Voltar Coleo Completa | Ir ao Volume Anterior | Ir ao Prximo Volume

QNEsc Vol. 43 No1

Qumica Nova na Escola
Vol. 43 No1
Fevereiro de 2021

Editorial

editorial.pdf Editorial PDF   HTML

Os Editores

 

Expediente/Sumário

20-Normas.pdf PDF: Expediente/Sumário

 

História em quadrinhos como fio condutor na promoção da argumentação de Licenciandos em Química

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160224

Guilherme Balestiero da Silva
Salete Linhares Queiroz

Argumentação no Ensino de Química

Este trabalho tem como objetivo a discussão e análise de uma atividade didática que visou a promoção da argumentação de licenciandos em química a partir da leitura do livro Trinity: a história em quadrinhos da primeira bomba atômica. Para tanto, os estudantes foram convidados a solucionar e argumentar diante de casos extraídos do referido livro. Além da viabilidade da leitura quadrinizada para a promoção da argumentação e a discussão acerca de questões sociocientíficas, as análises indicaram argumentos de limitada complexidade estrutural. Nessa perspectiva, os resultados reforçam a necessidade de práticas educativas voltadas para o desenvolvimento das habilidades argumentativas de professores em formação, os quais possivelmente atuarão na educação básica desempenhando o papel de formadores de opinião.

ensino de química, argumentação, história em quadrinhos

02-EQM-29-12.pdf PDF: Argumentação no Ensino de Química

 

Contribuições de ações favoráveis ao ensino envolvendo argumentação para a inserção de estudantes na prática científifica de argumentar

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160225

Stefannie S. Ibraim
Rosária Justi

Argumentação no Ensino de Química

A Base Nacional Comum Curricular aponta o desenvolvimento da capacidade de argumentar como um dos objetivos para a Educação Básica. Isso está associado às oportunidades oferecidas pelo professor para os estudantes participarem de situações argumentativas em aulas de Ciências. Diante disso, investigamos como ações docentes podem favorecer o envolvimento de estudantes em processos argumentativos relacionados à produção de conhecimento. Para tal, observamos e registramos em vídeo uma aula de Química, na qual a professora e os estudantes discutiram sobre o experimento da queima de uma vela. A partir de Ações Favoráveis ao Ensino Envolvendo Argumentação, caracterizamos as ações da professora e discutimos suas contribuições para o engajamento dos estudantes na prática de argumentar. Concluímos que as ações da professora contribuíram principalmente para que os estudantes: participassem da discussão e refletissem sobre a construção das evidências e sobre a validade das afirmativas científicas.

argumentação, prática científica, ações do professor

02-EQM-29-12.pdf PDF: Argumentação no Ensino de Química

 

Questão sociocientífica e emergência da argumentação no Ensino de Química

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160226

Verônica Tavares Santos Batinga
Thiara Vanessa da Silva Barbosa

Argumentação no Ensino de Química

Este trabalho objetiva identificar e analisar a emergência de processos de argumentação, na perspectiva dialógica, e sua natureza a partir de interações discursivas entre os estudantes, na resolução de uma Questão Sociocientífica (QSC) sobre Suplementação Alimentar. Para isso foi desenvolvida uma sequência didática para alunos do 3º ano do Ensino Médio de uma Escola Pública de Pernambuco. Os procedimentos metodológicos adotados foram: Elaboração, Desenvolvimento e Análise de Dados da referida Sequência. As interações discursivas ocorridas na resolução da QSC foram analisadas com base nas categorias: argumento, contra-argumento e resposta; e natureza da argumentação: ambiental, científica, econômica, ética e social. Os resultados apontam que a resolução da QSC e as atividades da sequência estabelecem um contexto favorável à emergência da argumentação, contemplando as dimensões social, ética, econômica e científica, e mostram indícios de construção do conhecimento sobre o tema Suplementação Alimentar.

questões sociocientíficas, argumentação, química

02-EQM-29-12.pdf PDF: Argumentação no Ensino de Química

 

O método de Estudos de Caso na promoção da argumentação no Ensino Superior de Química: uma revisão bibliográfifica

