Voltar Coleo Completa | Ir ao Volume Anterior | Ir ao Prximo Volume

QNEsc Vol. 39 No4

Qumica Nova na Escola
Vol. 39 No4
Novembro de 2017

Editorial

editorial.pdf Editorial PDF   HTML

Os Editores

 

Expediente/Sumário

20-Normas.pdf PDF: Expediente/Sumário

 

Quitosana: da Química Básica à Bioengenharia

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160089

Lorena O. Felipe
Lucas A. Rabello
Ênio N. O. Júnior
Igor José B. Santos

Química e Sociedade

A quitosana é um copolímero de origem natural derivado do processo de desacetilação da quitina. As características apresentadas pela quitosana permitem uma ampla versatilidade de aplicação em áreas distintas, do tratamento de efluentes a utilizações mais sofisticadas, como na medicina regenerativa. Dessa forma, este trabalho aborda o conceito de copolímero natural, as principais formas de obtenção da quitosana, as características e propriedades da quitosana, as multifuncionalidades desse biomaterial e seu elevado potencial tecnológico em diferentes áreas, principalmente na engenharia de tecidos. Por fim, a partir da contextualização desta temática, será possível ao aluno vislumbrar a multidisciplinaridade da área de biotecnologia, na qual a engenharia de tecidos está inserida e desenvolver no mesmo a importância do reaproveitamento de resíduos no contexto da sustentabilidade ambiental.

copolímero natural, quitina, biotecnologia, engenharia de tecidos, reaproveitamento de resíduos

02-EQM-29-12.pdf PDF: Química e Sociedade

 

Contribuições da sociologia de Bourdieu para repensar a educação e o ensino de ciências

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160090

Luciana Massi

Espaço Aberto

Apresentamos, neste texto, a perspectiva sociológica de Pierre Bourdieu para uma releitura sobre o papel da educação na sociedade e os processos de ensino-aprendizagem. Inicialmente, trazemos os princípios gerais da teoria bourdiana; em seguida, explicamos como esses princípios nos ajudam a entender a realidade escolar, com exemplos nacionais e da área de ensino de ciências, e, por fim, apontamos caminhos que podem nos ajudar a pensar em possibilidades de melhoria para a escola e a ação docente. A perspectiva divulgada neste texto pode contribuir para a atuação do professor de ciências ou de química, pois discutimos a importância do diagnóstico da realidade social dos alunos e da consequente contextualização do ensino, analisamos as dificuldades linguísticas e mentais da aprendizagem em ciências e repensamos o currículo e a avaliação a partir da perspectiva sociológica bourdiana.

sociologia; Pierre Bourdieu; educação e sociedade

02-EQM-29-12.pdf PDF: Espaço Aberto

 

Temática Chás: Uma Contribuição para o Ensino de Nomenclatura dos Compostos Orgânicos

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160091

Francisco Erivaldo F. da Silva
Viviane G. P. Ribeiro
Nilce V. Gramosa
Selma E. Mazzetto

Relatos de Sala de Aula

A nomenclatura dos compostos orgânicos abordada no ensino médio é um assunto no qual muitos alunos encontram dificuldades em função das regras, das definições e das classificações. Pensando nisso, no presente trabalho a temática Chás foi empregada como uma ferramenta de ensino devido às suas propriedades benéficas no organismo e pelas substâncias orgânicas que os constituem. O estudo envolveu aulas expositivas, discussões e questionários, todos com a finalidade de analisar as concepções prévias e conhecimentos adquiridos pelos alunos. Também foi desenvolvida uma atividade de identificação dos chás através da combinação multissensorial. Os resultados mostraram que a utilização de um assunto presente no cotidiano dos alunos, sobretudo na região Nordeste do país, combinado ao estímulo dos sentidos, favorecem e estimulam a busca pelo conhecimento, contribuindo para a formação cidadã de forma consciente e saudável.

nomenclatura dos compostos orgânicos, chás, combinação multissensorial

02-EQM-29-12.pdf PDF: Relatos de Sala de Aula

 

Do Senso Comum à Elaboração do Conhecimento Químico: Uso de Dispositivos Didáticos para Mediação Pedagógica na Prática Educativa

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160092

Francisco J. Mininel
Regina C. G. F. Di Nardo
Luiz A. A. De Oliveira
Maria E. B. Arnoni

Relatos de Sala de Aula

Visando tornar nossas aulas momentos de reflexão e ação pela intervenção pedagógica (mediação), foram utilizados diferentes dispositivos didáticos (vídeos, experimentação, textos de apoio, softwares etc.) e uma proposição metodológica para organizar o conteúdo de ensino. A opção por essa organização metodológica deu-se para que os alunos pudessem manifestar suas ideias prévias (senso comum), permitindo-nos tomar conhecimento de suas concepções acerca do tema em estudo, para problematizá-las, a fim de potencializar e sistematizar os conceitos em estudo e a expressão dos mesmos. Os resultados obtidos indicaram que a mediação pedagógica (relação dialética entre professor e aluno) e a interação entre alunos enriqueceram as atividades da aula, permitindo que os alunos trouxessem à tona os conceitos que possuíam e construíssem o conhecimento significativamente, elaborando e testando suas hipóteses, criando estratégias para a solução dos problemas apresentados.

proposição metodológica, mediação pedagógica, dispositivos didáticos

02-EQM-29-12.pdf PDF: Relatos de Sala de Aula

 

