Voltar à Coleção Completa | Ir ao Volume Anterior | Ir ao Próximo Volume

QNEsc Vol. 38 No3

Química Nova na Escola
Vol. 38 No3
Agosto de 2016

Editorial

editorial.pdf Editorial PDF   HTML

Os Editores

 

Expediente/Sumário

20-Normas.pdf PDF: Expediente/Sumário

A Tecelagem Huni Kuin e o Ensino de Química

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160028

Maria Antonia Moura da Silva
Alcindo da Silva Falcão
Marina Santana da Silva
Anelise Maria Regiani

Química e Sociedade

O presente trabalho teve como objetivo aproximar conteúdos de química e conhecimentos tradicionais a partir do estudo da tecelagem Huni Kuin. A coleta de dados ocorreu por meio de pesquisa etnográfica e bibliográfica. Foi então elaborado um protocolo de prática experimental para aulas de química. Mostramos que é possível, por meio dessa proposta, a inserção da cultura indígena como tema transversal para o ensino de conteúdos de química.

corantes naturais, tecelagem, Huni Kuin, conhecimento tradicional, pH

02-EQM-29-12.pdf PDF: Química e Sociedade

 

O Laboratório de Ciências e a Realidade dos Docentes das Escolas Estaduais de São Carlos-SP

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160029

Tiago Yamazaki Izumida Andrade
Michelle Budke Costa

Espaço Aberto

Objetivou-se verificar quais são as dificuldades que os professores de ciências naturais encontram para realizar aulas práticas que vão além da existência do laboratório didático. Coletaram-se os dados por meio de questionário aplicado a 24 professores de ciências naturais de cinco escolas estaduais. Constatou-se que a existência do laboratório não garante a realização de aulas práticas. Os professores se queixaram da carga excessiva de aulas; grande número de alunos por classe; indisciplina; falta de materiais e manutenção dos laboratórios; falta de reconhecimento profissional; falta de apoio da direção/coordenação; e deficiência na formação inicial. Faz-se necessária a criação de políticas públicas que realmente contribuam para a melhoria da educação e que valorizem todos os profissionais envolvidos nesse processo para que possam ter melhores condições de trabalho e tempo para se especializarem e prepararem melhor suas aulas.

laboratório de ciências, aulas práticas, dificuldades dos professores

02-EQM-29-12.pdf PDF: Espaço Aberto

 

Os Alambiques no Brasil Colônia: Uma Proposta de Abordagem Histórica e Social no Ensino de Ciências

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160030

Haira Emanuela Gandolfi
Thayse Zambon Barbosa Aragão
Silvia Fernanda de Mendonça Figueirôa

Espaço Aberto

Alambiques são equipamentos empregados desde a antiguidade na realização de destilação de misturas e, na história brasileira, surgem no período colonial, associados à cana-de-açúcar e ao álcool, dominando por muito tempo nosso comércio e investimentos técnicos e científicos. Neste trabalho, elaboramos e apresentamos uma sugestão de atividade interdisciplinar para o ensino de ciências, a partir de uma abordagem histórica e social da exploração da cana-de-açúcar no Brasil Colônia, incluindo análise de imagens de um alambique presente em um museu virtual e de textos históricos do final do século XVIII. Buscamos a compreensão do momento histórico de construção e uso desse equipamento, com destaque para a história das ciências e das técnicas, a fim de demonstrar e ressaltar seu potencial educacional para o ensino de ciências.

ensino de ciências, história da ciência, interdisciplinaridade

02-EQM-29-12.pdf PDF: Espaço Aberto

 

Ensino de Bioquímica e Formação Docente: Propostas de Projetos Voltados para o Ensino Básico, Desenvolvidos por Estudantes de Licenciatura

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160031

Luciana Duarte Martins Matta
Luiz Sodré Neto

Espaço Aberto

O presente trabalho buscou interferir no processo de ensino-aprendizagem durante a disciplina de bioquímica metabólica, propondo a estudantes de ciências biológicas a elaboração de projetos que simulassem situações hipotéticas de sala de aula no ensino básico, nos quais cada grupo ministraria a sua aula, envolvendo conteúdos relacionados à bioquímica. Tais propostas foram discutidas quanto à problematização dos temas e ao estabelecimento de relações com o ensino de bioquímica de forma contextualizada. As propostas desenvolvidas ressaltam a importância de se trabalhar a prática docente nas disciplinas específicas da biologia, para que o futuro professor consiga associar o que aprende na graduação ao que ensina no nível básico, favorecendo a instrumentação para o ensino mesmo nas disciplinas ministradas por professores que não atuam diretamente nesta área.