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160227

Ágatha Lottermann Selbach
Daniele Prestes Daniel
Daniel das Chagas de Azevedo Ribeiro
Camila Greff Passos

Argumentação no Ensino de Química

Este artigo objetiva realizar um mapeamento das pesquisas relacionadas à metodologia de Estudos de Caso (EC) na promoção da argumentação no Ensino Superior de Química. Para tanto, realizamos um levantamento bibliográfico nos anais do Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências (2011-2019) e do Encontro Nacional de Ensino de Química (2010-2018), assim como na base de dados das revistas Química Nova e Química Nova na Escola (2010-2020). Com a análise qualitativa empreendida, identificamos vinte trabalhos e nove artigos sobre o uso da metodologia, com estudantes dos cursos de Licenciatura e Bacharelado em Química em sua maioria. As propostas pedagógicas utilizadas contemplam atividades presenciais e com o uso de plataformas digitais. Os aportes teóricos propostos por Toulmin (2006) e Clark e Sampson (2008) foram os mais citados para análise da qualidade da argumentação. Os resultados apontam a eficácia do método de EC em termos de aprendizagem de conteúdos e desenvolvimento de habilidades como capacidade argumentativa, trabalho em equipe e autonomia na busca por conhecimento. 

estudos de caso, argumentação, ensino superior de química

02-EQM-29-12.pdf PDF: Argumentação no Ensino de Química

 

Interações Argumentativas no Ensino de Química a partir de um texto histórico

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160228

Tatiana C. Ramos
Paula C. C. Mendonça
Nilmara B. Mozzer

Argumentação no Ensino de Química

Neste artigo avaliamos como um texto histórico sobre a teoria das misturas gasosas proposta por Dalton poderia auxiliar estudantes de Química do 1o ano do ensino médio no envolvimento em interações argumentativas. Para tanto, nos apoiamos nos pressupostos da abordagem qualitativa da pesquisa educacional. A interação argumentativa foi caracterizada a partir das ideias de Baker. O texto histórico foi elaborado pelas pesquisadoras com base no caso histórico sobre a teoria das misturas gasosas. A interação argumentativa analisada se situa em uma aula de 50 minutos, na qual os estudantes foram solicitados a avaliar um modelo sobre a disposição dos gases na atmosfera, desenvolvido e avaliado por eles a partir das informações contidas no texto histórico. Constatamos que o texto auxiliou os estudantes na exposição e justificação de seus argumentos, atingindo o status de ferramenta epistêmica. Recomendamos o uso de textos históricos para problematizar discussões argumentativas sobre temas científicos.

argumentação, história da ciência, teoria das misturas gasosas

02-EQM-29-12.pdf PDF: Argumentação no Ensino de Química

 

Dialogismo e apropriação de aspectos enunciativos por meio da produção de contos na formação de Professoras de Química

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160229

Tatiana Santos Andrade
Erivanildo Lopes da Silva

Argumentação no Ensino de Química

Pesquisas têm apontado um declínio na prática de leitura dos brasileiros nos últimos anos, o que corrobora com o aumento das dificuldades de compreensão dos textos lidos e, consequentemente, com a prática da escrita e capacidade de argumentação. É necessário promover atividades na formação de professores de ciências/química, que permeiem o campo da linguagem. Nesse sentido, objetivamos investigar a apropriação de elementos constituintes dos processos enunciativos de licenciandas em química, por meio da escrita e reescrita de contos. Para isso, utilizamos a compreensão da linguagem bakhtiniana buscando perceber aspectos próprios da argumentação por meio dos enunciados ao longo do processo, entendendo que enunciar é argumentar. A escrita e reescrita de contos contribui para a apropriação de aspectos enunciativos inerentes à argumentatividade, o que torna esta prática um mecanismo necessário à constituição docente, validando a apropriação do discurso escolar e a promoção da autoria.

processos enunciativos, formação de professores, contos

02-EQM-29-12.pdf PDF: Argumentação no Ensino de Química

 

Investigação Orientada por Argumentos no Ensino de Química de Nível Médio: uma proposta em cinética