O Ensino de Química para alunos surdos: o conceito de
misturas no Ensino de Ciênciasi

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160093

Nislaine Caetano S. Mendonça
Aline Prado de Oliveira
Anna M. Canavarro Benite

Relatos de Sala de Aula

Esta investigação versa sobre o planejamento e desenvolvimento de uma intervenção Pedagógica (IP) em uma escola da comunidade surda, o Centro Especial Elysio Campos, de Goiânia-GO, com intuito de propor e analisar diferentes estratégias de acesso ao conhecimento da ciência para alunos surdos do 9º ano do Ensino Fundamental. O conceito trabalhado foi o de misturas, por meio da experimentação com materiais instrucionais adaptados, privilegiando o referencial funcional da visão. O que se observou foi que a ação pedagógica bilíngue, com um professor de química e um professor de ciências (intérprete - LIBRAS), é uma alternativa para trabalhar experimentação no ensino de química para surdos.

ensino de ciências, educação de surdos, conceitos químicos

02-EQM-29-12.pdf PDF: Relatos de Sala de Aula

 

O professor formador em foco: identidade e concepções do fazer docente

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160094

Stephany P. Heidelmann
Gabriela S. A. Pinho
Maria Celiana P. Lima

Ensino de Química em Foco

O presente trabalho analisa quem é o docente atuante nos cursos de Licenciatura em Química de três instituições de ensino superior do Estado do Rio de Janeiro. Para isso, foram realizadas entrevistas semiestruturadas com 26 professores, investigando questões referentes às suas formações e experiências profissionais em cursos de formação docente. A partir dos resultados foi observado que as ideias que orientam a prática pedagógica dos professores entrevistados muitas vezes são permeadas por influências de suas trajetórias acadêmicas, estando a construção de suas identidades profissionais marcadas pelo rompimento de laços com sua formação escolar ou pela reprodução de suas vivências. Destaca-se, portanto, que o profissional, quando bem formado, ciente e comprometido com seu papel na formação de futuros professores, torna-se apto a buscar uma educação que dialogue saberes e represente uma significância na construção da identidade profissional dos licenciandos em química.

professor formador, formação de professores, licenciatura em química

 

Resenha: Estudos de Caso para o Ensino de Química 1

Por: Fabiele Cristiane Dias Broeitti (Departamento de Química/Universidade
Estadual de Londrina).

 

02-EQM-29-12.pdf PDF: Ensino de Química em Foco

 

Considerações de professores em relação à implantação da Proposta Curricular de Química do Estado de São Paulo

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160095

Silvana M. X. Mininel
Francisco J. Mininel
Regina C. G. F. Di Nardo
Luiz A. A. de Oliveira

Ensino de Química em Foco

A Proposta Curricular (2008) foi implantada na Rede Estadual de Ensino de São Paulo com o objetivo de organizar o currículo nas Escolas da Rede. Este trabalho busca verificar o que pensam os professores sobre a Proposta Curricular e observar mudanças no processo de reelaboração de sua prática por intermédio da análise das respostas de questionários investigativos e do acompanhamento desses professores no projeto de formação continuada denominado A Rede Aprende com a Rede. Detectou-se que o número reduzido de professores licenciados em Química, o tempo estimado para desenvolvimento das atividades, a falta de laboratórios e de embasamento teórico-metodológico se constituíram em entraves para aplicação da proposta. A contextualização do conhecimento é fator apontado como facilitador no processo ensino-aprendizagem. O programa A Rede Aprende com a Rede mostrou-se insuficiente para que houvesse uma mudança de postura frente aos novos paradigmas.

proposta curricular; contextualização do conhecimento; processo ensino-aprendizagem

02-EQM-29-12.pdf PDF: Ensino de Química em Foco

 

Adaptação Metodológica de Processos Oxidativos Avançados (POAs) na degradação de corantes para aulas experimentais de Ensino Médio

DOI: http://dx.doi.org/10.21577/0104-8899.20160096

Ângelo F. Pitanga
Bárbara L. S. dos R. Santos
Letícia B. da Rocha
Lenalda D. dos Santos
Wendel M. Ferreira

Experimentação no Ensino de Química

O presente trabalho tem por objetivo apresentar uma adaptação de metodologias com materiais de fácil aquisição e baixo custo para degradação dos corantes azul de metileno e amarelo tartrazina, utilizando Processos Oxidativos Avançados de Fenton e Foto-Fenton, respectivamente. Este trabalho foi desenvolvido como uma das etapas da pesquisa de um trabalho de conclusão de curso, que tinha os corantes como tema gerador e as atividades experimentais como referencial teórico. Os resultados obtidos com a adaptação aqui proposta são consistentes com as taxas de degradação descritas na literatura de referência, e permitem que os experimentos sejam reproduzidos em aula de Química para o Ensino Médio.

processos oxidativos avançados; corantes; atividades experimentais

02-EQM-29-12.pdf PDF: Experimentação no Ensino de Química

 

Revista Completa 39-4

20-Normas.pdf PDF: Revista Completa

 

Normas

20-Normas.pdf PDF: Normas para Submisão

Sociedade Brasileira de Qumica 2018

Voltar Coleo Completa | Ir ao Volume Anterior | Ir ao Prximo Volume

on-line ISSN 2175-2699
impreso ISSN 0104-8899
Apoio a Projetos
CNPq
Desenvolvido por EKMF.