ensino, aprendizagem significativa, formação de professores

02-EQM-29-12.pdf PDF: Espaço Aberto

 

A Camisinha como Artefato Tecnológico no Ensino de Química

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160032

Juliane Nadal Dias Swiech

Relatos de Sala de Aula

O aluno é um partícipe da ação educativa. Essa ação pode ser obtida por meio da contextualização de temas sociais, associada aos aspectos tecnológicos do desenvolvimento de um produto e sua função. Esse trabalho foi realizado com alunos do 1º ano do ensino médio, em um colégio da cidade de Ponta Grossa (PR), com o objeto camisinha como artefato tecnológico no ensino de química. Reproduziram-se os testes de qualidade dos preservativos e posteriormente foram abordados os processos tecnológicos de produção, obtenção de novos materiais e processos de decomposição, avaliando impactos ambientais e sociais. Dinâmicas colaboraram com a formação do aluno como cidadão crítico e atuante na sociedade. O tema camisinha na sala de aula foi usado como suporte para abordar diversos conteúdos de química durante o ano letivo, mas foi também um marco na formação do aluno que, junto com o professor, atuou e se envolveu num processo intermitente de investigação e discussão coletiva para buscar a produção do conhecimento..

química, camisinha, tecnologia

Resenha:Contém Química 2 - pensar, fazer e aprender pelo método investigativo

Por: Maria do Carmo Galiazzi

 

02-EQM-29-12.pdf PDF: Relatos de Sala de Aula

 

Conexões entre Cinética Química e Eletroquímica: A Experimentação na Perspectiva de Uma Aprendizagem Significativa

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160033

Roberta Maria da Silva
Renato César da Silva
Mayara Gabriela Oliveira de Almeida
Kátia Aparecida da Silva Aquino

Relatos de Sala de Aula

Geralmente conceitos de eletroquímica e cinética química parecem não possuir qualquer relação para o estudante. Neste trabalho, apresentaremos uma forma alternativa de abordagem dos conceitos de eletroquímica e que busca, nos conceitos de cinética, o aporte necessário para uma discussão mais integrada. Para isso, foi realizada, por estudantes do ensino médio, a construção de pilhas naturais com laranjas e as diferenças de potencial foram mensuradas em distintas condições experimentais. A ação foi baseada no modelo teórico da aprendizagem significativa que trata do movimento de interação entre o novo conhecimento e os conhecimentos pré-existentes na estrutura cognitiva do indivíduo.

eletroquímica, cinética química, aprendizagem significativa

02-EQM-29-12.pdf PDF: Relatos de Sala de Aula

 

A Educação de Jovens e Adultos e a Disciplina de Química na Visão dos Envolvidos

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160034

João Paulo Victorino Santos
Guimes Rodrigues Filho
Nicéa Quintino Amauro

Ensino de Química em Foco

O trabalho apresentado tem como objetivo traçar o perfil identitário dos alunos da EJA do município de Itumbiara (GO) mediante o levantamento das concepções dos sujeitos envolvidos no processo educativo – professores, coordenadores pedagógicos, diretores e alunos. Para tanto, utilizamos como instrumento de construção questionários específicos a cada um dos grupos de análise. Estes foram aplicados em todas as seis escolas que oferecem a modalidade EJA para o nível de ensino médio. As análises dos resultados evidenciaram divergências em relação ao entendimento sobre a capacidade de aprendizado dos educandos, assim como sobre o interesse dos alunos pela disciplina de química. A contextualização dos assuntos teóricos, a disponibilização de material didático e o laboratório de ciências, além da formação continuada dos professores, estão entre os principais pontos evidenciados no trabalho como limitadores à qualidade do ensino de química dentro da EJA.

ensino de química, EJA, perfil dos alunos da EJA

02-EQM-29-12.pdf PDF: Ensino de Química em Foco

 

Processo de Ensino-Aprendizagem da Química nas Escolas Médias do Moxico Sustentado no Experimento Químico Escolar

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160035

Ernesto Dumba Gabriel
Juan Jesús Mondéjar Rodríguez
Magali Torres Fuente

Ensino de Química em Foco

O ensino das ciências naturais em Angola exige a aplicação de métodos de ensino que propiciem aos alunos assimilar os conhecimentos científicos e técnicos para o bem da sociedade. Assim, a química constitui uma disciplina que exige uma profissionalização contínua e permanente de professores. A pesquisa se aplicou por meio de métodos teóricos e empíricos, baseada nos fundamentos teórico-metodológicos da atividade experimental. O processo de ensino-aprendizagem da química nas escolas médias do Moxico sustentado no experimento químico escolar constitui um espaço de desenvolvimento de potencialidades cognitiva, educativa e motivacional dos alunos. A validação dos resultados desta pesquisa mostrou que sua aplicação permite que os professores ensinem seus alunos a aprender e estes melhoram seus resultados de aprendizagem.