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160230

Soledad Mureb Barbosa
Nilcimar dos Santos Souza

Argumentação no Ensino de Química

Este trabalho apresenta uma abordagem para as aulas de química em laboratório baseada na possibilidade de trabalhar a ciência em atividades experimentais mais significativas para os estudantes. O modelo instrucional permite que os estudantes criem seus próprios métodos para conduzir investigações e gerar e usar dados para responder questões investigativas, além de permitir que escrevam e sejam mais reflexivos enquanto investigam atividades experimentais. A presente pesquisa foi conduzida como uma experiência didática inspirada nesse modelo, em uma escola pública de ensino médio. A pesquisa foi realizada em turma de segundo ano e durou cerca de quatro horas. Os relatórios dos estudantes e o guia de revisão por pares serviram como dados para a análise da aplicação do modelo. Os resultados qualitativos e quantitativos indicaram que os estudantes foram capazes de conduzir os seus próprios experimentos e usar as evidências na forma de dados e observações empíricas para argumentar, de forma científica, sobre os conceitos envolvidos no estudo.

argumentação, investigação científica, experimentação

02-EQM-29-12.pdf PDF: Argumentação no Ensino de Química

 

O papel do terceiro na argumentação dialogal: identifificando o perfil argumentativo em uma atividade de júri simulado

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160231

Lôany G. da Silva
Welington Francisco

Argumentação no Ensino de Química

No modelo de argumentação dialogal, o terceiro é responsável por transformar os discursos contraditórios em um questionamento, podendo assumir diferentes perfis. Nesse sentido, este trabalho teve como objetivo identificar o perfil e as características do discurso de uma professora (terceiro), durante uma atividade de um júri simulado realizada em uma disciplina de Química Orgânica. Utilizando-se da pesquisa qualitativa, os dados foram obtidos a partir da gravação do júri, que teve a participação de seis estudantes. Após a transcrição, os dados foram interpretados com base em um modelo de análise que correlaciona as ações verbais realizadas com as interações discursivas feitas pela professora. Os resultados mostram um perfil variável do terceiro, ora identificando a posição dos discursos, ora mantendo a dúvida durante a argumentação. Ademais, as estratégias discursivas e ações verbais do terceiro (professora) dificultaram o desenvolvimento da argumentação em determinados momentos da atividade.

argumentação dialogal, ação verbal, interação discursiva

02-EQM-29-12.pdf PDF: Argumentação no Ensino de Química

 

O processo de tomada de decisão e a percepção de aspectos da natureza da ciência no discurso argumentativo sobre casos sociocientíficos

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160232

Jéssyca Brena S. Rodrigues
Karen C. Weber

Argumentação no Ensino de Química

Neste trabalho procuramos analisar o processo de tomada de decisão e a percepção da natureza da ciência por estudantes do ensino superior em química, com base na argumentação promovida pela resolução de casos que exploram questões sociocientíficas. Este tipo de abordagem está em consonância com os objetivos da alfabetização científica, visando à formação do cidadão voltada à participação democrática. Os participantes da pesquisa resolveram os casos em pequenos grupos e apresentaram oralmente a solução escolhida. Percebemos que os alunos fundamentaram suas decisões, principalmente, de acordo com fatores socioeconômicos ou ambientais e tendo como referência o conhecimento científico. A experiência favoreceu a compreensão de aspectos socioeconômicos e ambientais que se relacionam à ciência e ao trabalho científico, além de contribuir para o desenvolvimento das habilidades de pesquisa e trabalho em grupo.

natureza da ciência, questões sociocientíficas, argumentação

02-EQM-29-12.pdf PDF: Argumentação no Ensino de Química

 

Argumentação sociocientífica em torno da implantação de uma usina termoelétrica em Sergipe

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160233

Filipe S. de Oliveira
Maria Clara P. Cruz
Adjane da C. T. e Silva

Argumentação no Ensino de Química

Este artigo apresenta uma análise da qualidade dos argumentos desenvolvidos por alunos da Educação Básica, na fase final de uma Sequência de Ensino Investigativa (SEI), utilizando o Padrão de Argumento de Toulmin. A SEI foi estruturada em torno de uma questão sociocientífica, a qual demandou a tomada de posição dos alunos acerca da implantação de uma usina termoelétrica em sua região. Os resultados evidenciam que os alunos ponderaram aspectos socias, ambientais e econômicos, aliados aos conhecimentos científicos, para a tomada de decisão. Como a temática é controversa, observaram-se refutadores na maioria dos argumentos e também garantias de inferência constituídas por valores éticos, além daquelas que, baseadas em conteúdo científico, apresentavam uma relação de causa e efeito direta com os dados, ligando-os à conclusão. Conclui-se que os alunos construíram uma consciência crítica em relação à temática, na perspectiva da Alfabetização Científica voltada para a formação cidadã.

