro-brasileira. Nessa disciplina, desenvolvemos intervenções pedagógicas (IPs) focalizadas em construir a feijoada, um prato imagético da sociedade brasileira. A coleta de dados foi realizada por gravação em áudio-vídeo, a transcrição e análise dos dados feitas pela análise da conversação. Os resultados nos apontam que precisamos (re)pensar a relação entre o conhecimento químico e a sociedade brasileira em sua diversidade étnico-racial.

deslocamento epistêmico, ensino de química, comida, lei 10.639/03

02-EQM-29-12.pdf PDF: O Aluno em Foco

 

Mineropólio: uma proposta de atividade lúdica para o estudo do potencial mineral do Brasil no Ensino Médio

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160211

Eduarda Giese
Fernanda L. Faria
José W. S. Cruz

O Aluno em Foco

O trabalho investigou as potencialidades e limitações do jogo Mineropólio para a abordagem da mineração no Brasil no ensino de Química no Ensino Médio e a forma que este recurso promove a discussão na perspectiva CTS. O jogo foi inserido em uma sequência de aulas e aplicado em duas turmas de uma escola pública em Blumenau, Santa Catarina. Como instrumentos de pesquisa foram utilizados: observação participante da sequência de ensino; aplicação de questionário aos estudantes; e gravação em áudio das aulas. Os dados foram analisados a partir da Análise de Conteúdo. Na percepção dos estudantes, o jogo adotado tem potencialidade lúdica e educativa. Os alunos citaram fatores econômicos, ambientais e sociais relacionados à mineração no Brasil entremeio a composição química dos minerais e suas aplicações. Porém, alguns estudantes demonstraram dificuldades na distinção entre composição química e elemento químico, mesmo após as discussões em aula, indicando a necessidade de aprofundamento nesta temática.

jogo didático, abordagem CTS, ensino de química

02-EQM-29-12.pdf PDF: O Aluno em Foco

 

Revista Completa 42-2

20-Normas.pdf PDF: Revista Completa

 

Normas

20-Normas.pdf PDF: Normas para Submissão

Sociedade Brasileira de Qumica 2020

Voltar Coleo Completa | Ir ao Volume Anterior

on-line ISSN 2175-2699
impreso ISSN 0104-8899
Apoio a Projetos
CNPq
Desenvolvido por EKMF.