processo de ensino-aprendizagem, ensino da química, experimento químico escolar

02-EQM-29-12.pdf PDF: Ensino de Química em Foco

 

O Ensino de Química Usando Tema Baía de Guanabara: Uma Estratégia para Aprendizagem Significativa

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160036

Nathália Souza Abreu
Jefferson Leite Maia

O Aluno em Foco

O presente trabalho teve por objetivo apresentar e analisar métodos de abordagem de conteúdos de química a partir do tema gerador Baía de Guanabara, visando à aprendizagem significativa dos alunos do 9º ano do ensino fundamental de uma escola pública localizada em Itaboraí (RJ). A metodologia incluiu análise diagnóstica por meio de questionário, leitura e debates de textos sobre o tema gerador, realização de jogos, confecção de maquetes e aplicação de questionário avaliativo. A avaliação final do trabalho teve como base a evolução dos alunos ao longo do processo. Os resultados mostraram a evolução das respostas dos estudantes, passando de concepções prévias restritas e fragmentadas a respostas mais elaboradas acerca da Baía de Guanabara. Pode-se concluir que o ensino da Química por intermédio do tema gerador Baía de Guanabara contribuiu para uma aprendizagem mais significativa, possibilitando a relação entre os conhecimentos e as experiências cotidianas dos estudantes e o conhecimento científico.

tema gerador, aprendizagem significativa, Baía de Guanabara

02-EQM-29-

12.pdf PDF: O Aluno em Foco

 

Máquina de Café Expresso para Extração de Óleos Essenciais: Uma Proposta Experimental

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160037

Amanda de Sousa Querubina
Marcella Andreoli Coser
Walter Ruggeri Waldman

Experimentação no Ensino de Química

O trabalho consiste na demonstração do uso da máquina de café expresso como um método alternativo de extração usando pressões maiores que a do ambiente. Foi usada uma máquina doméstica de café expresso para extração de óleos essenciais de cravo e canela com um sistema de coleta refrigerada do extrato aquoso a quente produzido. A presença de óleos essenciais no extrato aquoso a quente foi comprovada por extração dos óleos essenciais e subsequente reação com permanganato de potássio (teste de Bayer) em uma atividade de aproximadamente 45 minutos. A adaptação das cápsulas de café expresso para a extração é de fácil implementação e o experimento envolve conceitos de pressão e separação de misturas, assuntos abordados no ensino médio.

extração, óleos essenciais, café expresso, pressão

02-EQM-29-12.pdf PDF: Experimentação no Ensino de Química

 

Recontextualizações e Hibridismos em Processos de Elaboração e Avaliação de Livros Didáticos de Química

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160038

Ana Carolina Garcia de Oliveira
Maria Inês Petrucci Rosa

Cadernos de Pesquisa

Neste trabalho, temos como objetivo investigar processos de elaboração e avaliação de livros didáticos de química, no âmbito do Programa Nacional do Livro Didático (PNLD), procurando compreender efeitos produzidos nas obras didáticas a partir de diferentes contextos. Inspiradas em Stephen Ball, compreendemos as políticas curriculares como redes discursivas que se estabelecem em contextos marcados por permeabilidades. Para adentrar na pesquisa, entrevistamos autores e avaliadores de livros didáticos de química que participaram do PNLD. As entrevistas em estilo narrativo propiciaram a produção de mônadas, dispositivo metodológico inspirado na obra de Walter Benjamin. As narrativas produziram efeitos de significação que nos levaram a compreender que a produção do livro, desde sua escrita até seu uso em salas de aula, passando pela editoração, avaliação e distribuição, ocorre em diversos contextos. Esse cenário de contextos é operado a partir de processos de recontextualização e de hibridismo de discursos produzidos nesses meios. Com essa dinâmica, a autoria das políticas passa a ser plural, diversos sujeitos delas participam e a constroem.

currículo, narrativas, PNLD, ciclo de políticas, livro didático

02-EQM-29-12.pdf PDF: Cadernos de Pesquisa

 

Revista Completa 38-3

20-Normas.pdf PDF: Revista Completa

 

Normas

20-Normas.pdf PDF: Normas para Submisão

Sociedade Brasileira de Química © 2017

Voltar à Coleção Completa | Ir ao Volume Anterior | Ir ao Próximo Volume

on-line ISSN 2175-2699
impreso ISSN 0104-8899
Apoio a Projetos
CNPq
Desenvolvido por EKMF.