argumentação, questões sociocientíficas, termoelétrica

02-EQM-29-12.pdf PDF: Argumentação no Ensino de Química

 

Utilização do Modelo de Debate Crítico como Estratégia Didática para a Construção do Conhecimento Químico na Perspectiva de uma Aprendizagem Signifificativa Crítica

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160234

Kátia Aparecida da S. Aquino
Géssica Karla de Queiroz
Fabiana da S. Aquino

Argumentação no Ensino de Química

Em nossa sociedade democrática é fundamental que os jovens recebam uma educação que permita a elaboração e análise de argumentos sobre problemas sociais. Nessa direção, este trabalho visa explorar uma estratégia de ensino, a partir de um ambiente argumentativo, que possa promover a construção do conhecimento químico baseado na criticidade e na reflexão. Para isso, foi desenvolvida uma sequência didática adaptada para uma escola pública da rede estadual de Pernambuco com o uso do Modelo de  Debate Crítico. A perspectiva é desenvolver uma Aprendizagem Significativa Crítica através de questões sócio cientificas relacionadas ao ensino de Química. Para a avaliação do impacto da atividade foram utilizados mapas conceituais produzidos pelos estudantes, antes e depois da intervenção. Nossos resultados mostraram indícios de que os conhecimentos prévios dos estudantes se tornaram mais ricos e especificados após o desenvolvimento das ações argumentativas propiciadas em todo o processo de preparação e participação no debate crítico.

ensino de química, argumentação, mapas conceituais

02-EQM-29-12.pdf PDF: Argumentação no Ensino de Química

 

Lembrança Estimulada no Desenvolvimento da Prática Reflflexiva de Licenciandos em Química sobre Argumentação

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160235

Ariane B. Lourenço
Lamonielli F. Michaliski
Armin Weinberger
Salete L. Queiroz

Argumentação no Ensino de Química

Pesquisadores da área de educação em ciências têm enfatizado a importância da promoção da argumentação em ambientes de ensino. No entanto, poucos professores possuem formação para auxiliar os estudantes no desenvolvimento de tal habilidade, sendo escassos os conhecimentos a respeito da aplicação de atividades didáticas com foco na argumentação. Nessa perspectiva, este trabalho tem como objetivo apresentar e discutir reflexões de seis licenciandos em química sobre a abordagem de ensino de ciências pautada na argumentação. Para tanto, o método da lembrança estimulada foi empregado e envolveu a apresentação de vídeos de aulas ministradas pelos licenciandos. Os vídeos os estimularam a narrar suas experiências e contribuíram para que expressassem as escolhas em suas práticas didáticas. Os resultados da investigação mostraram que o método proporcionou aos pesquisadores a identificação de fatores impactantes nas aulas nas quais os licenciandos buscam promover a argumentação.

argumentação, química, formação de professores

02-EQM-29-12.pdf PDF: Argumentação no Ensino de Química

 

Lista de Assessores 2020

Gostaríamos de agradecer os assessores que colaboraram, ao longo de 2020, emitindo pareceres sobre os artigos submetidos para publicação em Química Nova na Escola:

 02-EQM-29-12.pdf PDF: Lista de Assessores 2020

 

Revista Completa 43-1

20-Normas.pdf PDF: Revista Completa

 

Normas

20-Normas.pdf PDF: Normas para Submissão

Sociedade Brasileira de Qumica 2021

Voltar Coleo Completa | Ir ao Volume Anterior | Ir ao Prximo Volume

on-line ISSN 2175-2699
impreso ISSN 0104-8899
Apoio a Projetos
CNPq
Desenvolvido por EKMF.